Compartilhe!
  •  
  • 4
  •  
  •  

O tricolor se defendeu bastante e conseguiu segurar o empate. Fotos: Victor Garcia/Atlético-GO.

Pelo segundo ano seguido, o Santa Cruz sai da Copa do Brasil na disputa de pênaltis. Se em 2019 a campanha foi encerrada na 4ª fase, em 2020 o tricolor acabou eliminado ainda na 2ª fase, deixando o torneio com R$ 1,19 milhão em cotas. No duelo contra o Atlético Goianiense, a premiação era de R$ 1,5 milhão, um valor que poderia ter turbinado o orçamento do clube na temporada. Sem contar que na próxima fase, em ida e volta, o adversário seria o São José (RS), num duelo aberto valendo mais R$ 2 milhões. Era o maior caminho no ano para injetar recursos no clube.

Apesar da lamentação pelo resultado, com a classificação tão próxima, é preciso reconhecer que o mandante foi bem superior. Finalizou mais no 1T e no 2T, com Maycon Cleiton aparecendo muito bem. Além disso, o time goiano, presente na elite do futebol nacional, ainda atuou com um jogador a mais por mais de 20 minutos, após a expulsão do volante Paulinho.

A valentia coral para segurar o resultado, somada à falta de pontaria do trio final de atacantes do Atlético, acabou gerando o empate em 1 x 1 – cujos gols saíram ainda na primeira metade, com Renato Kayser (aos 13) e Patrick Nonato (aos 37, em seu primeiro toque na bola). Nas penalidades, já sob chuva no Estádio Olímpico, o goleiro Koslinski defendeu duas cobranças de Chiquinho, num chute fraco, e de William Alves, no meio do gol, 4 x 3. O zagueiro, aliás, desperdiçou a sua cobrança nas duas disputas, contra Fluminense (2019) e Atlético (2020).

Curiosidade
Esse foi o segundo confronto entre os clubes na Copa do Brasil, em ambos com o time goiano divisões acima. Desta vez, 2 (A x C). Em 2010 foram 3 (A x D). Na ocasião, valendo pelas oitavas de final, o Atlético venceu os dois jogos, no Recife e em Goiânia. Dez anos depois, passou de novo.

Escalação do Atlético-GO (melhores: 1 Kayser, 2 Koslinski; pior: Brandão)
Kozlinski; Reginaldo, Oliveira, Gilvan e Nicolas; Edson, Marlon Freitas (Júlio César, 31/2T) e Jorginho (Matheus Vargas, 40/2T); Matheuzinho, Renato Kayser e Ferrareis (Brandão, 21/2T). Técnico: Eduardo Souza

Escalação do Santa Cruz (melhores: 1 Maycon Cleiton, 2 Danny; pior: Paulinho)
Maycon Cleiton; Toty, William Alves, Danny Morais e Fabiano; André, Paulinho e João Cardoso (Chiquinho, intervalo); Mayco Félix, Victor Rangel (Patrick Nonato, 37/1T) e Didira (Bileu, 34/2T). Técnico: Itamar Schulle

Histórico geral de Atlético-GO x Santa Cruz (todos os mandos)
10 jogos
4 vitórias pernambucanas (40,0%)
3 empates (30,0%)
3 vitórias goianas (30,0%)

Retrospecto do Santa na Copa do Brasil (1989-2020)
94 jogos em 26 participações
Desempenho: 37V, 22E e 35D
52 confrontos: 26 classificações e 26 eliminações

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami, Diego Borges e João Pereira):


Compartilhe!
  •  
  • 4
  •  
  •