Compartilhe!

Dados atualizados até 18 de dezembro de 2018

Historicamente, as eleições presidenciais nos grandes clubes de Pernambuco sempre focaram mandatos de dois anos no comando executivo. Durante décadas o sistema funcionou desta forma, de biênio em biênio, sempre no fim do ano. Somente em 2014 houve uma mudança, no Santa Cruz, com a implantação do triênio.

Em relação ao formato de disputa, o último clube a adotar a eleição direta, com a participação de todos os sócios titulares, foi o Náutico. Até 2011, apenas os membros do Conselho Deliberativo podiam votar em Rosa e Silva – não chegava a 200 pessoas aptas. Paralelamente à luta pela modernização dos estatutos, os clubes convivem com seguidos embates políticos. Se até os anos 1990 a formação do “consenso” era quase uma regra no processo eleitoral, hoje em dia o bate-chapa se tornou quase inerente às urnas nos Aflitos, no Arruda e, sobretudo, na Ilha do Retiro, que já contou até com urnas eletrônicas, com 21 equipamentos utilizados em 2000. Tão raro quanto o consenso é a vitória da oposição…

Abaixo, os recordes nas disputas para presidente nos grandes clubes da capital.

As 5 eleições mais acirradas
1º) 50,32% x 49,67% – Náutico 2015 (Marcos Freitas eleito com 777)
2º) 52,02% x 47,97% – Santa Cruz 2006 (Edson Nogueira eleito com 731)
3º) 57,27% x 42,72% – Sport 2012 (Luciano Bivar eleito com 1.971)
4º) 61,75% x 38,24% – Sport 2016 (Arnaldo Barros eleito com 2.509)
5º) 62,09% x 37,90% – Sport 1986 (Homero Lacerda eleito com 1.381)

As 5 eleições com mais votos válidos
1º) 4.063 votos – Sport 2016 (Arnaldo Barros eleito com 2.509)
2º) 3.456 votos – Sport 2008 (Silvio Guimarães eleito com 2.614)
3º) 3.441 votos – Sport 2012 (Luciano Bivar eleito com 1.971)
4º) 2.997 votos – Sport 1974 (Jarbas Guimarães eleito com 2.308)
5º) 2.816 votos – Sport 2000 (Luciano Bivar eleito com 1.805)

A seguir, confira os dados de todas as eleições no trio de ferro com mais de uma chapa inscrita, com pleitos históricos de um passado mais remoto e os embates desde 2000, além dos percentuais dos votos válidos e os curiosos nomes das candidaturas futebolísticas.

Náutico (6 bate-chapas desde 1974)

1978 – 160 votos (apenas conselheiros)
João de Deus (Situação) – 108 votos (67,5%)
Virgínio Cabral de Melo (Oposição) – 52 votos (32,5%)

1979 – dado desconhecido
João de Deus (União e Trabalho) – vencedor
José Ventura (Movimento de Restauração Alvirrubro)

2009 – 160 votos (apenas conselheiros)
Berillo Albuquerque (Náutico Acima de Tudo) – 121 votos (75,62%)
Paulo Alves (Náutico Para Todos) – 39 votos (24,37%)

2011 – 1.632 votos
Paulo Wanderley (Náutico de Primeira) – 1.139 votos (69,79%)
Marcílio Sales (Movimento Transparência Alvirrubra) – 475 votos (29,10%)
Paulo Henrique (Renovação) – 18 votos (1,10%)

2013 – 2.146 votos
Glauber Vasconcelos* (Movimento Transparência Alvirrubra) – 1.575 votos (73,39%)
Marcílio Sales (Alvirrubros de Coração) – 458 votos (21,34%)
Alexandre Homem de Melo (Renovação) – 70 votos (3,26%)
Alberto de Souza (Náutico pra frente) – 43 votos (2,00%)

2015 – 1.544 votos
Marcos Freitas* (Náutico de Todos) – 777 votos (50,32%)
Edno Melo (Vermelho de Luta, Branco de Paz) – 767 votos (49,67%)

