Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

André já marcou na volta. São 30 gols em 3 edições da Série A pelo leão. Foto: Brasileirão/Twitter.

Entre saídas (Adryelson), lesões (Maidana, Everaldo e Neilton) e opções técnicas (Patric e Zé Welison), foram nada menos que seis mudanças em relação à escalação na decisão do PE. Com as substituições forçadas, Umberto Louzer poderia ter optando por uma escalação mais coesa na estreia do Brasileirão de 2021. Porém, dando sequência a sua característica, optou por um novo time. No meio, tirou Zé Welison, a surpresa na final, para colocar Ricardinho, até então escanteado.

Na lateral, promoveu a estreia de Hayner, também dando mais leveza ao time. E aí vale pontuar a mudança de perfil do Sport. Num 4-4-2, foi um time com mais mobilidade, em tese com mais chance de produção ofensiva. No 1T, porém, passou longe. Na Série A, não basta querer impor essa característica. É preciso ter peças melhores e resultados mais sólidos.

Ao contrário do imaginado, pelo técnico leonino, só deu Inter no início, num domínio absoluto. O atual vice-campeão brasileiro chegou a 81% de posse de bola, forçando a infiltração e os erros dos pernambucanos – que ocorreram com os estreantes Moccelin e Hayner. No entanto, o primeiro gol gaúcho saiu do outro lado, a partir de um velho problema na esquerda. Embora o rendimento técnico tenha melhorado, um pouco, a afobação de Sander segue danosa. O pênalti cometido aos 15 minutos foi infantil demais.

Em vantagem, após a conversão de Edenilson, o colorado diminuiu o ritmo e deixou a bola um pouco mais com o Sport, que errou a maioria dos passes verticais. Perigo mesmo, só em duas bolas paradas. Na primeira, Thiago Neves escorreu. Na segunda, Tavares cruzou e Thiago Neves cabeceou muito bem, com Lomba espalmando e pegando também o rebote. Um ato isolado numa atuação fraquíssima até ali. No último lance do 1T, num escanteio, Lindoso – que durante a semana foi especulado no próprio Sport – ganhou de Sabino, que mal pulou. Para o 2T, o cenário parecia indicar uma noite de testes, com o resultado já distante.

Tanto que Louzer promoveu a reestreia de André, além da entrada de Marquinhos, para ajudar Hayner na direita. Se errou na escalação inicial, Louzer acertou nas duas mudanças. O futebol melhorou, para ao menos travar o time gaúcho. E com a bola mais próxima área adversária, o mandante passaria a sofrer alguma pressão. Tanto que ocorreram dois lances discutíveis de pênalti, com a marcação do segundo. Thiago Neves bateu no meio do gol e recolocou o Sport na partida, de fato. Afinal, seriam mais 30 minutos. E, para completar, o Inter – também mexido – não conseguiu retomar o ritmo.

A entrada de Maxwell na reta final elevou de vez a chance de pontuar, embora o atacante tenha perdido duas ótimas chances. Até que uma nova oportunidade caiu nos pés de quem entende (bem) do assunto. Aos 41, André recebeu e, com tranquilidade, marcou. Num jogo nervoso, sobretudo para os rubro-negros, é claro que seria preciso aguardar o VAR. Num lance pra lá de ajustado, a posição legal. Foi o gol do empate em 2 x 2, encerrando a 1ª rodada no Beira-Rio. A transformação do Sport em 90 minutos valeu 1 pontinho importantíssimo.

Curiosidade
Ao todo, já considerando esta estreia, o leão soma 990 jogos no Brasileirão, considerando a era unificada, com 336 vitórias, 271 empates e 383 derrotas. Esta é a 42ª participação desde 1959.

Escalação do Internacional (melhores: Edenilson e Lomba; piores; Moisés e Maurício)
Marcelo Lomba; Saravia, Lucas Ribeiro, Cuesta e Moisés; Rodrigo Lindoso, Edenílson (Nonato, 26/2T), Taison (Palacios, 38/2T) e Maurício (Praxedes, 26/2T); Caio Vidal (Patrick, 38/2T) e Yuri Alberto (Thiago Galhardo, 32/2T. Técnico: Miguel Ángel Ramírez

Escalação do Sport (melhores: André, Tavares e Marcão; piores: Sander e Sabino)
Mailson; Hayner, Thyere, Sabino e Sander (Marquinhos, intervalo); Marcão, Ricardinho (Zé Welison, 50/2T), Júnior Tavares e Thiago Neves (Gustavo, 39/2T); Paulinho Moccelin (Maxwell, 32/2T) e Mikael (André, intervalo). Técnico: Umberto Louzer

Histórico geral de Internacional x Sport (todos os mandos)*
45 jogos
10 vitórias rubro-negras (22,2%)
17 empates (37,7%)
18 vitórias gaúchas (40,0%)
* Ainda houve um W.O. a favor do Sport em 24/01/1988

Histórico de Internacional x Sport pela Série A (todos os mandos)*
39 jogos
9 vitórias rubro-negras (23,0%)
14 empates (35,8%)
16 vitórias gaúchas (41,0%)
* Ainda houve um W.O. a favor do Sport em 24/01/1988

A análise do Podcast 45 Minutos sobre o empate (do tempo 1h24 até 2h21):

Abaixo, assista aos gols dos jogos de domingo, através do perfil oficial do Brasileirão no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •