Compartilhe!

Cena repetida. Lewa chegou ao seu auge técnico aos 32 anos. E se manteve lá aos 33 anos.

Em 31 anos de história, apenas seis jogadores receberam o prêmio e “melhor do mundo” em mais de uma oportunidade, de um total de 16 nomes consagrados no topo do futebol. Até a tarde de 17 de janeiro de 2021 a seletíssima lista só contava com Lionel Messi (hexa), Cristiano Ronaldo (penta), Ronaldo Fenômeno (tri), Zinedine Zidane (tri) e Ronaldinho Gaúcho (bi). Agora, mais uma cadeira nesta mesa, para o polonês Robert Lewandowski – veja o ranking abaixo.

Eleito em 2020, o centroavante do Bayern de Munique voltou a ganhar o prêmio “The Best”, promovido pela Fifa. No período contabilizado para a disputa, Lewa somou 51 gols e 8 assistências em 44 partidas, ganhando ainda os títulos da Bundesliga e do Mundial de Clubes. Na reta final da votação de 2021, superou Messi (2º), com 43 gols e 17 assistências em 57 jogos, além da conquista da Copa América, e o egípcio Salah (3º), voando neste ano, mas com números abaixo em relação à premiação de fato – 26 gols e 6 assistências em 45 jogos.

Consagrado novamente como o melhor do mundo, Lewandowski agora tentar ajudar a sua seleção a se classificar para a Copa do Mundo de 2022 – por enquanto, está na repescagem europeia, tendo a Rússia pela frente e com a necessidade de ainda avançar em outro mata-mata para ir ao Catar. Obviamente, o ganho técnico dos poloneses será considerável, ao menos na grande área, terreno fértil para o experiente jogador de 1,85m.

Com o triunfo de seu maior jogador, a Polônia subiu no ranking de premiações masculinas, do 10º para o 6º lugar. Para se ter uma ideia, agora tem o mesmo número de premiações da Itália, campeã mundial em 2006 e vice em 1994, só para listar o período da eleição do craque.

Os melhores do mundo em mais de uma temporada
6 vezes – Messi (2009, 2010, 2011, 2012, 2015 e 2019)
5 vezes – Cristiano Ronaldo (2008, 2013, 2014, 2016 e 2017)
3 vezes – Ronaldo (1996, 1997 e 2002)
3 vezes – Zidane (1998, 2000 e 2003)
2 vezes – Ronaldinho (2004 e 2005)
2 vezes – Lewandowski (2020 e 2021)

Ranking de premiações de melhor do mundo (1991-2021)*
1º) 6-7-1 – Messi (ARG)
2º) 5-6-2 – Cristiano Ronaldo (POR)
3º) 3-1-2 – Zidane (FRA)
4º) 3-1-1 – Ronaldo (BRA)
5º) 2-0-1 – Ronaldinho (BRA)
6º) 2-0-0 – Lewandowski (POL)
7º) 1-1-0 – Figo (POR), Romário (BRA) e Weah (LBR)
10º) 1-0-1 – Rivaldo (BRA) e Roberto Baggio (ITA)
12º) 1-0-0 – Cannavaro (ITA), Kaká (BRA), Matthaus (ALE), Modric (CRO) e Van Basten (HOL)
17ª) 0-2-0 – Beckham (ING), Stoichkov (BUL) e Thierry Henry (FRA)
20º) 0-1-1 – Iniesta (ESP)
21º) 0-1-0 – Lampard (ING), Maldini (ITA), Oliver Khan (ALE), Papin (FRA), Roberto Carlos (BRA) e Van Dijk (HOL)
27º) 0-0-3 – Xavi (ESP)
28º) 0-0-2 – Bergkamp (HOL), Neymar (BRA) e Salah (EGT)
31º) 0-0-1 – Alan Shearer (ING), Batistuta (ARG), Eto’o (CAM), Fernando Torres (ESP), Griezmann (FRA), Klinsmann (ALE), Liniker (ING), Neuer (ALE), Raúl (ESP), Ribéry (FRA), Shevchenko (UCR), Suker (CRO) e Thomar Hassler (ALE)
* Lista no formato olímpico, com ouro, prata e bronze; ao todo, 43 jogadores de 16 países

Ranking de premiações por país (1991-2021)*
1º) 8-3-5 – Brasil
2º) 6-7-2 – Argentina e Portugal
4º) 3-4-4 – França
5º) 2-1-1 – Itália
6º) 2-0-0 – Polônia
7º) 1-1-3 – Alemanha
8º) 1-1-2 – Holanda
9º) 1-1-0 – Libéria
10º) 1-0-1 – Croácia
11º) 0-3-2 – Inglaterra
12º) 0-2-0 – Bulgária
13º) 0-1-6 – Espanha
14º) 0-0-2 – Egito
15º) 0-0-1 – Camarões e Ucrânia
* Lista no formato olímpico, com ouro, prata e bronze; ao todo, 16 países

Escolha do melhor de 2021
A eleição foi baseada no desempenho dos atletas entre 8 de outubro de 2020 e 7 de agosto de 2021, numa análise feita por especialistas, de acordo com a entidade. Após a pré-lista com dez nomes, a Fifa abriu a votação no site oficial para selecionar os três finalistas. Cada um dos quatro grupos – jornalistas, técnicos, capitães e torcedores – teve 25% do peso dos votos. Na votação, os critérios foram os seguintes: 5 pontos para a 1ª escolha, 3 pontos para a 2ª escolha e 1 ponto para a 3ª.


Compartilhe!