Compartilhe!

Ricardo Fernandes/Spia Photo

O árbitro cearense Luiz César de Oliveira deu seis minutos de acréscimo, com a tensão já grande no Arruda. Não bastasse o sufoco levado, ele deu mais um minuto, alegando ‘cera’ de Tiago Machowski. Acabou aos 52, certo? A bola sumiu no escanteio final, a favor da Juazeirense, com o relógio chegando a 53 minutos. Mas o Santa Cruz segurou o resultado, com a importante vitória mantendo o time na briga pelo G4 da terceirona.

Na partida, o Santa estrou o novo uniforme para a temporada 2018/2019, lançado na véspera. Roupa nova, instigação também. No 1T, aos 31, Arthur deu ótima assistência para Robinho, aberto na direita. O atacante bateu no canto e marcou o seu 4º gol no Brasileiro. Aquela vantagem refletia o futebol das equipes, com imposição tricolor. Porém, a limitação técnica de um conjunto em busca de organização limitou o placar contra um rival fraco fora de casa (4 jogos, 4 derrotas).

No 2T, o jogo mudou completamente após a expulsão do lateral Allan Vieira, aos 17. A partir dali, o mandante foi encurralado pelo time baiano, que perdeu seguidas oportunidades. Só o atacante Jussimar desperdiçou três, duas dentro da pequena área. Nesse sufoco, o tricolor ainda teve uma oportunidade para matar o jogo, mas Robinho errou com o gol escancarado. Então, mais pressão até o fim, com direito à primeira expulsão de Roberto Fernandes no comando coral. Do túnel, comemorou a sua primeira vitória na nova casa, 1 x 0.

Histórico geral de Santa Cruz x Juazeirense (todos os mandos)
3 jogos
2 vitórias tricolores (66,6%)
1 empate (33,3%)
0 vitória baiana (0%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Celso Ishigami e Rafael Brasileiro):

Ricardo Fernandes/Spia Photo


Compartilhe!