Compartilhe!

Ricardo Fernandes/Spia Photo

O Náutico precisava vencer o Bragantino por dois gols de diferença para ao menos forçar a disputa de pênaltis. Após o revés no interior paulista, o acesso à Série B do Brasileiro ficou bem complicado. Uma atuação efetiva era essencial para isso, mas o Náutico acabou desperdiçando as várias oportunidades criadas, inclusive uma penalidade.

Com o apoio de 27 mil pessoas na Arena Pernambuco, o campeão pernambucano começou a partida forçando demais. Martelou muito a meta do Braga. Em determinado momento no 1T, o jogo era basicamente dentro da grande área paulista, com Josa perdendo, Ortigoza raspando a bola ou com o goleiro Alex Alves aparecendo bem – sobretudo numa cabeçada de Dudu, incrível. A situação piorou numa jogada solitária do visitante. Bruno espalmou um chute de fora área e, na sequência, Mateus Peixoto escorou o cruzamento. A bola ainda bateu na trave, 0 x 1.

O placar era cruel demais para o jogo visto até então. A primeira consequência foi a entrada de Wallace Pernambucano no lugar de Josa. Mais gente à frente, mais exposição – afinal, agora eram precisa marcar três gols. No 2T, o Náutico voltou forçando. Aos 20, Robinho chutou mal. Aos 22, o zagueiro cortou a bola com o braço e o timbu teve um pênalti a favor. Wallace até bateu forte, mas Alex Alves espalmou. Neste lance, parte da torcida começou a deixar o estádio, enquanto o time seguia lutando. O empate veio, aos 38 minutos, com Wallace Pernambucano, mas, apesar da pressão no finzinho, o empate em 1 x 1 se manteve, classificando o Bragantino à Série B, após dois anos jogando na terceira divisão.

Em relação ao Náutico, o acesso seria o capítulo final de um ano importante, com o fim do longo jejum no Estadual, com a recuperação administrativa e a reforma dos Aflitos. Exatamente por isso, e pela entrega da equipe, o apito final foi acompanhado de aplausos.

CBF TV/reprodução

Escalação do Náutico
Bruno; Bryan, Camutanga, Sueliton e Assis; Josa (Wallace PE, 36/1T) , Luiz Henrique e Lelê (Jobson, 21/2T); Dudu (Rafael Assis, intervalo), Ortigoza e Robinho

Os 5 maiores públicos do Náutico em 2018 (todos na Arena PE)
1º) 42.352 – Náutico 2 x 1 Central (08/04, Estadual)
2º) 27.469 – Náutico 1 x 1 Bragantino (26/08, Série C)
3º) 20.446 – Náutico 3 x 2 Salgueiro (25/03, Estadual)
4º) 18.136 – Náutico 1 x 0 Afogados (8/03, Estadual)
5º) 13.405 – Náutico 2 x 0 ABC (04/08, Série C)

Participações nas divisões entre 1971 e 2019*
Série A – 27 (55,1%)
Série B – 20 (40,8%)
Série C – 3 (6,1%)
Série D – 0 (0%)
* O clube disputou as séries A e B em 1981

Náutico na Série C
41 jogos (72 GP e 46 GC, +26)
22 vitórias (53,6%)
8 empates (19,5%)
11 derrotas (26,8%)
2 participações: 1999 (4º) e 2018 (quartas)

Ricardo Fernandes/Spia Photo


Compartilhe!