Compartilhe!

Mikael na Salernitana

O ex-rubro-negro entrou poucas vezes na liga italiana, mas “rendeu”. Foto: Salernitana/divulgação.

Quando o empréstimo de Mikael foi confirmado pelo Sport, em 31 de janeiro, a Salernitana estava na lanterna, com apenas 11 pontos em 21 jogos. Porém, nas 17 rodadas seguintes, o time grená somou 20 pontos, com mais quatro vitórias e de forma bastante surpreendente escapou do rebaixamento na Série A do Calcio. Não exatamente pela chegada de Mikael, que foi acionado poucas vezes e quase sempre no fim.

Com outros reforços, como o volante Éderson, ex-Fortaleza, o time do sul italiano saiu da zona e acabou em 17º lugar. Com isso, de acordo com o contrato firmado entre Sport e Salernitana, os europeus estão obrigados a comprar os direitos econômicos do centroavante revelado na Ilha. A negociação possuía dois valores, um obrigatório em caso de permanência, de 2,75 milhões de euros, e um opcional, de 5,00 milhões de euros. Em tese, era a “melhor” a queda, mas, pelo pouco espaço que o jogador de 22 anos teve, parece improvável que o gatilho opcional seria exercido. Agora, nem é preciso negociar. Após o fim do empréstimo, em 30 de junho, haverá a aquisição definitiva.

O valor em reais será definido pela cotação no dia do pagamento, valendo desta data até o prazo de 48 horas após o empréstimo. Considerando a cotação deste 22 de maio, de R$ 5,15 por 1 euro, o total seria de R$ 14.162.500, com o Sport recebendo 70% (R$ 9.913.750; 1,925 milhão de euros) e Mikael ficando com os outros 30% (R$ 4.248.750; 825 mil euros).

O valor total embolsado pelo Sport

Levando em conta só a parte que cabe ao clube pernambucano, e sem o valor do empréstimo, num critério adotado há tempos pelo blog, Mikael já é a 3ª maior venda da história do Sport em valores nominais. Pela cotação do dia, só está abaixo de Gustavo, com quem surgiu junto, e de André. Já somando com o empréstimo de 800 mil euros, cuja cotação na época era de R$ 6,00, e seguindo a mesma lógica 70%/30%, o camisa “87” do clube da Itália rendeu R$ 13,27 milhões ao Sport. À parte do ranking elaborado pelo blog, esta é a cifra que vale mesmo.

As dez maiores vendas do Sport no Plano Real*
1º) R$ 11,85 milhões – Gustavo, meia (Al-Ahli-EAU; 2022)
2º) R$ 10,00 milhões – André, atacante (Grêmio; 2018)
3º) R$ 9,91 milhões – Mikael, atacante (Salernitana-ITA; 2022)
4º) R$ 7,75 milhões – Diego Souza, meia (São Paulo; 2018)
5º) R$ 6,00 milhões – Everton Felipe, meia (São Paulo; 2018)
6º) R$ 5,45 milhões – Joelinton, atacante (Hoffenheim-ALE; 2015)
7º) R$ 4,14 milhões – Ciro, atacante (Fluminense; 2011)
8º) R$ 3,50 milhões – Jackson, meia (Palmeiras; 1998)
9º) R$ 3,20 milhões – Renê, LE (Flamengo; 2017)
10º) R$ 2,45 milhões – Rafael, LD (Ferroviária; 2020)
* Em valores nominais

Clubes com mais vendas milionárias no Nordeste
1º) 37 vezes – Bahia
2º) 30 vezes – Vitória
3º) 25 vezes – Sport
4º) 17 vezes – Ceará
5º) 13 vezes – Náutico
6º) 9 vezes – Fortaleza e Santa Cruz

Leia mais sobre o assunto
O ranking de vendas milionárias dos clubes do Nordeste no Plano Real, com 156 nomes


Compartilhe!