Compartilhe!
  •  
  • 5
  •  
  •  

O atacante Vinícius marcou o seu 1º gol em seu 2º jogo no timbu. Foto: Caio Falcão/Náutico.

A performance do Náutico foi bem melhor em relação ao jogo contra o Oeste, mas o resultado acabou sendo frustrante. Após abrir o placar aos 20 minutos, em boa jogada individual do recém-chegado Vinícius, o timbu ficou em vantagem por mais 65 minutos. Tempo em que controlou a partida, voltando a contar com uma atuação efetiva do meia Jean Carlos (na distribuição e na bola parada), e com boas oportunidades criadas.

Em duas delas, os zagueiros Ramon e Cacá salvaram em cima da linha os gols de Kieza (1T) e Erick (2T). No primeiro lance, uma displicência do K9. Considerando as chances reais, 5 x 3 para o mandante. Estava 5 x 2 até os 40 da etapa complementar, quando o time mineiro iniciou um contragolpe em três atos, do goleiro Fábio para Patrick na esquerda e de lá para a cabeça de Airton, completamente livre na área. E o posicionamento alvirrubro neste lance é que causa a frustração sobre o que foi o jogo, numa desarrumação (e falta de concentração) que não cabia àquela altura. Espaço à parte, vale o destaque para velocidade da jogada da raposa, bem armada e bem executada.

A testada certeira definiu o empate em 1 x 1 em um jogo difícil como se esperava, mas ao alcance do Náutico pelo que foi a partida. Em crise e ainda na zona de rebaixamento, o Cruzeiro foi de uma pobreza técnica gritante. Na reta final, eram quatro atacantes azuis e ligação direta, num cenário que só funcionária a partir de uma brecha enorme do adversário.

Ao Náutico, analisando da forma mais racional possível, considerando a leitura pré-jogo, esse pontinho foi interessante. Da forma como transcorreu o jogo, porém, o time desperdiçou dois pontos, sendo isso uma constante nos Aflitos. Como mandante, o timbu venceu apenas 2 vezes em 9 jogos neste 1º turno da segundona nacional. Ao menos, começa a dar sinais de melhora no rendimento para a continuidade na competição, com a tabela ainda pressionando – tendo o próprio Cruzeiro como concorrente, o que aumenta o tom do alerta.

Náutico em 18 rodadas na Série B de 2020*
Mandante (9 jogos, 11 pts e 40.7%): 2V, 5E e 2D
Visitante (8 jogos, 8 pts e 33.8%): 2V, 2E e 4D
* O time tem um jogo a menos

Escalação do Náutico (melhores: Jean Carlos, Vinícius e Kevyn)
Jefferson; Hereda, Carlão, Camutanga e Kevyn; Rhaldney, Jhonnatan (Djavan, 27/2T), Jorge Henrique (Erick, intervalo) e Jean Carlos (Marcos Vinícius, 42/2T); Vinícius (Álvaro, 27/2T) e Kieza. Técnico: Gilson Kleina (não esteve no banco)

Escalação do Cruzeiro (melhores: Airton e Cacá)
Fábio; Rafael Luiz, Cacá, Ramon e Matheus Pereira (Patrick, intervalo); Adriano, Jadsom Silva (Machado, 26/2T), Régis (Wellinton, 33/2T) e Marquinhos Gabriel (Sassá, intervalo); Arthur Caíke (Airton, 35/1T) e Marcelo Moreno. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Histórico geral de Náutico x Cruzeiro (todos os mandos)
33 jogos
11 vitórias alvirrubras (33,3%)
6 empates (18,1%)
16 vitórias mineiras (48,4%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Lucas Liausu, Clauber Santana e João de Andrade):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  • 5
  •  
  •