Compartilhe!

Foi o 6º gol do atacante nos últimos 6 jogos pelo time paulista. Foto: Santos/Twitter.

Em campo, o atacante Marinho era, de longe, o jogador mais técnico, capaz de um passe na cara do gol ou de uma finalização precisa. Dar espaço ao camisa 11 do peixe era flertar com o perigo. Valeria enquanto ele estivesse em campo. Por isso, chamou bastante a atenção a liberdade dada pelo sistema defensivo do Sport aos 31 minutos do segundo tempo.

Numa sequência de erros, do lado direito para o lado esquerdo, a partir de um lateral sem cobertura, Marinho acabou recebendo a bola livre de marcação. Com o tempo para ajeitar e mandar na gaveta de Mailson. Golaço. Não importa se o time estava atento até então. Numa campanha com erros individuais graves a cada jogo, esse era didático. Obviamente, no futebol, nem sempre é possível marcar um jogador desta qualidade. Entretanto, o raio de 10 metros dado ao santista foi decisivo para a chuvosa noite na Ilha do Retiro.

Mais uma vez, o Sport saiu para o jogo. Não me parece a proposta mais inteligente com o limitado elenco atual, tentando um jogo franco contra adversários mais fortes. Neste temporada, sequer pode contar com a atmosfera do seu estádio, de portões fechados. Ainda assim, consegue alguns momentos. O 1T foi, de fato, equilibrado, com 8 finalizações para cada. O volante Ricardinho, em dois chutes seguidos, perdeu as melhores chances para o mandante – que variou pouco as investidas.

No 2T, no entanto, o rendimento leonino, apenas regular, caiu bastante. Ainda mais com as substituições, que desarrumaram de vez. Assim, o adversário, mesmo sem forçar, teve 8 x 3 em finalizações na retomada. Numa delas, o gol que definiu a vitória do Santos por 1 x 0, impondo, já na segunda partida, o primeiro revés rubro-negro em casa na Série A. Não adianta ser competitivo por apenas 20 ou 30 minutos. Na verdade, nem era preciso dizer isso…

Escalação do Sport (melhor: Marquinhos; piores: Maidana e Sander)
Mailson; Patric, Maidana, Adryelson e Luciano Juba (Sander, 26/2T); Willian Farias, Ricardinho (Brocador, 34/2T) e Jonatan Gómez (Betinho, 9/2T); Bruninho (Ronaldo, 9/2T), Elton (Philip, 26/2T) e Marquinhos. Técnico: Daniel Paulista

Escalação do Santos (melhores: Marinho e João Paulo)
João Paulo; Pará, Ailson, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson (Jean Mota, 17/2T), Pituca e Carlos Sanchéz (Tailson, intervalo); Marinho (Alex, 41/2T), Kaio Jorge (Lucas Braga, 17/2T) e Soteldo (Marcos Leonardo, 34/2T). Técnico: Cuca

Histórico geral de Sport x Santos (todos os mandos)
48 jogos
12 vitórias pernambucanas (25,0%)
15 empates (31,2%)
21 vitórias paulistas (43,7%)

Histórico de Sport x Santos pela Série A (todos os mandos)
39 jogos
11 vitórias pernambucanas (28,2%)
11 empates (28,2%)
17 vitórias paulistas (43,5%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Fred Figueiroa e João Pereira):

Abaixo, assista ao único gol da partida, através do perfil oficial do Brasileirão no Twitter.


Compartilhe!