Compartilhe!

Jean Carlos jogou por 86 minutos, o maior tempo pós-Covid-19. Fotos: Caio Falcão/Náutico.

Neste início de Série B, já com três rodadas, o Náutico apresentou o seu melhor futebol no primeiro tempo contra o CRB. É quase praxe na mudança de comando técnico, mesmo que de forma interina, com Dudu Capixaba substituindo Dal Pozzo. Algumas alterações e um desempenho totalmente diferente. Pois foi o que aconteceu mesmo. Em vez do futebol burocrático e lento, o time variou as jogadas, conseguiu acelerar a troca de passes e investiu bem contra o adversário.

À parte de uma bola na trave dos alagoanos, num chute de fora da área numa rara chegada, a primeira metade foi do timbu, que foi para o intervalo vencendo com um gol de cabeça do zagueiro Camutanga, após escanteio cobrado pelo meia Jean Carlos – por sinal, a melhora passa diretamente pela presença efetiva camisa 10. Essa análise considera especificamente o 1T, pois no 2T a situação se inverteu. De forma quase literal, com o timbu acertando a trave e o CRB passando a ter mais volume de jogo, a ponto terminar a partida com 64% de posse.

Assim, o visitante também acabou finalizando mais nos 90 minutos, virando para 20 x 16 – no 1T, Náutico 11 x 7; no 2T, CRB 13 x 5, segundo o scout do SofaScore. Melhor a partir da entrada de Luidy, já na reta final, o CRB empatou aos 43 minutos, com Léo Gamalho escorando uma chute cruzado na pequena área, 1 x 1. O centroavante balançou as redes nas três rodadas, sendo, hoje, o artilheiro isolado da segundona, com 3 gols. O lance evitou a primeira vitória do alvirrubro pernambucano, que dá sequência à largada ruim no Brasileiro. Dos 9 pontos disputados, conquistou apenas 2, com dois empates nos Aflitos.

Escalação do Náutico (melhores: 1 Jean Carlos, 2 Erick; pior: Brítez)
Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga e Erick Daltro; Rhaldney, Jorge Henrique (Djavan, 25/2T) e Jean Carlos (Lucas PB, 41/2T); Erick (Kevyn, 41/2T), Salatiel (Josa, 41/2T) e Dadá Belmonte (Brítez, 26/2T). Técnico: Dudu Capixaba (interino)

Escalação do CRB (melhores: 1 Gamalho, 2 Luidy)
Victor Souza; Lucas Mendes (Reginaldo, intervalo), Gum, Xandão e Hugo; Washington, Carlos Jatobá (Thiaguinho, 16/2T) e Felipe Menezes (Diego Torres, 15/2T); Bill (Luidiy, 32/2T), Léo Gamalho e Erik (Magno Cruz, intervalo). Técnico: Marcelo Cabo

Histórico geral de Náutico x CRB (todos os mandos)
61 jogos
30 vitórias pernambucanas (49,1%)
15 empates (24,5%)
16 vitórias alagoanas (26,2%)

Curiosidade 1
Num período de 2 anos, Dudu Capixaba comandou o time profissional do Náutico pela 4ª vez. Em 2018, teve 1V e 1D na Série C. No início desta temporada esteve à frente do empate com o Afogados pelo Estadual, enquanto o grupo principal disputava a Copa do Brasil, no PR. Agora, outro empate, pela Série B, o seu principal torneio. Ao todo, 1V, 2E e 1D. Agora, volta a ser auxiliar-fixo.

Curiosidade 2
Contratado na véspera da partida contra o CRB, Gilson Kleina acompanhou o jogo pela tevê. O novo treinador do Náutico vai se encontrar com equipe apenas em Salvador, quando o time chegar para a partida pela 4ª rodada, contra o Vitória, programada para a próxima quarta-feira.

Curiosidade 3
Na transmissão do SporTV chamaram Léo Gamalho de “Ibrahimovic do Sertão”. Não foi a primeira vez, é verdade (no Google há menção de 2015). Porém, o atacante de 34 anos é gaúcho e nunca atuou num clube do Sertão. No interior da região, o local mais longe do litoral foi Arapiraca, que fica no Agreste. Ou seja, Nordeste = Sertão.

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, João de Andrade e Lucas Liausu):

Abaixo, assista aos gols do empate, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!