Compartilhe!
  •  
  • 5
  •  
  •  

O estádio no Distrito Federal recebeu a final do Mundial Sub 17 em 2019. Foto: Fifa/divulgação.

Na tabela original, o clássico entre Treze e Botafogo, pela Copa do Nordeste de 2021, estava programado para o dia 28 de março, em Campina Grande. Entretanto, o avanço da Covid-19 na Paraíba levou o governo do estado a suspender as atividades do futebol, com o jogo sendo adiado. A ideia era transferir a partida para o dia 7 de abril, no mesmo local, o Estádio Amigão. Só que a direção da CBF surpreendeu e marcou o jogo para o dia 1º de abril. Fora da Paraíba.

Durante o dia até se ventilou a possibilidade de realizar o clássico no Grande Recife, na Arena Pernambuco ou no Arruda – teria sido uma saída até mais simples. Contudo, o jogo acabou programado em Brasília. Isso mesmo, a 1.619 km a cidade-sede. O jogo será no Estádio Valmir Bezerra, o Bezerrão, a casa do Gama. O estádio com capacidade para 14.700 pessoas passou por uma reforma recente, recebendo aval da Fifa para o torneio juvenil.

Por um motivo de força maior, este clássico acaba entrando na história como o primeiro jogo do Nordestão fora do Nordeste em 18 edições. Algo que, no futuro, até poderia ser pensado numa situação regular, e não pela busca de brechas em estados durante uma pandemia. A realização de jogos em outras praças vem sendo uma alternativa comercial até recorrente, em diversas escalas e modalidades. No futebol, as Supercopas da Itália (na China, Catar e Arábia Saudita) e da Espanha (na Arábia Saudita) já tiveram edições no exterior. O clássico Grenal, válido pelo Campeonato Gaúcho, já ocorreu em Rivera, uma cidade uruguaia na fronteira com o RS. Nota-se que são jogos de apelo, para o público local e para a TV, com finais ou clássicos.

O que você acha da ideia de clássicos em outras praças? Abaixo, relembre casos históricos no NE.

Os clássicos pernambucanos fora de PE
Somando os três duelos centenários envolvendo Náutico, Santa Cruz e Sport, o número passa de 1,5 mil jogos. Deste total, apenas 3 ocorreram fora do estado, com uma versão de cada. Foram três amistosos. Em 1951, o Clássico das Multidões (Sport x Santa) ocorreu em João Pessoas (PB), com empate em 0 x 0. Em 1975, o Clássico das Emoções (Santa x Náutico) ocorreu em Natal (RN), com o timbu fazendo 2 x 1 no antigo Machadão. Em 1976, o Clássico dos Clássicos (Náutico x Sport) inaugurou Estádio Ruberleno Oliveira, em Paulo Afonso (BA). Deu leão, 2 x 0.

O clássico cearense fora de CE
Demorou mais de um século para que o Clássico-Rei saísse do estado pela primeira vez. Até então, o máximo havia sido a disputa de seis partidas no interior, a última em 2000, em Sobral. Pois Ceará e Fortaleza fizeram um jogo enorme em Pituaçu, em Salvador (BA), valendo pela semifinal da Copa do Nordeste de 2020. O vozão ganhou por 1 x 0, com gol do zagueiro Klaus – e arrancou para o título. O motivo foi o mesmo de agora, a Covid-19, com a Bahia recebendo os jogos restantes da edição.

O clássico baiano foi no máximo ao interior
Com quase 500 jogos, o Ba-Vi nunca ocorreu fora da Bahia. À parte dos palcos em Salvador, o duelo já se aventurou algumas vezes no interior, passando por Feira de Santana, Camaçari e Ilhéus.


Compartilhe!
  •  
  • 5
  •  
  •