Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

Os 50 primeiros colocados na 5ª edição do principal ranking interclubes da Conmebol.

A Conmebol atualizou o seu ranking de clubes, que considera apenas as campanhas na Libertadores e é utilizado justamente para definir os cabeças-de-chave do torneio seguinte. No caso, valendo para 2020. A entidade listou os 212 clubes que já disputaram ao menos uma vez o maior torneio sul-americano – dois a mais do que na última versão. Dados de 1960 a 2019.

Nesta atualização, o River Plate aparece na liderança pelo 3º ano seguido, com o rival Boca Juniors em segundo, a mesma situação das últimas listas. E ambos ainda fizeram a semi da última edição, com o millonario aumentando o hiato sobre os xeneizes, de 926 para 1.366 pontos. Na final, porém, o time de Gallardo caiu diante do Flamengo – cujo título valeu um salto do 30º ao 8º.

Eliminado na semifinal, o Grêmio segue fechando o pódio continental. Consequentemente, o time gaúcho mantém a liderança nacional. Neste recorte, o Fla pulou de 9º para 3º. Ao todo, 28 times do Brasil já participaram da copa, sendo três do Nordeste: Bahia (1960, 1964 e 1989), Sport (1988 e 2009) e Náutico (1968). No âmbito regional, aliás, houve uma inversão na ponta.

Embora tenham os mesmos 64 pontos, a Conmebol listou o tricolor de Salvador à frente do leão do Recife (124º x 126º). O Sport vinha na frente desde a primeira edição do ranking, pois a participação em 2009 recebia uma pontuação diferenciada. Ao superar os 10 anos, “mudou” de avaliação – explico abaixo. Ainda no NE, vale uma curiosidade sobre o timbu, que poderia estar em 165º em vez da 186º. O clube deveria ter 24 pontos (em vez de 16), mas perdeu os pontos de uma vitória (8 pts, segundo o “coeficiente histórico”) por escalação irregular.

A fórmula do ranking oficial da Libertadores
Em vigor desde dezembro de 2015, o ranking contempla histórico e performance recente, na Liberta e em títulos nacionais, que funcionam como bônus. As campanhas da última década na Taça Libertadores formam a base da lista, com 100% da pontuação ao primeiro ano, 90% ao segundo e assim sucessivamente, até 10% ao mais antigo. Ultrapassando esse período, a campanha vai para o segundo quesito do regulamento, o “coeficiente histórico”, sem mais depreciações. Ou seja, o título do Flamengo em 2019 vale 1.000 pontos, enquanto o título do Fla em 1981 vale apenas 100. Uma complexidade em busca de uma justiça (?) entre feitos recentes e a história escrita no futebol.

A ordem de importância para a composição do ranking de 2020
1) Performance nos últimos dez anos da Libertadores (de 2010 a 2019)
2) Coeficiente histórico (com a pontuação de 1960 a 2009)
3) Títulos do campeonato nacional (de 2010 a 2019)*
* Apenas um por país, sem contar as copas nacionais. Em caso dois campeonatos nacionais por ano, vale metade da pontuação

Líder geral do Ranking da Libertadores, ano a ano
2016 – Boca Juniors (ARG), 5.949 pts
2017 – Boca Juniors (ARG), 6.445 pts
2018 – River Plate (ARG), 6.030 pts
2019 – River Plate (ARG), 8.043 pts
2020 – River Plate (ARG), 9.148 pts

Líder do ranking entre os brasileiros, ano a ano (entre parênteses, a posição geral)
2016 (4º) – Cruzeiro, 4.425 pts
2017 (6º) – São Paulo, 4.227 pts
2018 (3º) – Grêmio, 5.312 pts
2019 (3º) – Grêmio, 6.112 pts
2020 (3º) – Grêmio, 6.712 pts

Ranking entre os nordestinos, ano a ano (entre parênteses, a posição geral e pontuação)
2016 – 1º Sport (80º; 276), 2º Bahia (n/d; 64) e 3º Náutico (n/d; 16)
2017 – 1º Sport (100º; 212), 2º Bahia (n/d; 64) e 3º Náutico (n/d; 16)
2018 – 1º Sport (108º; 148), 2º Bahia (127º; 64) e 3º Náutico (178º; 16)
2019 – 1º Sport (121º; 84), 2º Bahia (126º; 64) e 3º Náutico (181º; 16)
2020 – 1º Bahia (124º; 64), 2º Sport (126º; 64) e 3º Náutico (186º; 16)

Clubes brasileiros no Ranking da Libertadores 1960-2019 (entre parênteses, a posição geral)
1º) Grêmio (3º) – 6.712 pontos (3 títulos em 19 edições)
2º) Palmeiras (6º) – 4.378 pts (1 título em 19 edições)
3º) Flamengo (8º) – 4.184 pts (2 títulos em 15 edições)
4º) Cruzeiro (9º) – 3.717 pts (2 títulos em 16 edições)
5º) Atlético-MG (13º) – 3.162 pts (1 título em 10 edições)
6º) Santos (14º) – 2.980 pts (3 títulos em 14 edições)
7º) Inter (16º) – 2.904 pts (2 títulos em 12 edições)
8º) São Paulo (17º) – 2.867 pts (3 títulos em 19 edições)
9º) Corinthians (18º) – 2.789 pts (1 título em 14 edições)
10º) Athletico-PR (41º) – 1.210 pts (1 vice em 6 edições)
11º) Botafogo (47º) – 1.030 pts (1 semifinal em 5 edições)
12º) Fluminense (49º) – 956 pts (1 vice em 6 edições)
13º) Vasco (53º) – 868 pts (1 título em 9 edições)
14º) Chapecoense (89º) – 262,5 pts (2 edições)
15º) São Caetano (91º) – 228 pts (1 vice em 3 edições)
16º) Guarani (106º) – 138 pts (1 semifinal em 3 edições)
17º) Bahia (124º) – 64 pts (3 edições)
18º) Sport (126º) – 64 pts (2 edições)
19º) Criciúma (133º) – 56 pts (1 edição)
20º) Coritiba (138º) – 52 pts (2 edições)
21º) Paysandu (145º) – 48 pts (1 edição)
22º) Goiás (150º) – 40 pts (1 edição)
23º) Paraná (162º) – 28 pts (1 edição)
24º) Santo André (169º) – 24 pts (1 edição)
25º) Juventude (178º) – 20 pts (1 edição)
26º) Paulista (180º) – 20 pts (1 edição)
27º) Náutico (186º) – 16 pts (1 edição)
28º) Bangu (194º) – 8 pts (1 edição)

Leia mais sobre o assunto
As cotas de premiação na Libertadores de 2020, com 168,3 milhões de dólares


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •