Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Ao todo, 20 x 13 em finalizações a favor dos visitantes. Foto: Vitor Brügger/Vasco.

O Náutico manteve a invencibilidade na Série B após doze rodadas, quebrando o recorde da competição na era dos pontos corridos, sendo esta a 16ª edição no formato. A marca anterior, de onze jogos, vinha desde 2008 com o Corinthians, que acabou sendo o campeão com a melhor campanha da história, terminando com 85 pontos. Ao superar este número o campeão pernambucana ilustra bem a força desta arrancada. No entanto, mesmo considerando o empate como interessante lá em São Januário, o roteiro obviamente deixou o resultado bem frustrante.

A explicação é óbvia: o Náutico foi muito superior ao Vasco e vencia o jogo até os 47 minutos do segundo tempo. No 1T, o alvirrubro conseguiu coordenar as suas jogadas, sendo incisivo com a bola rolando e preciso nas bolas paradas, levando ampla vantagem na jogada aérea. O gol de Vinícius aos 32, escorando no primeiro pau o escanteio de Jean Carlos, não foi acaso. Segundo o SofaScore, o timbu teve 58% de posse na primeira metade, com 9 x 4 em finalizações, das quais cinco foram na barra de Vanderlei, o nome vascaíno no domingo.

No 2T, com a vantagem no placar, ainda que mínima, o Náutico mudou a postura, passando a atuar nos contragolpes, mas, devido ao conjunto já estabelecido, manteve-se melhor. Embora o controle da bola tenha caído para 35%, o visitante seguiu finalizando mais, com 11 x 9. E Vanderlei trabalhou muito mais que Alex Alves, em quantidade e dificuldade. Com Cano bem marcado e dando sinais de cansaço, o timbu poderia ter matado o jogo. Teve chances.

No fim, em um erro numa desnecessária troca de passes no campo defensivo, o Vasco recuperou a bola e articulou rápido para Morato invadir a área em velocidade e empatar, 1 x 1. E olhe que mesmo depois disso o timbu ainda conseguiu criar uma grande chance com Paiva, de novo por cima, mas o goleiro do time carioca salvou. Com a igualdade no Rio, a vantagem na liderança do BR caiu de 4 para 2 pontos, com o Coritiba tendo um jogo a menos. Tudo a partir de um descuido numa tarde na qual não faltou futebol…

Náutico em 12 rodadas na Série B de 2021
Mandante (6 jogos, 14 pts e 77.7%): 4V, 2E e 0D
Visitante (6 jogos, 12 pts e 66.6%): 3V, 3E e 0D

O desempenho do timbu nos 12 primeiros jogos na Série B (pontos corridos)
1º) 2021 – 26 pontos (7V, 5E e 0D; 1º lugar)
2º) 2010 – 24 pontos (7V, 3E e 2D; 3º lugar)
2º) 2015 – 24 pontos (7V, 3E e 2D; 4º lugar)
4º) 2006 – 23 pontos (7V, 2E e 3D; 1º lugar)*
5º) 2011 – 20 pontos (5V, 5E e 2D; 7º lugar)*
6º) 2016 – 18 pontos (5V, 3E e 4D; 8º lugar)
7º) 2014 – 15 pontos (4V, 3E e 5D; 13º lugar)
8º) 2020 – 14 pontos (3V, 5E e 4D; 14º lugar)
9º) 2017 – 5 pontos (1V, 2E e 9D; 20º lugar)**
* Subiu de divisão
** Caiu de divisão

Escalação do Vasco (melhor: Vanderlei; piores: Castán e Marquinhos Gabriel)
Vanderlei; Léo Matos (Riquelme), Ernando, Leandro Castán e Zeca; Andrey, Matías Galarza (Juninho) e Marquinhos Gabriel (Arthur Sales); MT (Léo Jabá), Gabriel Pec (Morato) e Germán Cano. Técnico: Marcelo Cabo

Escalação do Náutico (melhores: Vinícius e Jean Carlos; piores: Carlão e Rafinha)
Alex Alves; Bryan, Carlão, Camutanga e Rafinha; Matheus Trindade (Iago Dias), Rhaldney (Djavan), Marciel (Luiz Henrique) e Jean Carlos; Vinícius e Kieza (Guillermo Paiva). Técnico: Hélio dos Anjos

Histórico geral de Vasco x Náutico (todos os mandos)
39 jogos
4 vitórias alvirrubras (10,2%)
16 empates (41,0%)
19 vitórias cariocas (48,7%)

A análise do Podcast 45 Minutos sobre a partida (do tempo 0h14 até 0h57):

Abaixo, assista aos gols do empate, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •