Compartilhe!
  •  
  • 2
  •  
  •  

O timbu marcou dois gols nos minutos finais e venceu mais uma. Foto: Tiago Caldas/Náutico.

Considerando que o Náutico atuou com um jogador a mais desde 42 minutos do 1º tempo, e que o placar acabou em 3 x 1 a favor o timbu, o entendimento pode ser de uma partida tranquila nos Aflitos, mas não foi.

Foi, na verdade, um jogo bem movimentado, com o Vera Cruz dando trabalho até a expulsão – chegou três vezes cara a cara com o goleiro, falhando na finalização – e conseguindo reagir mesmo inferiorizado, num golaço de Everton Bala, que estava cercado por quatro quando chutou no ângulo, empatando aos 20 da etapa complementar. É preciso fazer esta avaliação sobre o time de Vitória de Santo Antão, que veio ao Recife com um esquema de três zagueiros, para enxergar melhor o desempenho alvirrubro, que voltou a disputar um jogo oficial após duas semanas, numa lacuna forçada pela ausência nas copas de 2021 (do NE e do BR).

Assim como já havia sido contra Central e Sete, o Náutico criou muito mais, algo esperado. Até abrir o placar, no último lance antes do intervalo, já havia acertado o travessão com Camutanga (em seu 100º jogo pelo clube) e exigido boas defesas do goleiro Igor. A vantagem no placar foi construída com Erick, num rebote, já com a linha defensiva do time do interior desmontada. Na volta do intervalo, com 11 x 10 em campo e 1 x 0 no placar, o timbu poderia ter feito um jogo melhor. Teve volume ofensivo e seguiu criando, mas a falta de ritmo parece incomodar – e Hélio dos Anjos já disse que quer mais jogos-treinos para dar sequência.

Após o surpreendente empate do visitante, o jogo se fechou novamente, com a partida sendo definida só nos minutos finais, aos 40 e 43, com Giovanny (de cabeça) e Bryan (golaço, chute colocado), ambos acionados na ponta esquerda. Um num lançamento e o outro numa tabela. Um espaço que demorou a ser cedido pelo Vera Cruz. Foi a 3ª vitória seguida do timbu no Estadual, se mantendo com 100% de aproveitamento e firme na liderança. Talvez o mais importante, hoje, tenha sido o desafio técnico melhor, ainda que de forma inesperada.

Escalação do Náutico (melhores: Jean Carlos, Bryan e Rhaldney; pior: Vinícius)
Alex Alves; Hereda (Bryan, intervalo), Ronaldo Alves, Camutanga e Rafinha (Williams Bahia, 20/2T); Rhaldney, Marciel (Carpina, 20/2T) e Jean Carlos; Erick (Salatiel, 25/2T), Kieza e Vinícius (Giovanny, 25/2T). Técnico: Hélio dos Anjos

Escalação do Vera Cruz (melhores: Bala e Romarinho; piores: Wendel e Felipe Ramos)
Igor; Ruan, Wendel e Matheus Serra; Ramires, Léo Cotia, Vítor Leão (Felipe Ramos, 39/2T), Vitinho e Daniel Santos (Manteiga, 41/2T); Everton Bala (Edson Carlos, 35/2T) e Romarinho (Mansur, 35/2T). Técnico: Rômulo Oliveira

1) Transmissão nacional na TV
De forma incomum, o jogo em Rosa e Silva foi exibido em três canais. No caso, em sinal aberto para Pernambuco através da Globo e na tevê paga para todo o país em dois meios, o PPV, via Premiere, e no SporTV, neste caso com lacunas deixadas pelos jogos adiados em outros cantos pela Covid-19.

2) A 1ª vitória no confronto
Este foi apenas o 5º jogo entre os clubes, que não se enfrentavam há 11 anos. E até hoje o timbu não havia vencido. Apesar do resultado, o Vera Cruz segue levando vantagem, com 2V, 2E e 1D.

Os 5 confrontos na história, todos pelo Estadual
1º) 11/02/2007 – Vera Cruz 2 x 1 Náutico (Carneirão)
2º) 11/04/2007 – Náutico 1 x 1 Vera Cruz (Aflitos)
3º) 13/01/2010 – Vera Cruz 1 x 0 Náutico (Carneirão)
4º) 28/02/2010 – Náutico 1 x 1 Vera Cruz (Aflitos)
5º) 21/03/2021 – Náutico 3 x 1 Vera Cruz (Aflitos)

A análise do Podcast 45 Minutos (Camila Sousa, João de Andrade e Rodolpho Moreira):


Compartilhe!
  •  
  • 2
  •  
  •