Compartilhe!

O goleiro de 21 anos pegou as suas primeiras cobranças em disputas. Foto: Rafael Melo/Santa Cruz.

Campeão da década no futebol pernambucano, o Santa Cruz está a um passo de ampliar a marca. Campeão em 11, 12, 13, 15 e 16, o tricolor disputará o título de 2020 com a sua melhor campanha no período. Afinal, o time bem comandado por Itamar Schulle chega invicto à decisão, com 8 vitórias e 2 empates. Caso conquiste o título desta maneira, repetirá um feito obtido pelo clube pela última (e única) vez em 1932! Para avançar a estar etapa, aguardando por Salgueiro ou Afogados, os corais eliminaram o Náutico nos pênaltis, num jogo bem disputado na Arena Pernambuco.

No tempo normal o jogo terminou 0 x 0, mas até com alguma dose de emoção, emulando o tradicional apelido do clássico. O tricolor, o “mandante”, apesar do cenário de portões fechados em São Lourenço, acertou uma bola na trave com Didira e desperdiçou um pênalti com Pipico, que já havia perdido um nas quartas de final do Nordestão, há quatro dias. Artilheiro do Estadual, Pipico teria a chance de se redimir nas penalidades pouco depois. Aliás, muita gente apareceu. Foram 16 cobranças, com o Santa fechando a série em 7 x 6.

Brilhou a estrela do jovem goleiro Maycon Cleiton (disparado a revelação do campeonato e provável titular na seleção oficial), que pegou as cobranças de Thiago e Djavan. O Santa poderia ter fechado ainda na série normal, mas Fabiano, que destoa na equipe, bateu de forma bisonha, com Jefferson pegando no meio do gol. Acabou não fazendo diferença, com o time do Arruda voltando à decisão após três anos ausente. Neste caso, pelo retrospecto na década, fica o aviso ao futuro adversário: quando chega, leva a taça. Até aqui, 5 em 5.

Curiosidade 1
Este foi o último clássico pernambucano nesta década, no período de 2011 a 2020. Neste recorte, este foi, também, o 5º mata-mata entre Santa e Náutico. E o scout terminou 5 x 0 para os corais, que avançaram nas semifinais estaduais em 2013, 2016 e 2020, ganharam a disputa de 3º lugar em 2017 e ainda avançaram na Copa do Brasil de 2019, no “Jogo do Milhão”, também nos pênaltis.

Curiosidade 2
Em 105 edições até hoje, o campeão pernambucano terminou de forma invicta 12 vezes, com Sport (4x), Náutico (3x), Tramways (2x), Flamengo (1x, logo no primeiro ano, em 1915), Torre (1x) e o próprio Santa (1x, há 88 anos). No caso coral, um feito único, com 100% (12 vitórias em 12 jogos).

Curiosidade 3
Eliminado na semifinal, o Náutico agora irá “torcer” pelo título do Santa para poder ir ao Nordestão de 2021. Pernambuco tem 3 vagas, sendo 2 pelo Ranking da CBF de 2020 (Sport e Santa) e 1 pelo título estadual. Caso o Santa seja campeão, “abrirá” a vaga ao ranqueado seguinte, o Náutico. Caso o título fique com o time do interior, o timbu estará fora do próximo regional.

Escalação do Santa Cruz (melhores: 1 Maycon, 2 Didira; piores: Pipico e William Alves)
Maycon Cleiton; Toty, William Alves (Célio Santos, 20/2T), Danny Morais e Fabiano; André, Paulinho e Didira (Tinga, 33/2T); Derlis Alegre (João Cardoso, 39/2T), Pipico e Victor Rangel (Jeremias, 23/2T). Técnico: Itamar Schulle

Escalação do Náutico (melhor: Jorge Henrique; piores: Carlão e Erick)
Jefferson; Hereda, Carlão, Rafael Ribeiro e Willian Simões (Erick Daltro, 33/2T); Rhaldney (Wagninho, 33/2T), Jhonnatan (Jean Carlos, 28/2T) e Jorge Henrique (Djavan, 20/2T); Thiago, Kieza e Erick. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Histórico geral do Clássico das Emoções (todos os mandos)
529 jogos
203 vitórias do Santa (38,3%)
156 empates (29,4%)
169 vitórias do Náutico (31,9%)
1 placar desconhecido (em 1931)

Santa Cruz como mandante na Arena Pernambuco
24 jogos
13 vitórias
8 empates
3 derrotas
65,2% de aproveitamento

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Diego Borges, João de Andrade e Lucas Liausu):


Compartilhe!