Compartilhe!

A atualização da lista de campeões nacionais no futebol brasileiro, com 22 clubes presentes.

Ao virar sobre o Bahia na Fonte Nova, fazendo 3 x 2 com três gols em cinco minutos, o Atlético Mineiro chegou a 25 vitórias em 36 jogos na campanha e voltou a conquistar o título do Brasileirão após 50 anos.

Campeão em 1971, o galo bateu várias vezes na trave até obter o tão sonhado bicampeonato. Foi vice em cinco oportunidade, sendo duas vezes já nos pontos corridos, em 2012 e 2015. Agora, em 2021, com nomes como Hulk, Nacho Fernández e Diego Costa, contratados a partir dos investimentos do bilionário Rubens Menin, conselheiro do clube, o time de BH desbancou o então favorito Flamengo, que buscava o tri seguido.

Na galeria atleticana, esta foi a 3ª conquista de porte nacional, somando ainda com a Copa do Brasil de 2014, numa final contra o arquirrival Cruzeiro. Com isso, se descolou de quatro clubes com dois títulos, Bahia, Botafogo, Sport e Athletico Paranaense, e se isolou em 11º lugar – abaixo, confira o ranking completo. Muito em breve poderá subir mais um degrau no ranking de títulos nacionais de elite, no levantamento do blog. Nos dias 12 e 15 de dezembro, o clube enfrentará o Furacão na decisão da Copa do Brasil de 2021. Logo, ou o Atlético-MG encostará no Internacional, com 4, ou o Athletico-PR encostará no próprio Atlético, com 3.

E tem mais. O título da Série A garantiu o clube na Supercopa do Brasil de 2022, que será disputada em jogo único em 20 de fevereiro, em campo neutro. Estreando neste torneio, o galo enfrentará o vencedor da copa nacional. Caso termine a temporada ganhando as duas principais taças (BR e Copa), o adversário na Supercopa será o vice-campeão brasileiro – assim como o Atlético foi campeão antecipado, o Flamengo também já se garantiu como vice. Num comparativo entre os estados, ainda vale pontuar que o título brasileiro de 2021 colocou Minas Gerais em 13º lugar, ao lado do Rio Grande do Sul, ambos com 13 taças.

Sobre a lista de “estrelas douradas”, o critério soma as competições nacionais organizadas pela CBF que indicaram os respectivos campeões à Libertadores. É assim com a Série A (1971/2021) e a Copa do Brasil (1989/2020) e foi assim em três torneios extintos, a Taça Brasil (1959/1968), o Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967/1970) e a Copa dos Campeões (2000/2002). Não é o caso da Supercopa, um jogo com R$ 7 milhões em premiação, mas sem vaga internacional. Porém, o caráter oficial do torneio, recriado há dois anos, acabou justificando a entrada na lista – inclusive de forma retroativa, com as edições em 1990 e 1991.

Portanto, o futebol brasileiro já consagrou 22 campeões nacionais em 104 disputas organizadas pela CBF e por sua precursora, a CBD, ao longo de 63 temporadas. A evolução de vencedores inéditos vai do pioneiro Bahia, na Taça Brasil de 1959, ao Paulista de Jundiaí, a última novidade da lista, na Copa do Brasil de 2005. Entendo que cada torneio tem um peso distinto em história, dificuldade, número de jogos etc. Porém, em vez de definir um valor específico para cada um (algo subjetivo, à parte do Brasileirão), optei por diferenciar os clubes com o mesmo nº de títulos de acordo com o último troféu, com vantagem ao mais antigo.

Observação
Antes de qualquer discussão sobre o Campeonato Brasileiro de 1987, vale ressaltar que esta lista aponta os vencedores reconhecidos, oficialmente, pela entidade, independentemente da visão de outras mídias com critérios paralelos ao objeto oficial. Ou seja, só há um campeão, o Sport.

Nº de competições contabilizadas (1959-2021), até 02/12/2021
51 vezes – Série A
32 vezes – Copa do Brasil
10 vezes – Taça Brasil
4 vezes – Torneio Roberto Gomes Pedrosa e Supercopa do Brasil
3 vezes – Copa dos Campeões

Ranking de títulos nacionais por clube
1º) 15x – Palmeiras (A: 72, 73, 93, 94, 16 e 18; R: 67 e 69; CB: 98, 12, 15 e 20; TB: 60 e 67; CC: 00)
2º) 13x – Flamengo (A: 80, 82, 83, 92, 09, 19 e 20; CB: 90, 06 e 13; CC: 01; S: 20 e 21)
3º) 11x – Corinthians (A: 90, 98, 99, 05, 11, 15 e 17; CB: 95, 02 e 09; S: 91)
4º) 10x – Cruzeiro (A: 03, 13 e 14; CB: 93, 96, 00, 03, 17 e 18; TB: 66)
5º) 9x – Santos (A: 02 e 04; R: 68; CB: 10; TB: 61, 62, 63, 64 e 65)
6º) 8x – Grêmio (A: 81 e 96; CB: 89, 94, 97, 01 e 16; S: 90)
7º) 6x – São Paulo (A: 77, 86, 91, 06, 07 e 08)
8º) 5x – Vasco (A: 74, 89, 97 e 00; CB: 11)
8º) 5x – Fluminense (A: 84, 10 e 12; R: 70; CB: 07)
10º) 4x – Internacional (A: 75, 76 e 79; CB: 92)
11º) 3x – Atlético-MG (A: 71 e 21; CB: 14)
12º) 2x – Bahia (A: 88; TB: 59)
12º) 2x – Botafogo (A: 95; TB: 68)
12º) 2x – Sport (A: 87; CB: 08)
12º) 2x – Athletico-PR (A: 01; CB: 19)
16º) 1x – Guarani (A: 78)
16º) 1x – Coritiba (A: 85)
16º) 1x – Criciúma (CB: 91)
16º) 1x – Juventude (CB: 99)
16º) 1x – Paysandu (CC: 02)
16º) 1x – Santo André (CB: 04)
16º) 1x – Paulista (CB: 05)

Ranking de títulos nacionais por estado
1º) 44x – São Paulo (A 22; R 3; CB 10; TB 7; CC 1; S 1)
2º) 25x – Rio de Janeiro (A 15; R 1; CB 5; TB 1; CC 1; S 2)
3º) 13x – Rio Grande do Sul (A 5; CB 7; S 1)
3º) 13x – Minas Gerais (A 5; CB 7; TB 1)
5º) 3x – Paraná (A 2; CB 1)
6º) 2x – Bahia (A 1; TB 1)
6º) 2x – Pernambuco (A 1; CB 1)
8º) 1x – Santa Catarina (CB 1)
8º) 1x – Pará (CC 1)

Legenda: Série A (A), Torneio Roberto Gomes Pedrosa (R), Copa do Brasil (CB), Taça Brasil (TB), Copa dos Campeões (CC), Supercopa do Brasil (S)

A cronologia da liderança de títulos nacionais de elite
1959 – Bahia (1)
1960 – Bahia e Palmeiras (1)
1961 – Bahia, Palmeiras e Santos (1)
1962-1972 – Santos (indo de 2 a 6)
1973-1992 – Santos e Palmeiras (6)
1993-2021 – Palmeiras (indo de 7 a 15)

Vale lembrar que outros sete torneios de âmbito nacional, também organizados pela principal entidade do país, já foram disputados no país, quase todos já descontinuados, como o Torneio do Povo (71, 72 e 73) e o Torneio dos Campeões (20, 37 e 82). Detalhei cada cenário aqui.


Compartilhe!