Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

O carcará está reta final de novo. Na semi, pegará o Sport na Ilha. Foto: Salgueiro/Instagram.

O Salgueiro eliminou o Vera Cruz, no Cornélio de Barros, e se classificou pela 8ª vez consecutiva para a semifinal do Campeonato Pernambucano, sendo a 9ª presença no G4 em 12 anos na era mata-mata do futebol local – já incluindo um título e dois vices. Além disso, a vitória por 2 x 1, obtida com gols de Renato Henrique, um no primeiro minuto e outro no último, já valeu a primeira conquista na temporada para o atual campeão estadual, com o simbólico título de “campeão do interior”.

No futebol local, 28 clubes do interior já participaram do Estadual, começando com o Central, em 1937. Após aquela breve passagem, a patativa voltou em 1961. Desde então, a presença fora do Recife se mantém. Em 62 edições, dez clubes diferentes conseguiram o título de “campeão do interior”. Em 2021 o status já está definido porque o clube é o único fora da capital presente na semifinal, composta ainda pelo trio de ferro. Após o jogo no Sertão, transmitido pelo SporTV para todo o país, o carcará precisou esperar duas horas para confirmar o feito, após a eliminação do Afogados nas quartas, diante do Santa Cruz.

Com isso, o Salgueiro chegou ao 8º título de “campeão do interior”. Porém, não são os últimos oito anos no G4, pois Central (2018) e Afogados (2019) também chegaram na semi no período, terminando à frente. No caso, o histórico do carcará soma as campanhas de 2009 e 2012, quando foi o melhor fora do Recife. Ainda que não exista uma taça e/ou reconhecimento oficial por parte da FPF, como em SP e RS, por exemplo, o blog detalhou os “campeões do interior” do estado. O critério é simples: a melhor colocação de um clube interiorano no ano.

Por fim, vale pontuar que o carcará fez esta campanha, com 5V, 2E e 3D, mesmo vivendo um de seus piores momentos financeiros, inclusive abrindo mão de participar do Brasileiro – e ainda perdeu o técnico Daniel Neri e o ídolo Ciel antes das quartas. Mesmo em crise, chega…

1º) Central (37 vezes) – 1937 (5º), 61 (4º), 62 (4º), 63 (4º), 64 (3º), 65 (5º), 66 (4º), 67 (4º), 68 (4º) 69 (4º), 70 (4º), 71 (4º), 72 (4º), 73 (6º), 74 (6º), 75 (4º), 76 (4º), 77 (4º), 79 (4º), 80 (4º), 81 (4º), 82 (4º), 83 (4º) 84 (4º), 85 (4º), 86 (3º), 87 (4º), 88 (5º), 89 (4º), 90 (4º), 93 (4º), 2001 (4º), 02 (4º), 07 (vice), 08 (3º), 10 (4º) e 18 (vice)

2º) Salgueiro (8 vezes) – 2009 (4º), 12 (3º), 14 (3º), 15 (vice), 16 (4º), 17 (vice), 20 (campeão) e 21 (semifinalista)

3º) Porto (6 vezes) – 1994 (4º), 95 (4º), 97 (vice), 98 (vice), 2000 (4º) e 11 (4º)

4º) Vitória (4 vezes) – 1991 (3º), 92 (4º), 96 (4º) e 99 (4º)

5º) Ypiranga (2 vezes) – 2006 (3º) e 13 (4º)

6º) Atlético Caruaru (1 vez) – 1978 (6º)

6º) AGA (1 vez) – 2003 (4º)

6º) Itacuruba (1 vez) – 2004 (4º)

6º) Serrano (1 vez) – 2005 (4º)

6º) Afogados (1 vez) – 2019 (3º)

Obs. Entre as 62 edições do PE com times do interior, 14 tiveram só um representante, sempre sendo o Central. Eis os anos: 37, 61, 62, 65, 66, 67, 68, 69, 70, 71, 72, 73, 75 e 76. Como curiosidade, considerando os torneios com mais de um interiorano, a patativa teria 23 títulos simbólicos.

Leia mais sobre o assunto
Campeão estadual, Salgueiro desiste da Série D de 2021 e a vaga fica com o Central


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •