Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

A tradicional selfie de Wellington Paulista nos gols do leão. Foto: Fortaleza/Twiter.

Vivendo grande fase na Série A, com a 3ª colocação após 14 rodadas, o Fortaleza também vai muito bem na outra frente nacional. Se o desempenho na 1ª divisão caminha para ser histórico, o mesmo ocorre na Copa do Brasil, com a classificação às quartas de final. Até porque já é o melhor resultado da história tricolor no mata-mata, igualando a campanha de 2001, quando parou diante da Ponte. Isso mesmo, há vinte anos.

Nesta nova caminhada, em 2021, os alencarinos já avançaram quatro fases. Passaram pelos gaúchos Caxias e Ypiranga, eliminaram o Ceará com goleada, no primeiro Clássico-Rei pela copa, e, agora, despacharam o CRB. Contra os alagoanos, o time treinado pelo argentino Juan Pablo Vojvoda venceu lá e lô, com o veterano centroavante Wellington Paulista, de 38 anos, marcando os três gols tricolores, sendo duas penalidades na virada no Castelão e uma finalização com presença de área no Rei Pelé.

Com isso, o Fortaleza garantiu mais uma cota, totalizando R$ 9,91 milhões, um aporte essencial neste período de pandemia, com receitas escassas. Em 33 edições da copa nacional, de 1989 a 2021, esta é a 38ª vez que um representante nordestino fica entre os oito melhores, com a disputa já na reta final. Já com 24 participações, o clube soma 30 classificações e 23 eliminações em 53 confrontos. Isso dá um aproveitamento de 56,6%.

Agora, o tricampeão cearense aguarda a definição dos oito clubes, na quinta. Com isso, haverá um sorteio na sede da CBF, em pote único, com a composição do chaveamento até a final. Na próxima fase, o leão disputará uma cota de R$ 7,3 milhões, além da inédita presença na semifinal da Copa do Brasil. Este é o 4º ano seguido com um time do NE nas quartas. Porém, a última vez além disso foi em 2011, justamente com o rival Ceará…

A seguir, confira curiosidades e dados sobre a campanha do tricolor e o ranking da região.

Campanha do Fortaleza na Copa do Brasil de 2021 (6 jogos; 5V, 1E e 0D)
1ª fase (64 avos) – vs Caxias-RS (1 x 0), R$ 990 mil
2ª fase (32 avos) – vs Ypiranga-RS (1 x 0), R$ 1,07 mi
3ª fase (16 avos) – vs Ceará-CE (1 x 1 e 3 x 0), R$ 1,7 mi
4ª fase (oitavas) – vs CRB-AL (2 x 1 e 1 x 0), R$ 2,7 mi
5ª fase (quartas) – a definir, R$ 3,45 mi
Total acumulado em cotas: R$ 9,91 milhões

12 clubes de 6 estados do NE
A seguir, os rankings de classificações nordestinas às quartas de final da Copa do Brasil de 1989 a 2021, por clube e por estado, até esta data – outros três nordestinos seguiam na disputa, mas com chances reduzidas. Até hoje foram 38 presenças do NE entre os melhores do torneio, ou 14,3% das 264 vagas em 33 anos de história. Dos nove estados da região, só Maranhão, Piauí e Sergipe não tiveram representados nesta fase. Entre parênteses, o número de classificações à semifinal de cada um, com 10 presenças até 2020.

Nº de presenças do NE nas quartas da Copa do Brasil, por clube (1989-2021)
1º) 10 vezes – Vitória (2x)
2º) 7 vezes – Bahia (0x)
3º) 6 vezes – Ceará (3x)
4º) 5 vezes – Sport (4x)
5º) 2 vezes – Náutico (1x) e Fortaleza (0x)
7º) 1 vez – ABC (0x), América-RN (0x), Baraúnas (0x), Corinthians-AL (0x), CSA (0x) e Treze (0x)

Nº de presenças do NE nas quartas da Copa do Brasil, por estado (1989-2021)
1º) 17 vezes – Bahia (2x)
2º) 8 vezes – Ceará (3x)
3º) 7 vezes – Pernambuco (5x)
4º) 3 vezes – Rio Grande do Norte (0x)
5º) 2 vezes – Alagoas (0x)
6º) 1 vez – Paraíba (0x)


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •