Compartilhe!

Em 2019, começa a vigorar um novo formato de distribuição das receitas de transmissão no Campeonato Brasileiro. Na Série A, a Rede Globo vai pagar R$ 1,1 bilhão pelos sinais aberto e fechado, com a seguinte divisão: cota igualitária (40%), cota de audiência (30%) e cota de desempenho (30%). Este terceiro montante se refere à colocação final na edição, com o repasse da televisão aos 16 clubes que permanecerem na elite do futebol nacional.

Em caso de Z4, nenhum centavo. Se terminar em 16º lugar, já garante R$ 11 milhões neste quesito. Ao todo, somando as 16 posições, são R$ 335,2 milhões, com a diferença entre as colocações variando de R$ 900 mil a R$ 2,65 milhões. Abaixo, a lista informada pelo radialista Wellington Campos, setorista na cobertura da CBF.

Existem algumas ressalvas sobre o cenário, uma vez que, pela primeira vez em duas décadas, a competição não será exclusiva na Globo. Seis times (Athletico, Bahia, Ceará, Fortaleza, Inter e Santos) assinaram com a Turner, via Esporte Interativo, para as transmissões na tevê por assinatura. Logo, para esses clubes, as premiações tendem a ter um pequeno corte (na conta da Globo, claro). Até esta publicação, o Palmeiras era o único participante sem contrato de transmissão. Portanto, sem possibilidade de premiação.

Obs. Até 2018, a premiação era um “extra” no Brasileirão – e não parte oficial da receita de tevê, como agora. Na ocasião, o valor total foi de R$ 63,7 milhões, também para os 16 primeiros. O dado foi multiplicado por 5x, num crescimento absoluto de R$ 271,5 milhões. Com o pagamento somente após a competição, as premiações devem influenciar os orçamentos dos clubes visando 2020.

A premiação na Série A de 2019 (e a evolução sobre 2018)
1º) R$ 33,00 milhões (+14,90 mi)
2º) R$ 31,35 milhões (+19,95 mi)
3º) R$ 29,70 milhões (+21,95 mi)
4º) R$ 28,00 milhões (+22,40 mi)
5º) R$ 26,40 milhões (+22,30 mi)
6º) R$ 24,75 milhões (+21,95 mi)
7º) R$ 23,10 milhões (+20,7 mi)
8º) R$ 21,45 milhões (+19,35 mi)
9º) R$ 19,80 milhões (+18,00 mi)
10º) R$ 18,15 milhões (+16,55 mi)
11º) R$ 15,50 milhões (+14,10 mi)
12º) R$ 14,60 milhões (+13,40 mi)
13º) R$ 13,70 milhões (+12,60 mi)
14º) R$ 12,80 milhões (+11,85 mi)
15º) R$ 11,90 milhões (+11,05 mi)
16º) R$ 11,00 milhões (+10,26 mi)

Os clubes nordestinos que receberam premiações no Brasileirão
2010 – Ceará (12º), R$ 1 milhão
2011 – Bahia (14º), R$ 1 milhão
2012 – Náutico (12º),R$ 500 mil; e Bahia (15º), R$ 200 mil
2013 – Vitória (5º), R$ 1,4 milhão; e Bahia (12º), R$ 500 mil
2014 – Sport (11º), R$ 600 mil
2015 – Sport (6º), R$ 1,4 milhão
2016 – Sport (14º), R$ 900 mil; e Vitória (16º), R$ 700 mil
2017 – Bahia (12º), R$ 1,2 milhão; Sport (15º), R$ 850 mil; e Vitória (16º), R$ 744 mil
2018 – Bahia (11º), R$ 1,38 milhão; e Ceará (15º), 850 mil

Os 20 participantes da Série A de 2019
Atlético-MG, Athletico-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Chapecoense, Corinthians, Cruzeiro, CSA, Fortaleza, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Inter, Palmeiras, Santos, São Paulo e Vasco

Abaixo, um quadro com todas as premiações do Brasileirão na década, de 2011 a 2019.

Leia mais sobre o assunto
A projeção máxima sobre as cotas de TV do Campeonato Brasileiro de 2019

A tabela básica da Série A 2019, com Bahia, Ceará, Fortaleza e CSA pelo Nordeste


Compartilhe!