Compartilhe!
  •  
  • 3
  •  
  •  

Bryan abriu o placar e homenageou a filha recém-nascida. Foto: Caio Falcão/Náutico.

O Náutico conseguiu uma boa vitória sobre o Guarani, nos Aflitos e acabou de uma só vez com dois incômodos jejuns em sua campanha nesta Série B. Pra começar, o time pernambucano voltou a vencer no campeonato após 8 jogos (3E e 5D), num hiato que vinha desde 20 de outubro. Só que esta sequência também vinha sendo alimentada pelo mau desempenho em Rosa e Silva, onde não triunfava havia 6 jogos (4E e 2D). Como mandante, não vencia desde 12 de setembro!

Esses números ajudam a explicar a péssima situação do timbu no Brasileiro, fincado na zona de rebaixamento. Embora siga ameaçado, o time diminuiu a diferença para o 16º após o 2 x 0. Quando entrou em campo, estava a 7 pontos, com a análise da nova situação só após a conclusão da 25ª rodada – mas já com a certeza de redução devido ao confronto entre dois concorrentes (Vitória e Paraná). Sobre a 5ª vitória na competição, a primeira sob o comando de Hélio dos Anjos, o Náutico conseguiu ser, de fato, melhor que o adversário.

Na rodada anterior, apesar do revés, o Náutico havia feito uma boa apresentação contra o Juventude. Ficou a dúvida sobre o dano emocional. Diante do Guarani, o time pareceu mais concentrado no desempenho em Caxias do que no resultado – ponto importante. O volume ofensivo visto lá se repetiu aqui. O primeiro gol, aos 18 minutos, saiu já na 3ª boa chance.

No caso, com Kieza puxando a marcação e tocando para Bryan, escalado no meio. O lateral de origem invadiu a área e bateu cruzado. Àquela altura, o bugre só havia chegado uma vez, embora com polêmica, pois Djavan derrubou Pablo, num pênalti não assinalado – prejudicado na rodada anterior, o timbu foi beneficiado desta vez. Em vantagem, o Náutico teve tranquilidade com a bola, uma especiaria em falta há semanas. Porém, é preciso pontuar que o Guarani de Felipe Conceição vem crescendo na competição e passou a encontrar o seu jogo, com o goleiro Anderson aparecendo, enfim, aos 28 minutos.

No segundo tempo, Hélio optou por trabalhar o resultado, algo evidente na entrada do veterano Jorge Henrique, sacando Erick. Deixou apenas Kieza para puxar contragolpes em velocidade. A ideia era essa, mas a execução foi além do imaginado. Aos 24, o atacante fez um golaço. Kieza arrancou bem antes do meio-campo, deu um tapa na bola e ganhou do marcador. Na área, driblou o goleiro, o zagueiro e tocou pras redes. Foram mais de 70 metros de explosão e frieza neste 6º gol na segundona. O gol que definiu a vitória, com lá e lô sobre o Guarani, e o fim dos tabus. O gol para recolocar o time na missão ainda difícil, mas possível.

Náutico em 25 rodadas na Série B de 2020
Mandante (12 jogos, 16 pts e 44.4%): 3V, 7E e 2D
Visitante (13 jogos, 8 pts e 20.5%): 2V, 2E e 9D

Escalação do Náutico (melhores: Kieza, Bryan e Kevyn)
Anderson; Hereda, Camutanga (Rafael Ribeiro, 30/2T), Ronaldo Alves e Kevyn; Rhaldney, Djavan (Matheus Trindade, 16/2T), Bryan (Dadá Belmonte, 30/2T) e Jean Carlos (Ruy, 25/2T); Kieza e Erick (Jorge Henrique, 16/2T). Técnico: Hélio dos Anjos

Escalação do Guarani (piores: Romércio e Jr. Todinho)
Gabriel; Cristovam, Wálber, Romércio e Bidu; Bruno Silva (Marcelo, 21/2T), Murilo Rangel (Arthur Rezende, 10/2T) e Lucas Crispim; Pablo, Bruno Sávio (Rafael Costa, 10/2T) e Júnior Todinho (Rickson, 21/2T). Técnico: Felipe Conceição

Histórico de Náutico x Guarani (todos os mandos)
21 jogos
8 vitórias alvirrubras (38,0%)
3 empates (14,2%)
10 vitórias paulistas (47,6%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami e João de Andrade):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  • 3
  •  
  •