Compartilhe!
  •  
  • 5
  •  
  •  

Leonardo Moreira/Fortaleza

O roteiro do triunfo tricolor lembrou o da semifinal, no mesmo Castelão, com um futebol amarrado no 1T e pressão no 2T. Até o tempo do gol foi o mesmo, 33 minutos, com a partida já entrando na reta final. Contudo, em ambos os jogos o Fortaleza venceu de forma merecida, sendo o melhor em campo na maior parte da noite. Contra o Santa e contra o Botafogo, cujo placar de 1 x 0 aproximou o leão do pici do título inédito da Copa do Nordeste.

O resultado quebrou uma invencibilidade de 16 jogos do time paraibano, incluindo 10 pelo torneio regional. No jogo de ida da final, porém, o Bota atuou com uma proposta diferente desta série, bastante defensiva. Criou pouco, se importando mais em brecar o adversário – o que ocorreu durante a primeira metade.

Até o intervalo, o tricolor cearense teve apenas duas boas chances, ambas de cabeça, com Tiaga e Romarinho, com o goleiro Saulo aparecendo bem nos lances. Pelo Botafogo, uma bola enfiada para Dico, que chegou a driblar o goleiro, mas o lance foi invalidado por impedimento – de forma acertada. Apesar do jogo truncado até ali, havia uma disparidade, não só de “A” x “C”, mas de estilo de jogo. O interesse em vencer estava só de um lado. Na segunda etapa, apesar do 4-2-4, o Fortaleza seguiu com dificuldades para entrar na área adversária, com a dupla de zaga do Bota muito bem nos cruzamentos.

Então, bastou uma “invasão” para o mandante definir a partida, com Edinho recebendo na linha de fundo e batendo cruzado para Wellington Paulista completar – até então vinha mal, mas mostrou o faro de artilheiro. O triunfo deixou o time a um empate do título, com o Botafogo obrigado a quebrar um tabu. Em 15 edições, a última (e única) vez que um time foi campeão depois de perder na ida foi em 1998, quando o América de Natal reverteu a situação diante do Vitória. Ao menos o Bota tem algo a favor, pois venceu o duelo na fase de grupos por 1 x 0. Ou seja, há uma boa vantagem para o Fortaleza, mas a disputa segue aberta…

Escalação do Fortaleza (melhores: 1 Edinho, 2 Quintero)
Boeck; Tinga, Quintero, Roger e Bruno Melo; Felipe e Araruna (Dodô, 20/2T); Edinho, Osvaldo (Marcinho, 20/2T), Wellington Paulista e Romarinho (Coutinho, 40/2T). Técnico: Rogério Ceni

Escalação do Botafogo-PB (melhores: 1 Saulo, 2 Donato; pior: Nando)
Saulo; Israel, Lula, Donato e Fábio Alves; Wellington Cézar, Marcos Vinícius (Paulo Renê, 30/2T), Juninho e Clayton (Júnior, 45/2T); Dico (Enercino, 18/1T) e Nando. Técnico: Evaristo Piza

Histórico de Fortaleza x Botafogo-PB (todos os mandos)
27 jogos
14 vitórias do Fortaleza (51,8%)
6 empates (22,2%)
7 vitórias do Botafogo-PB (25,9%)

Campanhas gerais no Nordestão de 2019 (11 jogos)
24 pontos – Botafogo (7V, 3E e 1D; com 15 GP e 6 GC)
22 pontos – Fortaleza (6V, 4E e 1D; com 18 GP e 6 GC)

Calendário da finalíssima regional
29/05, 20h00 – Estádio Almeidão, João Pessoa (PB) – SBT, Fox e Youtube

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami e Thiago Minhoca):

Pedro Chaves/FCF


Compartilhe!
  •  
  • 5
  •  
  •