* Vitória da oposição

Santa Cruz (6 bate-chapas desde 1974)

1975 – 1.387
José Nivaldo de Castro (Situação) – 1.195 votos (86,15%)
José Marcionilo Lins (Oposição) – 192 votos (13,84%)

2004 – 1.337 votos
Romerito Jatobá (Santa 10) – 895 votos (66,94%)
Antônio Luiz Neto (Santa União) – 442 votos (33,05%)

2006 – 1.405 votos
Edson Nogueira* (Competência e Credibilidade) – 731 votos (52,02%)
Alberto Lisboa (Santa Renovação) – 674 votos (47,97%)

2010 – 1.435 votos
Antônio Luiz Neto (Continuação e Avanço) – 1.134 votos (79,02%)
Sérgio Murilo (Santa Cruz de Corpo e Alma) – 301 votos (20,97%)

2012 – 1.787 votos
Antônio Luiz Neto (Força da União e Avanço) – 1.636 votos (91,55%)
Joaquim Bezerra (Ética e Profissionalismo) – 151 votos (8,44%)

2017 – 1.252 votos
Constantino Júnior (Construindo com a Força da União) – 812 votos (64,85%)
Albertino dos Anjos (Muda Santa Cruz) – 250 votos (19,96%)
Fábio Melo (Santa Cruz do Povo) – 190 votos (15,17%)

* Vitória da oposição

Sport (12 bate-chapas desde 1974)

1974 – 2.997 votos
Jarbas Guimarães (Situação) – 2.308 votos (77,01%)
José Joaquim (Oposição) – 689 votos (22,98%)

1978 – 2.403 votos
José Moura (Situação) – 2.091 votos (87,01%)
Arsênio Meira (Oposição) – 312 votos (12,98%)

1986 – 2.224 votos
Homero Lacerda* (Oposição) – 1.381 votos (62,09%)
Wanderson Lacerda (Situação) – 843 votos (37,90%)

2000 – 2.816 votos**
Luciano Bivar (Rumo ao Hepta) – 1.805 votos (64,09%)
Wanderson Lacerda (Verdade Rubro-negra) – 1.011 votos (35,90%)
* Ainda foram registrados mais 719 votos impugnados e 13 nulos

2002 – 1.696 votos
Severino Otávio (Sport é Paz) – 1.478 votos (87,14%)
Alfredo Bertini (Renovação) – 147 votos (8,67%)
Geraldo Carvalho (Recuperação) – 71 votos (4,18%)

2006 – 1.817 votos
Milton Bivar (Lealdade e Tradição) – 1.560 votos (85,85%)
Alfredo Bertini (Por Amor ao Sport) – 257 votos (14,14%)

2008 – 3.456 votos
Silvio Guimarães (Continuidade e Trabalho) – 2.614 votos (75,63%)
Homero Lacerda (União e Pelo Sport Tudo) – 842 votos (24,36%)

2010 – 1.957 votos
Gustavo Dubeux (Sport Unido) – 1.922 votos (98,21%)
Oposição, sem nome definido (Transparência Sport) – 35 votos (1,78%)

2012 – 3.441 votos
Luciano Bivar (Sport de Verdade) – 1.971 votos (57,27%)
Homero Lacerda (Sport Vencedor) – 1.470 votos (42,72%)

2014 – 1.818 votos
João Humberto Martorelli (União e Vitória) – 1.542 votos (84,81%)
Bruno Reis (Sport Pode Mais) – 276 votos (15,18%)

2016 – 4.063 votos
Arnaldo Barros (Avança Sport) – 2.509 votos (61,75%)
Wanderson Lacerda (Por um Sport campeão) – 1.554 votos (38,24%)

2018 – 2.776 votos
Milton Bivar* (Sport do Povo) – 2.447 votos (88,14%)
Eduardo Carvalho (Uma Razão para Viver) – 329 votos (11,85%)
Augusto Carreras (Sport de Todos) – se retirou da disputa

* Vitória da oposição


Compartilhe!