Compartilhe!

Rubens Chiri/saopaulofc.net

Em 20 partidas, esta foi apenas a segunda vez que o Sport pontuou contra o São Paulo, pelo Brasileirão, na condição de visitante. Em ambos os casos, em 2016 e 2018, empates em abertura de contagem. Desta vez, entretanto, um jogo bem mais nervoso para o leão, com risco altíssimo de queda a uma rodada do fim e pênalti defendido na reta final.

Num Morumbi com 15 mil torcedores, com a torcida tricolor já ressabiada sobre a falta de regularidade do seu time, o técnico leonino, Milton Mendes, promoveu algumas mudanças. A principal foi a entrada do grandalhão Matheus Peixoto no lugar do Brocador, que vinha muito mal. Em campo, o time pernambucano teve como preocupação principal acertar o sistema defensivo. Pegou pouco na bola, tendo apenas 20% de posse no 1T. O objetivo, claro, estava no acerto de um contragolpe. E até conseguiu, aos 37, mas Gabriel acabou desperdiçando a rara chance. Lá do outro lado, o São Paulo errava o último passe, facilitando o trabalho da defesa leonina.

No 2T, o time rubro-negro reteve um pouco mais a bola, mas algo meramente estatístico (24%), pois a impressão era a mesma, com o mandante forçando mais. Na reta final, após um domínio de canela de Gabriel, a bola voltou à área do Sport e Everton caiu na aproximação de Winck. Pênalti inexistente – porém, o lateral, em noite infeliz, já havia cometido uma penalidade não assinalada. Nenê bateu fraco e Mailon pegou o seu primeiro pênalti como profissional, reanimando a equipe. Depois, o Sport ficou a um triz de encaixar o contragolpe, pois o São Paulo foi todo à frente, mas o comportamento acabou brecado na expulsão de Winck. Com o empate, o Sport não depende mais de suas forças para seguir na Série A…

Escalação do Sport (melhor: 1 Mailson; piores: 1 Winck, 2 Matheus, 3 Gabriel)
Mailson; Winck, Adryelson, Ernando e Raul Prata; Marcão (Deivid, 11/2T), Jair e Michel Bastos (Hernane, 32/2T); Gabriel, Matheus Peixoto (Marlone, 24/2T) e Mateus Gonçalves

Combinação na última rodada para que o Sport siga na primeira divisão
– Vencer o Santos na Ilha do Retiro
– Torcer por uma derrota do Vasco diante do Ceará, no Castelão*
– Torcer por um tropeço (empate/derrota) do América diante do Flu, no Rio*
– Torcer por um tropeço (empate/derrota) da Chape diante do SPFC, na Arena Condá*
* Precisa de dois resultados paralelos entre os três possíveis

O leão sob o comando de Milton Mendes (11 jogos; 4V, 3E e 4D; 12 GP e 17 GC)
30/09 (27ª) – Sport 2 x 5 Atlético-MG (fora)
05/10 (28ª) – Sport 2 x 1 Internacional (casa)
14/10 (29ª) – Sport 0 x 4 Atlético-PR (fora)
20/10 (30ª) – Sport 2 x 1 Vasco (casa)
27/10 (31ª) – Sport 4 x 3 Grêmio (fora)
05/11 (32ª) – Sport 1 x 0 Ceará (casa)
11/11 (33ª) – Sport 0 x 0 Fluminense (fora)
14/11 (34ª) – Sport 0 x 0 Vitória (casa)
18/11 (35ª) – Sport 0 x 1 Flamengo (casa)
22/11 (36ª) – Sport 1 x 2 Chapecoense (fora)
26/11 (37ª) – Sport 0 x 0 São Paulo (fora)

Histórico geral de São Paulo x Sport (todos os mandos)
53 jogos
10 vitórias pernambucanas (18,8%)
13 empates (24,5%)
30 vitórias paulistas (56,6%)

Histórico de São Paulo x Sport pela Série A (todos os mandos)
41 jogos
8 vitórias pernambucanas (19,5%)
10 empates (24,3%)
23 vitórias paulistas (56,1%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami e João de Andrade)

Rubens Chiri/saopaulofc.net


Compartilhe!