Compartilhe!
  •  
  • 28
  •  
  •  

Os dez clubes do NE que somaram mais pontos em toda a história. O Sport subiu uma posição.

Ao longo de 62 anos (e 64 edições), 42 clubes do Nordeste já participaram do Campeonato Brasileiro, quatro deles na última competição. O período desde 1959 considera a unificação oficializada pela CBF em 2010. Assim, temos a Série A (1971-2020), a Taça Brasil (1959-1968) e o Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967-1970), todos em formatos distintos. Em termos de competitividade, a participação do NE variou bastante, com números consistentes logo na primeira década.

Ao todo, 15 clubes da região já terminaram entre os 10 primeiros colocados. Só o estado do Rio Grande Norte ainda não emplacou uma classificação do tipo. Foram 69 campanhas neste contexto, sendo que em 19 delas os times chegaram à semi. No auge, três títulos nacionais e seis vices. A última “atualização” foi em 2019, com o Fortaleza ficou em 9º, no seu primeiro “top ten””em 51 anos. Em termos de pontuação, porém, houve mudança no ranking após o encerramento do Brasileirão de 2020. Abaixo, você confere as listas de colocações e pontos.

Ao somar 42 pontos, acabando em 15º no BR, o Sport ultrapassou o Vitória e assumiu a vice-liderança, tanto no cenário unificado quanto no recorte da “Série A”. A tendência é que o leão de pernambucano tome a ponta do leão baiano nos pontos corridos em 2021, pois a diferença é de 6 pontos. No quadro absoluto, o Bahia ampliou a vantagem sobre o vice-líder (agora, o Sport), de 148 para 153 pontos. Já na “Série A”, aparece na liderança pelo segundo ano, aumentando a vantagem de 11 para 29 pontos – em 2020, o clube fez 44, ficando em 14º no BR. Por fim, a ultrapassagem da dupla cearense sobre o Náutico nos pontos corridos, com o timbu caindo do 4º para o 6º. O Fortaleza (41 pontos e 16º no BR) passa a fechar o G4, com o Ceará (52 pontos no BR, a sua maior marca, terminando em 11º) a apenas 15 pontos do rival.

Para uniformizar o ranking, com cinco cenários, a vitória vale três pontos em todos os jogos – no futebol do país, oficialmente, esta contagem começou em 1995. Já na lista de colocações, vale a melhor. Em caso de empate, mais campanhas naquela posição final e assim por diante.

Nordestinos na elite em 2021: Bahia, Ceará, Fortaleza e Sport.

BRASILEIRÃO UNIFICADO (1959-2020; 64 edições)
A unificação ocorreu em 22 de dezembro de 2010, após a aprovação por parte da CBF de um estudo produzido pelo jornalista Odir Cunha. Assim, o Bahia tornou-se, de fato e de direito, bicampeão brasileiro – além do status de primeiro campeão nacional no país, em 1959. O tricolor soteropolitano ainda foi vice outras duas vezes, diante do Santos, obtendo os melhores resultados da região. Porém, somando todas as colocações no “top ten”, segue com uma campanha a menos que o Sport, que desempatou ao emplacar a 14ª em 2015, ao terminar a Série A em 6º lugar. Dominando o cenário pernambucano na década de 1960, o Náutico somou mais seis campanhas (incluindo cinco no G4!), ocupando o 4º lugar geral. Justamente por ter disputado apenas uma vez a Taça Brasil, o Santa figura em 7º, mesmo tendo resultados melhores que os cearenses na Série A.

As 69 campanhas do NE entre os 10 primeiros (era unificada):
1º) Bahia (13x) – 1º (59/88), 2º (61/63), 4º (90), 5º (60/68/86), 7º (78/94), 8º (76/01) e 10º (62)
2º) Sport (14x) – 1º (87), 4º (62), 5º (59/63/85/00), 6º (15), 7º (88/98), 8º (78/83), 9º (82) e 10º (81/96)
3º) Fortaleza (5x) – 2º (60/68), 6º (61/65) e 9º (19)
4º) Náutico (7x) – 2º (67), 3º (65/66), 4º (61/68), 6º (84) e 7º (64)
5º) Vitória (11x) – 2º (93), 3º (99), 5º (13) 7º (66), 8º (65/74/79), 9º (97) e 10º (73/02/08)
6º) Ceará (5x) – 3º (64), 7º (59/62/85) e 8º (63)
7º) Santa Cruz (4x) – 4º (60/75), 5º (78) e 10º (77)
8º) Campinense (2x) – 5º (62) e 10º (61)
9º) Fluminense de Feira (1x) – 6º (64)
10º) América-CE (1x) – 7º (67)
11º) Moto Club (2x) – 8º (68) e 9º (60)
12º) Treze (1x) – 8º (67)
13º) Confiança (1x) – 9º (64)
14º) Capelense (1x) – 10º (60)
14º) Piauí (1x) – 10º (68)

SÉRIE A (1971-2020; 50 edições)
O Campeonato Brasileiro, com esta alcunha, foi iniciado em 1971, com 20 clubes, sendo quatro da região: Bahia, Ceará, Santa e Sport. A partir dali, foram 32 regulamentos diferentes até 2002. No ano seguinte seria implantado o sistema de pontos corridos. Em termos de resultados, há de se destacar o fim dos anos 80, quando Recife e Salvador levaram a “taça das bolinhas”, o troféu mais conhecido, com o Sport em 1987 e o Bahia em 1988. Vitória, vice em 1993, e Santa, semifinalista em 1975, também conseguiram grandes resultados. Desde 1988 há acesso e descenso, período no qual apenas nove times conseguiram disputar a elite (Vitória 24x, Sport 23x, Bahia 22x, Náutico 11x, Santa 6x, Ceará 6x, Fortaleza 6x, América-RN 3x e CSA 1x).

As 33 campanhas do NE entre os 10 primeiros (Série A):
1º) Bahia (7x) – 1º (88), 4º (90), 5º (86), 7º (78/94) e 8º (76/01)
2º) Sport (11x) – 1º (87), 5º (85/00), 6º (15), 7º (88/98), 8º (78/83), 9º (82) e 10º (81/96)
3º) Vitória (9x) – 2º (93), 3º (99), 5º (13) 8º (74/79), 9º (97) e 10º (73/02/08)
4º) Santa Cruz (3x) – 4º (75), 5º (78) e 10º (77)
5º) Náutico (1x) – 6º (84)
6º) Ceará (1x) – 7º (85)
7º) Fortaleza (1x) – 9º (19)

A seguir, o ranking histórico dos clubes do Nordeste no Brasileirão, de 1959 a 2020, com cinco recortes possíveis: período unificado, Série A, Taça Brasil, Robertão e pontos corridos, que não foi um campeonato à parte, mas sim o sistema atual, em vigor desde 2003.

Obs. Caso o leitor queira uma estatística ordenada sobre cada coluna do quadro, basta clicar na setinha no tópico das colunas, tanto para cima (+) ou para baixo (-). Basta escolher.


Compartilhe!
  •  
  • 28
  •  
  •