Compartilhe!

River Plate 2 x 0 Fortaleza na Libertadores

O uruguaio Nico De La Cruz fez o segundo gol millonario na noite. Foto: River Plate/Twitter.

No Monumental de Nuñez, tomado por 70 mil torcedores, o Fortaleza fez, na minha opinião, o jogo oficial no exterior mais difícil de um clube nordestino até hoje. Apesar disso, entendo que o debate é aberto.

Afinal, considerando também a importância da partida, o CSA enfrentou o Talleres em Córdoba, em 1999, valendo o título da Copa do Conmebol. O azulão fez 4 x 2 em casa, mas acabou perdendo de 3 x 0 lá, ficando com o vice, na única final da região. Além disso, o maior campeão da Libertadores, o Independiente de Avellaneda, com sete títulos, já recebeu clubes nordestinos nos últimos anos – incluindo o próprio tricolor cearense. Entretanto, pesa a favor do jogo em Buenos Aires, válido pela 2ª rodada da Libertadores de 2022, a enorme atmosfera.

Vamos lá. Apesar do hepta, o Independiente não vence a Libertadores desde 1984, mantendo, claro, a camisa pesada, mas sem tanta competitividade na principal competição internacional. Além disso, as partidas contra o “Rojo” foram pela Sul-Americana. Já o River Plate, campeão em 1986, 1996, 2015, 2018, é reconhecidamente um dos maiores clubes do continente, sendo uma atração em qualquer edição e ainda segue fortíssimo no presente, apontado como um dos favoritos. Não por acaso, o River é o atual campeão argentino e conta com o técnico (e ídolo) Marcelo Gallardo, já com 14 títulos nesta função no clube e prestes a seguir pra Europa. Ou seja, ainda que o leão tenha investido R$ 21 milhões, a diferença técnica seria considerável.

Monumental repleto e domínio de bola

Tem mais. A lotação da cancha do “Millonario” se deveu ao fato de ter sido o primeiro jogo com a capacidade máxima liberada no torneio desde o início da pandemia. Ou seja, os “hinchas” foram com gosto ao jogo, no qual o River era amplo favorito. E estamos falando do Monumental, palco da final da Copa do Mundo de 1978 e um estádio icônico, como é a Bombonera, o Centenário e o Defensores del Chaco. Ao Fortaleza, em sua estreia na maior competição de clubes do continente, era preciso que tudo desse certo na noite. Tática e tecnicamente, mesmo já pressionado devido ao revés em casa na largada do Grupo F.

Com a bola rolando, o Leão do Pici tentou impor a sua estratégia, fechadinho e com bolas esticadas em velocidade. Teve duas ótimas chances em 3 minutos, com Kyazer e Moisés. Porém, como já disse, não teria o direito de errar. E errou, com Pikachu interceptado aos 9 do 1T. Dali pro gol de Enzo Fernández, pretendido pelo Manchester United, foi um pulo. Aos 32, em outro chutaço da entrada da área, foi a vez De La Cruz. Boa vantagem e busca incessante pelo ataque. No 2T, isso rendeu o controle absoluto dos argentinos, com scout terminando com 29 x 9 em finalizações, 66% x 34% em posse e 650 x 340 em passes trocados. River 2 x 0.

NE vs gringos campeões da Libertadores

Abaixo, um levantamento com todos os jogos oficiais, em torneios da Conmebol, entre clubes nordestinos e clubes estrangeiros campeões da Libertadores – seis ao todo. Sobre os outros destaques, vale o confronto do Bahia contra o San Lorenzo, também na capital argentina, há 62 anos. Foi, simplesmente, o primeiro jogo de um clube brasileiro na Taça Libertadores, com o Baêa na condição do primeiro campeão brasileiro, através da Taça Brasil de 1959.

Em relação aos resultados, o Sport segue sendo o único da região a vencer um adversário com este status fora de casa, conseguindo dois triunfos em 2009. No histórico geral do NE, já foram oito jogos contra campeões fora de casa, com 2V, 1E e 5D. Já em casa, e o Fortaleza ainda terá esta oportunidade contra o River, no Castelão, foram nove partidas, com 6V, 1E e 2D.

Os dez jogos oficiais dos nordestinos contra estrangeiros campeões no exterior
20/04/1960 – San Lorenzo (ARG) 3 x 0 Bahia; Libertadores (quartas)*
18/02/2009 – Colo Colo (CHI) 1 x 2 Sport; Libertadores (grupo)
29/04/2009 – LDU (EQU) 2 x 3 Sport; Libertadores (grupo)
26/09/2013 – Atlético Nacional (COl) 1 x 0 Bahia; Sul-Americana (oitavas)
01/10/2014 – Atlético Nacional (COL) 2 x 2 Vitória; Sul-Americana (oitavas)
13/02/2020 – Independiente (ARG) 1 x 0 Fortaleza; Sul-Americana (32 avos)
18/05/2021 – Independiente (ARG) 1 x 0 Bahia; Sul-Americana (grupo)
13/04/2022 – River Plate (ARG) 2 x 0 Fortaleza; Libertadores (grupo)
25/05/2022 – Independiente (ARG) x Ceará; Sul-Americana (grupo), a disputar
25/05/2022 – Colo Colo (CHI) x Fortaleza; Libertadores (grupo), a disputar
* O adversário ainda não havia vencido a Libertadores

Os dez jogos oficiais dos nordestinos contra estrangeiros campeões no Brasil
03/05/1960 – Bahia 3 x 2 San Lorenzo (ARG); Libertadores (quartas)*
04/03/2009 – Sport 2 x 0 LDU (EQU); Libertadores (grupo)
22/04/2009 – Sport 2 x 1 Colo Colo (CHI); Libertadores (grupo)
25/10/2013 – Bahia (3) 1 x 0 (4) Atlético Nacional (COL); Sul-Americana (oitavas)
16/10/2014 – Vitória 0 x 1 Atlético Nacional (COL); Sul-Americana (oitavas)
27/20/2020 – Fortaleza 2 x 1 Independiente (ARG); Sul-Americana (32 avos)
04/05/2021 – Bahia 2 x 2 Independiente (ARG); Sul-Americana (grupo)
05/04/2022 – Ceará 2 x 1 Independiente (ARG); Sul-Americana (grupo)
07/04/2022 – Fortaleza 0 x 1 Colo Colo (CHI); Libertadores (grupo)
05/05/2022 – Fortaleza x River Plate (ARG); Libertadores (grupo), a disputar
* O adversário ainda não havia vencido a Libertadores

Títulos da Libertadores dos adversários estrangeiros do NE
7 vezes – Independiente, da Argentina (64, 65, 72, 73, 74, 75 e 84)
4 vezes – River Plate, da Argentina (86, 96, 15 e 18)
2 vezes – Atlético Nacional, da Colômbia (89 e 16)
1 vez – Colo Colo, do Chile (91)
1 vez – LDU, do Equador (08)
1 vez – San Lorenzo, da Argentina (14)

Leia mais sobre o assunto
Fortaleza vs argentinos, chilenos e peruanos na estreia na Taça Libertadores


Compartilhe!