Compartilhe!

O Bota marcou 2 vezes no 1T e se defendeu muito bem no 2T. Foto: Paulo Paiva/AGIF, via CBF.

Foi a pior atuação do Sport sob o comando de Jair Ventura, agora com dez jogos, 5V, 1E e 4D. Diante do Botafogo, na Ilha, o treinador teve dois desfalques no sistema defensivo, com o lateral-esquerdo Sander lesionado (entrou Juba) e o zagueiro Maidana fora por causa de uma gastroenterite (entrou Chico). Como se não bastasse a queda técnica, optou por mudar também a formação, colocando Barcia no lugar de Mugni. Ou seja, abriu o time com dois pontas em vez de contar com um meia de maior potencial de marcação, embora com menos mobilidade.

E o time carioca deitou e rolou no 1T. Marcou com Honda numa saída errada de Polli, aos 28, e ampliou com Caio Alexandre, aos 45, numa troca de passes após outra sobra. Antes desta sequência de duas derrotas, Jair havia participado do programa “Bem, Amigos”, do SporTV, onde foi questionado sobre a sua postura defensiva como treinador – quando começou no próprio Botafogo, em 2016. Na ocasião, com números, retrucou que também conseguiu ser ofensivo, tanto no Santos quanto no Corinthians, apesar das passagens breves.

Nesta 15ª rodada do Brasileirão, a impressão, pelo time montado, é que ele quis mais provar essa visão do que ajudar o próprio Sport, cujo desempenho com dois atacantes abertos, nesta temporada, basicamente não funcionou. Ou seja, não fazia sentido essa tentativa num jogo-chave na briga contra o descenso, que obviamente continua sendo o maior objetivo do leão, apesar da curta presença no G6. No 2T, sem mudanças no intervalo, o Sport ainda viu a chance de ressurgir após a expulsão do volante Forster, tomando o 2º amarelo aos 7 minutos, e com o gol de Thiago Neves aos 10, escorando um cruzamento de Juba – TN foi o mais lúcido.

Entretanto, dali até o apito final, aos 51, o mandante só teve uma chance real, com o Broca cabeceando pra fora – e uma revisão do VAR para pênalti, aos 39, mas que o árbitro não aceitou. O Sport circulou bastante, mas sem infiltração ou cruzamentos precisos. O “Venturismo” estava mesmo do lado do Botafogo, que se fechou e segurou o 2 x 1, obtendo o 1º triunfo como visitante. Basicamente da mesma forma que o time de Jair vinha fazendo…

Sport em 15 rodadas na Série A de 2020
Mandante (7 jogos, 12 pts e 57.1%): 4V, 0E e 3D
Visitante (8 jogos, 8 pts e 33.3%): 2V, 2E e 4D

Escalação do Sport (piores: Brocador, Polli e Barcia; melhor: Thiago)
Luan Polli; Patric, Chico, Adryelson e Luciano Juba; Marcão (Jonatan Gómez, 44/2T), Ricardinho (Bruninho, 31/2T) e Thiago Neves; Leandro Barcia (Maxwell, 44/2T), Brocador (Rogério, 21/2T) e Marquinhos (Lucas Mugni, 21/2T). Técnico: Jair Ventura

Escalação do Botafogo (melhores: Honda e Victor Luís)
Diego Cavalieri; Kevin, Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luís; Rafael Forster, Caio Alexandre (Rentería, 42/2T) e Honda; Rhuan (Warley, 42/2T), Pedro Raul e Kalou (Guilherme, 11/2T). Técnico: Bruno Lazaroni

Histórico geral de Sport x Botafogo (todos os mandos)
45 jogos
10 vitórias pernambucanas (22,2%)
11 empates (24,4%)
24 vitórias cariocas (53,3%)

Histórico de Sport x Botafogo pela Série A (todos os mandos)
32 jogos
9 vitórias pernambucanas (28,1%)
8 empates (25,0%)
15 vitórias cariocas (46,8%)

Curiosidade
O jejum do Sport sobre o Botafogo chegou a 10 jogos. O leão não vence desde 16 de julho de 2014. De lá pra cá, 8 partidas pela Série A e 2 pela Copa do Brasil, com 6 triunfos do Bota e 4 empates.

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami e Fred Figueiroa):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial do Brasileirão no Twitter.


Compartilhe!