Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

O atacante Rafael Navarro, de 21 anos, fez 2 gols e chegou a 10 no BR. Foto: Vítor Silva/Botafogo.

Lá e lô, vitória por 3 x 1 do mandante. No 1º turno, o Náutico venceu o Botafogo no Recife e chegou a cinco vitórias seguidas. Na ocasião, o time pernambucano liderava a Série B, com 7 pontos a mais que os cariocas. Agora, no 2º turno, o Botafogo venceu o Náutico no Rio de Janeiro, se firmou no G4 e chegou a cinco vitórias seguidas. Além de abrir 9 pontos sobre os alvirrubros.

Ou seja, basicamente vimos uma inversão no placar, na campanha geral e no momento atual, com o Botafogo em franca ascensão, após a chegada de Enderson Moreira no lugar de Marcelo Chamusca, e com o Náutico sem indícios de melhora, mesmo após a substituição de Hélio dos Anjos por Marcelo Chamusca. Sim, Chamusca saiu derrotado nos dois jogos.

Neste, no Nilton Santos, o timbu entrou em campo com Iago Dias de “falso 9”, mostrando que a tarde seria mesmo difícil. Contudo, o visitante até surpreendeu, com marcação alta, forçando o contragolpe na cara do gol. Assim, abriu o placar logo aos 9 minutos, com Vinicius servindo para Jean Carlos. Essa dobradinha já tinha rendido três gols, todos com Vinícius finalizando. Desta vez a bola foi nos pés do camisa 10, o diferencial técnico do time.

No time atual, Jean é um diferencial cada vez mais dilatado, sendo isso, aqui, um mau sinal. O jogo dos alvirrubros mudou a partir dos 15 minutos, recuando as linhas, sem ganho efetivo. Só fez chamar o Botafogo, que terminou 20 x 10 em finalizações. Lembrando que o adversário tinha o melhor ataque, dividido com o Guarani, com 34 gols em 23 jogos. Agora, o Fogão tem 37 gols em 24 jogos, se isolando no quesito.

A virada veio com Oyama e Navarro, duas vezes, com o último gol aos 51/2T, com o Náutico na base do tudo ou nada. Um desespero que condiz com as últimas semanas no Brasileiro. Nos últimos 11 jogos o campeão pernambucano somou 1V, 3E e 7D, com apenas 18,1% de aproveitamento. Lanterna, o Brasil de Pelotas somou 22,2% dos pontos na campanha geral.

Náutico em 24 rodadas na Série B de 2021
Mandante (12 jogos, 20 pts e 55.5%): 5V, 5E e 2D
Visitante (12 jogos, 15 pts e 41.6%): 4V, 3E e 5D

A comparação da campanha com os acessos do timbu na Série B após 24 jogos
1º) 2011 – 44 pontos (12V, 8E e 4D; 2º lugar)
2º) 2006 – 41 pontos (12V, 5E e 7D; 1º lugar)
3º) 2021 – 35 pontos (9V, 8E e 7D; 8º lugar)

Escalação do Botafogo (melhores: Navarro e Chay)
Diego Loureiro; Daniel Borges, Kanu, Gilvan (Luiz Henrique, 32/2T)e Carlinhos; Barreto, Pedro Castro (Luís Oyama, 13/1T), Warley (Diego Gonçalves, intervalo), Chay (Mezenga, 32/2T) e Marco Antônio (Kayque, 36/2T); Rafael Navarro. Técnico: Luís Fernando Flores, interino (Enderson Moreira suspenso)

Escalação do Náutico (melhor: Jean; piores: Bryan e Iago)
Alex Alves; Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga e Bryan (Murillo, 13/2T); Djavan (Júnior Tavares, 13/2T), Matheus Trindade (Guilherme Nunes, 35/2T) e Jean Carlos; Luiz Henrique (Giovanny, 27/2T), Iago Dias (Marciel, 27/2T) e Vinícius. Técnico: Marcelo Chamusca

Histórico geral de Botafogo x Náutico (todos os mandos)
30 jogos
10 vitórias pernambucanas (33,3%)
4 empates (13,3%)
16 vitórias cariocas (53,3%)

A análise do Podcast 45 Minutos sobre a partida (do tempo 0h44 até 1h08):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •