Compartilhe!

Em Pernambuco, quanto mais longe do litoral, menos torcedores do trio de ferro.

Há bastante tempo, e estou falando de séculos, a população pernambucana se concentra nas áreas mais próximas ao litoral. Do Recife até a Zona da Mata, tendo como limite a distância de 115 km, são cerca de 5,5 milhões de habitantes, ou 56,9% do total. Neste cenário, com três mesorregiões (Capital, Região Metropolitana e Zona da Mata), o domínio das torcidas locais ainda é considerável. O Sport lidera nos três cenários, com vice-liderança do Santa Cruz. O Náutico aparece na 3ª colocação em dois cenários, perdendo para o Corinthians apenas na Zona da Mata.

A aparição do alvinegro paulista já é um “spoiler” do restante do estado. Seguindo pelo interior, com distâncias de até 700 km, a queda é bem acentuada, com liderança do Corinthians no Agreste e do Flamengo no Sertão – esta com bastante folga. É o que mostra a pesquisa produzida pelo Instituto Múltipla, que ouviu 1.000 pessoas entre 28 de agosto e 1º de setembro, proporcionando uma margem de erro de 3,1% – em termos estatísticos, esta amostragem já é interessante, embora esteja bem abaixo do recorde local, com 3.363 entrevistas no estudo do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau, em 2009.

A pesquisa de torcida da Múltipla em Pernambuco, em 2021, já havia sido abordada no blog, com Sport (19,3%), Santa (8,9%), Flamengo (6,0%) e Náutico (5,8%) entre as maiores. Esta nova publicação, então, vai além, com a estratificação dos números, por mesorregião e por sexo, dando mais elementos para a análise do quadro atual no futebol do estado.

A seguir, confira sete quadros secundários da pesquisa, sendo cinco por mesorregião e dois por sexo, além de observações do blog. Cabe pontuar que o instituto divulgou apenas os percentuais, com a projeção absoluta de torcedores (e não torcedores) sendo feita pelo blog, a partir da estimativa populacional do IBGE em 2021, com 9,674 milhões de pernambucanos.

Recife
População estimada: 18,0% (1,741 mi)
Público: 180 entrevistados
1º) Sport – 39,4% (685.954)
2º) Santa Cruz – 16,1% (280.301)
3º) Náutico – 9,4% (163.654)
4º) Flamengo – 2,2% (38.302)
5º) Palmeiras – 1,1% (19.151)
Outros times – 1,1% (19.151)
Sem clube – 30,7% (534.487)

Numa comparação com o levantamento anterior do Instituto Múltipla, de 2018, a soma de rubro-negros, tricolores e alvirrubros passou de 51,8% para 64,9%, com quase 40% do total só com o Sport. Entre os motivos da alta, além da margem de erro e de resultados recentes, valeu a redução da parcela que não torce por ninguém, que caiu de 43% para 30%. Aqui, o cenário do trio de ferro é completamente consolidado. O Flamengo reapareceu como o “time de fora” com mais torcedores, e com um percentual bem semelhante. Passou de 1,8% para 2,2%.

Região Metropolitana (sem o Recife)
População estimada: 24,2% (2,341 mi)
Público: 242 entrevistados
1º) Sport – 29,3% (685.913)
2º) Santa Cruz – 15,3% (358.173)
3º) Náutico – 10,7% (250.487)
4º) Corinthians – 0,8% (18.728)
5º) Flamengo – 0,4% (9.364)
5º) São Paulo – 0,4% (9.364)
Outros times – 0,8% (18.728)
Sem clube – 42,3% (990.243)

Os três grande de PE seguem com mais da metade da preferência nos demais municípios da região metropolitana. A soma dá 55,3%, quase a mesma da pesquisa anterior, com 53,7%. A influência de outros estados segue baixa. Aqui, nenhum outro clube alcançou sequer 1%. Considerando o Grande Recife, com capital + região metropolitana, a população corresponde a 42% de PE, com a ordem sendo Sport, Santa e Náutico.

Zona da Mata
População estimada: 14,7% (1,422 mi)
Público: 147 entrevistados
1º) Sport – 18,4% (261.648)
2º) Santa Cruz – 8,2% (116.604)
3º) Corinthians – 5,4% (76.788)
4º) Náutico – 4,8% (68.256)
5º) Flamengo – 2,0% (28.440)
5º) Palmeiras – 2,0% (28.440)
7º) São Paulo – 1,4% (19.908)
Outros times – 4,1% (58.302)
Sem clube – 53,7% (763.614)

Partindo do Marco Zero, a Zona da Mata é a última mesorregião com domínio de um clube pernambucano. Com 18%, tendo 10 pontos percentuais a mais que o 2º lugar, o Sport aparece com uma liderança estável a curto/médio prazo. Na verdade, neste momento, a posição mais ameaçada é a da vice-liderança, com o Santa tendo 2,8 pontos percentuais à frente do Corinthians, num dado inferior à margem de erro.

Agreste
População estimada: 25,2% (2,438 mi)
Público: 252 entrevistados
1º) Corinthians – 8,3% (202.354)
2º) Sport – 7,9% (192.602)
3º) Palmeiras – 7,5% (182.850)
4º) Flamengo – 4,4% (107.272)
5º) Santa Cruz – 3,6% (87.768)
6º) Náutico – 2,8% (68.264)
7º) São Paulo – 2,4% (58.512)
Outros times – 1,2% (29.256)
Sem clube – 61,9% (1.509.122)

O crescimento do Corinthians pode ser visto, a partir do distanciamento do Recife através da rodovia BR-232, com o 4º lugar na Região Metropolitana, o 3º lugar na Zona da Mata e o 1º lugar no Agreste. Numa mesorregião com 1/4 da população do estado, o clube de São Paulo já tem mais de 200 mil torcedores. Contudo, esta é a liderança mais apertada de todas, pois o Sport está a apenas 0,4 ponto – por sinal, a maior diferença geral foi no Recife, com 23,3 pontos percentuais.

Sertão
População estimada: 17,9% (1,731 mi)
Público: 179 entrevistados
1º) Flamengo – 23,5% (406.785)
2º) Corinthians – 10,1% (173.831)
3º) São Paulo – 6,7% (115.977)
4º) Palmeiras – 3,9% (67.509)
5º) Sport – 2,2% (38.082)
6º) Santa Cruz – 1,1% (19.041)
7º) Náutico – 0,6% (10.386)
Outros times – 5,6% (96.936)
Sem clube – 46,3% (801.453)

Nas quatro mesorregiões anteriores, o Flamengo oscilou entre 4º (Recife e Agreste) e 5º lugar (Região Metropolitana e Zona da Mata). No Sertão, porém, o rubro-negro carioca toma a dianteira de maneira absoluta. Já era assim e aumentou em três anos, de 18,5% para 23,5%, no embalo do ótimo desempenho nos gramados. A vantagem atual sobre o 2º lugar entre os torcedores sertanejos, que já não é um time pernambucano, é de 13,4%, bem acima da margem de erro. Esta força do Fla na região mais distante de PE valeu inclusive o pódio geral, com o 3º lugar, à frente do Náutico pela primeira vez, segundo a Mútipla.

Por fim, confira os perfis de torcedores entre homens e mulheres, numa diferença bem considerável.

Homens
População estimada: 46,2% (4,469 mi)
Público: 462 entrevistados
1º) Sport – 22,9% (1.023.401)
2º) Santa Cruz – 11,9% (531.811)
3º) Náutico – 9,3% (415.617)
4º) Flamengo – 8,9% (397.741)
5º) Corinthians – 4,8% (214.512)
6º) Palmeiras – 3,9% (174.291)
7º) São Paulo – 2,6% (116.1954)
Outros times – 3,4% (151.946)
Sem clube – 32,3% (1.443.487)

Mulheres
População estimada: 53,8% (5,205 mi)
Público: 538 entrevistadas
1º) Sport – 16,2% (843.210)
2º) Santa Cruz – 6,3% (327.915)
3º) Corinthians – 5,0% (260.250)
4º) Flamengo – 3,5% (182.175)
5º) Náutico – 2,8% (145.740)
6º) Palmeiras – 2,6% (135.330)
7º) São Paulo – 1,7% (88.485)
Outros times – 1,3% (67.665)
Sem clube – 60,6% (3.154.230)

No quadro por sexo é possível entender melhor a parcela elevada de “não torcedores”. Em Pernambuco existem mais mulheres que homens, numa diferença bruta de 736 mil pessoas. Se no público masculino o futebol desenvolveu algum tipo de paixão clubístitca em 67,7%, com o Náutico figurando no pódio, no feminino este dado é de apenas 39,4%, com o timbu caindo para 5º lugar – no geral, o clube ficou em 4º. Ou seja, não é apenas uma questão de promover ações no interior, mas também de cativar o público feminino em todas as regiões possíveis do estado.


Compartilhe!