Compartilhe!

A comemoração do primeiro gol alvirrubro em Itabaiana. Foto: Caio Falcão/Náutico.

Numa noite chuvosa no interior sergipano, o campo molhado seria um fator a mais para dificultar a atuação dos goleiros. Ainda mais se tivesse algum atacante com o pé calibrado. Pelo Náutico, o nome esperado era o de Kieza. Porém, o jogador atuou apenas no primeiro tempo, pois levou um pisão e foi substituído por Paiva no intervalo. No Frei Paulistano, estreante na Copa do Nordeste, a camisa 9 pertencia a Luan. E o centroavante fez a sua parte. No entanto, não conseguiu balançar as redes. Faz sentido? Faz, caso o goleiro adversário tenha tido uma atuação daquelas.

E foi o que aconteceu no estádio Etelvino Mendonça, com Jefferson pegando absolutamente tudo. Foram nove chances reais de gol, todas evitadas pelo goleiro de 27 anos, cria da base timbu. Ao todo, Luan tentou cinco vezes. No 1T foi um duelo à parte. Através de contragolpes, foram quatro chutes com perigo, aos 9, 17, 24 e 26 minutos. Todos a um triz do gol. E em todos o camisa 1 do alvirrubro pernambucano conseguiu espalmar.

No 2T foram mais cinco. Ao menos foram intercalados pelas chegadas do Náutico, mais eficiente. O visitante marcou aos 15 e 32. No primeiro, um contra-ataque com Simões, Jean Carlos e Guillermo Paiva, que escorou para fazer o seu primeiro gol – vem numa crescente o atacante paraguaio de 22 anos. No segundo, uma falta pela direita, com outra assistência de Jean Carlos, desta vez para a cabeçada do zagueiro Lombardi, 0 x 2. Vitória definida, mas o Frei, com a menor folha do torneio (R$ 115 mil) lutou até o fim. O próprio Luan acertou outro chutaço. Não adiantou. Na noite da primeira vitória do Náutico, o nome foi o do goleiro.

Curiosidade 1 – O Náutico completou 100 jogos pela Copa do Nordeste, com 12 participações entre 1994 e 2020. Ao todo são 40 vitórias, 32 empates e 28 derrotas, com 50,6% de aproveitamento.

Curiosidade 2 – Num confronto inédito, o Frei Paulistano foi o 370º adversário diferente enfrentado pelo Náutico desde 1909, considerando as 4.839 partidas realizadas pelo time principal do timbu.

Escalação do Frei Paulistano (melhor: 1 Luan; piores: 1 Ramalho, 2 Tiquinho)
Giovani; Jô, Rodrigues, Renato e Luciano (Wallace, 10/1T); Ramalho (João Grilo, 20/2T), Vitor, Rhuan e Tiquinho (Baianinho, 28/2T); Diogo e Luan. Técnico: Betinho

Escalação do Náutico (melhores: 1 Jefferson, 2 Paiva, 3 Jean Carlos)
Jefferson; Bryan, Ronaldo Alves, Lombardi e Willian Simões (Erick Daltro, 36/2T); Luanderson, Rhaldney e Jean Carlos; Erick (Lucas Paraíba, 36/2T), Kieza (Paiva, intervalo) e Matheus Carvalho. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Lucas Liausu e João de Andrade):

Abaixo, assista aos melhores momentos da partida, num vídeo do perfil da Copa do Nordeste.


Compartilhe!