Compartilhe!

Obs. Não pude assistir ao jogo. Então, o texto só relata o contexto da copa. Reprodução: Live FC.

De volta à Copa do Nordeste após duas temporadas, nas quais decidiu não participar (?!), o Sport fez o seu papel e se classificou ao mata-mata. Isso numa análise bem fria, pois o desempenho leonino foi ruim durante a fase de grupos. Tanto que venceu apenas duas vezes em oito rodadas, mesmo sendo um dos quatro times da Série A entre os 16 participantes deste regional.

Ao todo, teve 2V, 4E e 2D. Nesta última rodada, toda realizada na Bahia, o rubro-negro foi a campo precisando de uma vitória e torcendo por uma combinação favorável – em caso, dependia de um tropeço do ABC ou de uma derrota do Botafogo. Curiosamente, no intervalo o time já havia subido do 5º para o 4º lugar no grupo A mesmo empatando sem gols com o Confiança. Isso porque o ABC ia perdendo para o já eliminado CSA, num resultado surpreendente. O Bota também perdia, do Vitória, mas aí era preciso que o Sport vencesse na Arena Cajueiro.

Recém-eliminado do Pernambucano, num vexame daqueles, o time de Daniel Paulista até ensaiou a vitória, com Marquinhos concluindo uma ótima jogada de Jonatan Gómez aos 30 minutos da etapa final. Entretanto, sem vida fácil nesta temporada, o leão ainda sofreu o empate aos 41. Com o 1 x 1, era preciso que o ABC não reagisse no CT da Mata de São João. E não reagiu, com o Sport passando em 4º lugar, abaixo de Fortaleza, Bahia e Botafogo. Nas quartas de final, em sua primeira classificação no ano (havia caído na 1ª fase na Copa do Brasil e no Estadual), o time enfrentará o leão do pici, o atual campeão regional. É possível permanecer mais alguns dias na Bahia? Por enquanto, falta futebol para isso. A conferir…

Curiosidade – O time pernambucano ganhou R$ 300 mil pela vaga. Como já havia recebido R$ 2,2 milhões de cota, integrando o maior do grupo de cotistas do torneio, o Sport já soma R$ 2,5 mi.

Escalação do Sport
Mailson; Patric, Maidana, Adryelson e Raul Prata; Willian Farias, Ronaldo (Betinho) e Jonatan Gómez (Bruninho); Leandro Barcia (Mugni), Brocador (Ronaldo) e Rafael (Marquinhos). Técnico: Daniel Paulista

Escalação do Confiança
Rafael Santos; Thiago Ennes, Nirley, Matheus Mancini e Silva; Jeferson Lima, Amaral e Moritz (Renan Gorne); Ari (Marcelinho), Reis (Danilo Pires) e Ítalo (Everton). Técnico: Matheus Costa

Histórico de Sport x Confiança (todos os mandos)
14 jogos
6 vitórias rubro-negras (42,8%)
7 empates (50,0%)
1 vitória sergipana (7,1%)

Campanhas do Sport na volta do Nordestão (entre parênteses, a premiação acumulada)
2013 – Quartas de final (R$ 300 mil)
2014 – Campeão (R$ 1,9 milhão)
2015 – Semifinal (R$ 890 mil)
2016 – Semifinal (R$ 1,385 milhão)
2017 – Vice (R$ 2,15 milhões)
2018 – não participou
2019 – não participou
2020 – Quartas (R$ 2,5 milhões), em disputa
Total de cotas do leão (6 edições): R$ 9,125 milhões

A análise do Podcast 45 Minutos (Celso Ishigami, Fred Figueiroa, Lucas Liausu e Rodolpho Moreia), do minuto 21 ao 45:

Abaixo, assista aos melhores momentos da partida, num vídeo do perfil da Copa do Nordeste.


Compartilhe!