Compartilhe!
  •  
  • 8
  •  
  •  

Com o Castelão de portões fechados, a torcida comemorou diante da tevê. Foto: Pedro Chaves/FCF.

No primeiro jogo, Tinga foi acionado no decorrer e acabou marcando o gol da vitória do Fortaleza aos 47 do segundo tempo. No segundo jogo, mesmo com o Ceará melhor em campo, o lateral-direito comentou no intervalo que marcaria novamente. E cumpriu. Aproveitando um vacilo de Tiago, que desviou para a própria barra, com a bola acertando a trave, Tinga encheu o pé e fez o gol do bicampeonato cearense do leão do pici. Numa decisão espremida no Brasileirão, já na 18ª rodada, o tricolor juntou forças para superar o rival, o campeão nordestino, e manteve a hegemonia em casa. Pela 2ª vez seguida, venceu a final lá e lô com ambos na Série A. Pesa.

Agora em 2020, definiu por 1 x 0 e consolidou a melhor campanha geral. Em dez jogos, foram 9 vitórias e 1 derrota, com 24 gols marcados e apenas 5 sofridos. Este é o 43º título estadual do Fortaleza, sendo o 15º numa decisão contra o vozão. É também a 4ª taça oficial de Rogério Ceni pelo clube. Com o elenco na mão, o treinador conquistou a Série B de 2018, a Copa do Nordeste de 2019 e os títulos cearenses de 2019 e 2020. Curiosamente, a final no Castelão foi o 150º jogo de Ceni à frente do tricolor. Com isso, ele já é o segundo técnico com mais partidas pelo clube, só abaixo de Moésio Gomes (que tem 229, segundo levantamento de “O Povo”).

No clube desde 2018, tirando uma rápida passagem pelo Cruzeiro, o técnico-ídolo soma 81 vitórias, 32 empates e 37 derrotas, com 61% de aproveitamento. Neste scout particular, Ceni chega a 11 jogos invicto com o clube neste momento, com 6V e 5E. É um ótimo momento que se estende à elite nacional, onde o clube faz uma campanha sólida pela segunda temporada. Organizado fora de campo, o Fortaleza começa a empilhar resultados expressivos.

Parabéns ao clube e aos torcedores tricolores pelo bicampeonato estadual!

A análise do Podcast 45 Minutos (Celso Ishigami, Cassio Zirpoli e Thiago Minhoca):

Os 15 títulos estaduais do Fortaleza em finais com Clássico-Rei*
1924 – Jogo único: 6 x 3
1933 – Ida e volta: 1 x 1 e 2 x 1
1959 – Melhor de três: 1 x 0, 1 x 1 e 0 x 0
1964 – Triangular: 2 x 0
1974 – Ida e volta: 1 x 0 e 3 x 1
1985 – Triangular: 0 x 0
1987 – Triangular: 0 x 0
1991 – Ida e volta: 0 x 0 e 1 x 1
2000 – Jogo único: 1 x 1
2004 – Jogo único: W.O.
2009 – Ida e volta: 2 x 1 e 1 x 1
2010 – Ida e volta: 1 x 0 e 1 x 2 (nos pênaltis, 3 x 1)
2015 – Ida e volta: 2 x 1 e 2 x 2
2019 – Ida e volta: 2 x 0 e 1 x 0
2020 – Ida e volta: 2 x 1 e 1 x 0
* No caso do triangular final, valeu a última rodada (como o “Supercampeonato” em PE)

Encerrando a década, o Fortaleza chegou à 4ª taça local no período entre 2011 e 2020. À parte disso, o rival já detinha o status de campeão da década no estado Em 11 décadas no futebol cearense, Ceará e Fortaleza ficaram 6 vezes numa liderança de década – houve um empate.

Os campeões cearenses em cada década
1911-1920 – Ceará (5); Fortaleza (1)*
1921-1930 – Fortaleza (6); Ceará (2); Maguari e Orion (1)
1931-1940 – Fortaleza (4); Ceará (3); América, Maguari e Tramways (1)
1941-1950 – Ceará e Fortaleza (3), Ferroviário e Maguari (2)
1951-1960 – Fortaleza (4); Ceará (3); Calouros do Ar, Ferroviário e Gentilândia (1)
1961-1970 – Fortaleza (4); Ceará (3); Ferroviário (2); América (1)
1971-1980 – Ceará (7); Fortaleza (2); Ferroviário (1)
1981-1990 – Ceará (5); Fortaleza (4); Ferroviário (1)
1991-2000 – Ceará (6); Fortaleza (3); Ferroviário (2); Icasa e Tiradentes (1)**
2001-2010 – Fortaleza (8); Ceará (2)
2011-2020 – Ceará (6); Fortaleza (4)

* O torneio começou em 1915. Logo, foram 6 edições na década
** Em 1992 houve divisão de título entre Ceará, Fortaleza, Icasa e Tiradentes (!)

Nome da final, o camisa 2 balançou as redes nos dois jogos. Foto: Leonardo Moreira/Fortaleza.


Compartilhe!
  •  
  • 8
  •  
  •