Compartilhe!

A apresentação de Pia na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Foto de Lucas Figueiredo.

A sueca Pia Sundhage, de 59 anos, é a primeira técnica estrangeira a comandar a Seleção Brasileira Feminina – e apenas a segunda mulher à frente da equipe.

O cartel dela é pra lá de vencedor. Como jogadora, foi campeã europeia em 1984. Como treinadora, ganhou os títulos olímpicos de 2008 e 2012 com os Estados Unidos – no primeiro ouro, venceu o Brasil na decisão. Na última Olimpíada, no Rio, levou a Suécia à final, tirando a anfitriã. Na terceira final seguida, ficou com a prata.

Agora, enfim, estará do lado de cá. Ela chega para ocupar o lugar de Oswaldo Alvarez, que fez um trabalho horrível em sua segunda passagem, com a sua permanência até o Mundial de 2019 sendo inexplicável por parte da CBF – após substituir Emily, Vadão teve 14V, 1E e 12D. Embora a estrutura do futebol feminino ainda precise de (muitos) ajustes, esta contratação pode ser um passo importante, visando desde já os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, ainda com geração de Marta. Neste século, Pia é o 9º nome a comandar o Brasil. Boa sorte!

“Eu tenho respirado futebol nesses últimos dias. Esse é um grande passo para mim e eu sinto muito orgulho. Fico feliz de olhar ao redor e ver a alegria e a expectativa de todos. Estou muito animada.”

“O maior desafio é: a Seleção Brasileira precisa mudar, mas eu não acho que tem que ser muito radical, porque se não perderemos a confiança. O Brasil jogou bem na Copa do Mundo. Também não pode ser uma mudança pequena. Chego aqui com uma experiência diferente para balancear essa transformação. É claro que já estudei muito os jogos e preciso ser muito respeitosa a respeito das forças da equipe e modificar os pontos fracos.”

Técnicos da Seleção Feminina no século XXI
2001-2003 – Paulo Gonçalves
2004 – Renê Simões
2005-2006 – Luiz Antônio
2006-2008 – Jorge Barcellos
2008-2011 – Kleiton Lima
2011-2012 – Jorge Barcellos
2012-2014 – Márcio Oliveira
2014-2016 – Oswaldo Alvarez
2016-2017 – Emily Lima
2017-2019 – Oswaldo Alvarez
2019 – Pia Sundhage (Suécia)

Nº de jogos na Seleção Feminina no século XXI*
1º) 80 jogos- Oswaldo Alvarez (44V, 13E e 23D; 60.4%)
2º) 52 jogos – Jorge Barcellos (35V, 3E e 14D; 60.2%)
3º) 33 jogos – Kleiton Lima (26V, 6E 1D; 84.8%)
4º) 21 jogos – Márcio Oliveira (10V, 7E e 4D; 58.7%)
5º) 19 jogos – Paulo Gonçalves (10V, 4E e 5D; 59.6%)
6º) 14 jogos – Renê Simões (10V, 2E e 2D; 76.1%)
7º) 13 jogos – Emily Lima (7V, 1E e 5D; 56.4%)
8º) 2 jogos – Luiz Antônio (2V; 100%)
* A partir do histórico levantado no site RSSSF, com 234 jogos de 01/01/2001 até 30/07/2019


Compartilhe!