Compartilhe!

Retrô (2) 0 x 1 (4) Náutico a final do PE 2022

Pedro Vítor fez o gol no tempo normal e forçou outra final nos pênaltis. Foto: FPF/divulgação.

De novo no limite, de novo nos pênaltis, de novo com a taça. Após vinte anos, o Náutico volta a ser bicampeão pernambucano. No ano passado, com uma campanha excelente e um ataque avassalador, o timbu levantou a taça com 75% de aproveitamento e 28 gols marcados. Em 2022, intercalando a tabela com o Nordestão, onde foi até a semifinal, o bi veio com 58% dos pontos e 16 gols. A campanha foi mesmo mais sofrida, com três treinadores diferentes em apenas doze jogos.

Começou com Hélio dos Anjos, que acabou substituído após três rodadas. Deu lugar a Felipe Conceição, que ficou à frente de sete partidas. Sem um bom padrão de jogo, também acabou demitido, com a última cartada sendo numa especialidade da casa, Roberto Fernandes. Em sua 5ª passagem no clube, chegou justamente para os dois jogos finais. Na estreia, nos Aflitos, derrota diante de 14.497 pessoas. Num trabalho às pressas, Roberto teve dois jogos da Série B para testar nomes e poupar destaques, como Jean Carlos. Pois venceu os dois compromissos, se recuperando no Brasileiro, e injetou confiança para a finalíssima na Arena Pernambuco.

Apesar do mando do Retrô, a imensa maioria dos 18.613 torcedores presentes foi naturalmente formada por alvirrubros, que empurraram o time para a virada na decisão sobre o clube-empresa. O time estava obrigado a vencer por 2 gols de diferença para ficar com o troféu prateado no tempo normal ou por 1 gol para forçar a disputa de pênaltis. Dito isso, o roteiro até o lance definitivo para o bicampeonato em 2021/2022, que passou dos 90 minutos na decisão, serviu para balizar a memória alvirrubra sobre uma reviravolta daquelas.

O roteiro tenso da final na Arena PE

Disposto ao ataque, como preza Roberto, o Náutico jogou muita intensidade nos 15 primeiros minutos, mas sem conseguir uma chance real mesmo tendo 62% de posse de bola. Logo depois a situação alvirrubra complicou de vez, com a expulsão de Jean Carlos após revisão do VAR. O camisa 10 acertou o rosto de Yuri Bigode e a árbitra Deborah Cecília acertou ao mostrar o vermelho. Exatamente por isso o lado psicológico do time poderia ser afetado.

Só que mesmo com um a menos o volume de jogo não mudou, jogando com a determinação necessária numa tarde tão importante. Além disso, o VAR voltou a ser protagonista nos acréscimos do 1T, com outra revisão correta, num pênalti cometido por Pedro Costa e que acabou convertido por Pedro Vítor aos 51 minutos. O gol igualou a decisão, 0 x 1 lá e 0 x 1 cá. Assim, o 2T foi bem mais amarrado, com os dois times nervosos, com medo de ser expor.

Perri, o herói de 2022

O resultado acabou levando mesmo para os pênaltis, pela 4ª vez seguida numa final do Pernambucano. E aí Lucas Perri brilhou, justificando o status de melhor jogador do clube neste ano. O goleiro emprestado pelo São Paulo pegou as cobranças de Charles e Pedro Costa e pavimentou o caminho para a conquista, com Júnior Tavares batendo com calma para fazer 4 x 2, com o Retrô batido duas vezes no sábado. Lance na barra diante dos alvirrubros que acreditaram, e pagaram caro, recuperando toda a confiança em 2022, com a faixa. De novo!

Escalação do Retrô (melhor: Jean; pior: Pedro Costa)
Jean; Renan Dutra, Guilherme Paraíba e Yuri Bigode (João Guilherme); Charles, Gelson (Alencar), Pedro Costa, Mayk (Augusto Potiguar) e Renato Henrique; Gustavo Ermel (Guilherme Santos) e Radsley (Rodrigo Fumaça). Técnico: Dico Woolley

Escalação do Náutico (melhores: Perri, Hereda e Pedro Vítor; pior: Jean Carlos)
Lucas Perri; Hereda, Carlão, Camutanga e Júnior Tavares; Ralph (Djavan), Rhaldney (Richard Franco), Eduardo Teixeira (Ewandro) e Jean Carlos; Pedro Victor (Robinho) e Léo Passos (Leandro Carvalho). Técnico: Roberto Fernandes

Os cinco duelos na história, todos pelo PE (2V do timbu, 1E e 2V da fênix)
1º) 08/03/2020 – Náutico 2 x 2 Retrô (Aflitos)
2º) 11/04/2021 – Retrô 1 x 4 Náutico (Arena PE)
3º) 09/02/2022 – Náutico 1 x 2 Retrô (Aflitos)
4º) 21/04/2022 – Náutico 0 x 1 Retrô (Aflitos)
5º) 30/04/2022 – Retrô (2) 0 x 1 (4) Náutico (Arena PE)

A campanha do campeão pernambucano de 2022 (e a campanha do bi em 2021/2022)
12 jogos (24 jogos)
6 vitórias (14 vitórias)
3 empates (6 empates)
3 derrotas (4 derrotas)
16 gols marcados (44 gols marcados)
9 gols sofridos (23 gols sofridos)

As 28 conquistas oficiais do Náutico
1 título da Série C do Brasileiro: 2019
3 títulos da Taça Norte: 1965, 1966 e 1967 (tri)
24 títulos do Campeonato Pernambucano: 1934, 1939, 1945, 1950, 1951, 1952 (tri), 1954, 1960, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967, 1968 (hexa), 1974, 1984, 1985 (bi), 1989, 2001, 2002 (bi), 2004, 2018, 2021 e 2022 (bi)

Leia mais sobre o assunto
O ranking de títulos pernambucanos em 108 edições, com o Náutico campeão sobre o Retrô

O ranking com os 30 clubes mais valiosos do Brasil; Náutico é o 6º mais valioso do NE

Abaixo, assista ao gol que valeu a taça do PE 2022, num vídeo do perfil do Náutico no Twitter.


Compartilhe!