Compartilhe!

Léo Lemos/Náutico

Ainda estamos em março, mas Náutico e Santa já se enfrentaram três vezes ano, em três competições diferentes. Como nos duelos anteriores, empate no tempo normal – a exceção foi a disputa de pênaltis na Copa do Brasil, com triunfo coral. Pelo Estadual, o pior jogo entre os rivais. O empate sem gols, com alguma emoção somente no 2T, manteve alvirrubros e tricolores na mesma posição ao fim da fase classificatória, em 2º e 3º, respectivamente.

Apesar da importância da partida, foram apenas 5.899 torcedores no Clássico das Emoções, o menor público entre os três jogos disputados. Com a última rodada ocorrendo de forma simultânea, a composição do chaveamento pareceu influenciar no andamento do jogo, com o Náutico garantindo o mando de campo nas quartas e numa hipotética semi e o Santa garantindo as quartas, evitando qualquer risco – como em 2018, quando atuou fora e caiu nas quartas, na Ilha.

Assim, o 1T ficou restrito a um chute perigoso, de Thiago, já aos 44 minutos. O que mais chamou a atenção foi a decisão do árbitro Péricles Bassols, que não viu a carga em Odilávio. Após o intervalo o jogo melhorou, até porque o Náutico acionou os seus dois principais atacantes (Wallace Pernambucano e Jorge Henrique), que começaram no banco.

No visitante, a lucidez solitária de Pipico (liberado após efeito suspensivo do STJD). O time coral limitou-se a fechar espaços. E nem fechou tão bem assim, pois o campeão estadual passou a explorar o lado direito e criou chances – numa delas, em um rebote, Wallace perdeu a chance do jogo. No fim, vaias e caminhos definidos, com Náutico x Vitória e Santa Cruz x Afogados. E poderemos ter em breve outro Clássico das Emoções, numa possível semi…

Curiosidade – O Náutico ampliou a sua invencibilidade para 13 jogos, somando PE, NE e Copa do Brasil. São 8V e 5E. Diante do Santa, são 9 jogos sem derrota, com 2V e 7E.

Escalação do Náutico (melhores: 1 Wallace, 2 Robinho; pior: Luiz Henrique)
Bruno; Hereda, Camutanga, Sueliton e Josa; Jiménez, Luiz Henrique e Danilo Pires (Wallace PE, 23/2T); Thiago, Odilávio (Jorge Henrique, intervalo) e Robinho (Mailson, 40/2T). Técnico: Márcio Goiano

Escalação do Santa (melhores: 1 Anderson, 2 Lorenzi; pior: Lucas)
Anderson; Cesinha, João Victor, William e Bruno Ré; Lorenzi, Ítalo Henrique, Lucas Gonçalves (Augusto Potiguar, intervalo); Luiz Felipe (Guilherme Queiroz, 31/2T), Pipico e Elias (Augusto, 19/2T). Técnico: Leston Júnior

A invencibilidade timbu diante do tricolor (9 jogos; 2V e 7E)
1º) 16/05/2017 – Santa Cruz 1 x 1 Náutico (Arruda), Estadual
2º) 15/07/2017 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz (Arena PE), Série B
3º) 04/11/2017 – Santa Cruz 2 x 3 Náutico (Arruda), Série B
4º) 17/02/2018 – Santa Cruz 0 x 0 Náutico (Arruda), Estadual
5º) 15/04/2018 – Náutico 1 x 1 Santa Cruz (Arena PE), Série C
6º) 18/06/2018 – Santa Cruz 0 x 1 Náutico (Arruda), Série C
7º) 09/02/2019 – Náutico 2 x 2 Santa Cruz (Aflitos), Nordestão
8º) 20/02/2019 – Santa Cruz (4) 1 x 1 (2) Náutico (Arruda), Copa do Brasil
9º) 17/03/2019 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz (Aflitos), Estadual

Histórico geral do Clássico das Emoções (todos os mandos)
525 jogos
201 vitórias do Santa (38,2%)
155 empates (29,5%)
168 vitórias do Náutico (32,0%)
1 placar desconhecido (em 1931)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, João de Andrade e Rafael Brasileiro):

Léo Lemos/Náutico


Compartilhe!