Compartilhe!
  •  
  • 4
  •  
  •  

Também estreante, Elivelton definiu a 4ª vitória tricolor na terceirona. Rafael Melo/Santa Cruz.

Repleto de desfalques (Pipico, Toty, William Alves, Júnior e Célio!), o Santa Cruz se superou para vencer o Remo por 1 x 0, num jogo bem complicado no Arruda.

Estreando no clube pela 4ª vez, o técnico Martelotte conseguiu escalar um time com conjunto, mas limitado de maneira esperada. Ainda assim, dominou as ações ofensivas no 1T, até mesmo pela proposta paraense, com a marcação baixa, esperando demais. Até os acréscimos do 1T, o scout de finalizações apontava 4 x 1, com o visitante tendo duas chances num bololô na área. Maycon Cleiton espalmou as duas cabeçadas, que deixaram o scout equilibrado, distante do que foi o jogo até ali.

Pelo lado coral, a grande deficiência foi mesmo técnica, pois parte dos chutes foram horrorosos – até mesmo de Chiquinho. Na retomada, a partida foi completamente diferente em termos de ação. Mazola “soltou” mais a sua equipe, que conseguiu chegar bem, exigindo duas defesas de Maycon no comecinho. O jogo apertou, com o domínio mudando de lado.

E a pressão foi aumentando até Elivelton marcar o gol da noite. Para o Santa. Numa cobrança de escanteio de Chiquinho, aos 23, o zagueiro testou e deixou o tricolor à frente, obrigando o Remo a mexer mais na estrutura. Pelo 2T sem o controle da bola, o Santa passou apuros, com o Remo tendo 14 x 10 em finalizações. Perceba que foram 7 no 1T e 24 no 2T, numa disputa franca em excesso, com os goleiros tendo destaque. Na volta de Martelotte (surpreendente pela saída de Itamar), um futebol aquém, no limite do justificável, e a liderança provisória no grupo A da Série C – soma 13 pontos, 3 a mais que o Ferroviário, que encerra a rodada.

Santa Cruz em 6 rodadas na Série C de 2020
Mandante (3 jogos, 9 pts e 100%): 3V, 0E e 0D
Visitante (3 jogos, 4 pts e 44.4%): 1V, 1E e 1D

Escalação do Santa Cruz (melhores: 1 Maycon, 2 Chiquinho, 3 Elivelton)
Maycon Cleiton; Bileu, Elivelton, Danny Morais e Denilson; André, Tinga (Augusto Potiguar, 22/2T) e Chiquinho; Didira (Jeremias, 40/2T), Victor Rangel (Mayco Félix, 40/2T) e Járderson (Negueba, 13/2T). Técnico: Marcelo Martelotte

Escalação do Remo (melhor: Vinícius; piores: Zé Carlos e Gelson)
Vinícius; Jansen, Almeão, Mimica (Dudu Mandai, 46/2T) e Marlon; Lucas Siqueira (Julio Rusch,46/2T), Charles, Gelson (Wallace, 27/2T), Tcharlles e Carlos Alberto (Hélio, 27/2T); Zé Carlos (Gustavo Ermel, 12/2T). Técnico: Mazola Júnior

Histórico geral de Santa Cruz x Remo (todos os mandos)
44 jogos
18 vitórias tricolores (40,9%)
10 empates (22,7%)
16 vitórias azulinas (36,3%)

Curiosidade
O jogo marcou a estreia da 4ª passagem de Martelotte como técnico do Santa. Somando todos os trabalhos (2013, 2015-2016, 2017 e 2020), o treinador soma 88 jogos, com 43 vitórias, 22 empates e 23 derrotas – com 57,1% dos pontos. Porém, esta foi a primeira na partida na terceirona. Em 2013, saiu antes da estreia – foi para o Sport após o título estadual, do Santa sobre o próprio Sport.

A análise do Podcast 45 Minutos (Celso Ishigami, Diego Borges e Rodolpho Moreira):

Leia mais sobre o assunto
Análise sobre troca imediata no comando técnico do Santa Cruz, Itamar/Martelotte


Compartilhe!
  •  
  • 4
  •  
  •