Compartilhe!

Entre gols e assistências, Didira tem 9 tentos combinados no ano. Foto: Lenilson Santos/Ferroviário.

Sob sol forte em Horizonte, o Santa Cruz conseguiu uma boa vitória sobre o Ferroviário e terminou o turno na liderança da Série C. Num confronto direto pela ponta, o tricolor pernambucano contou com a qualidade de dois dos seus jogadores mais experientes. O centroavante Pipico, de volta após seis jogos, e o meia Didira, chamando a responsabilidade, balançaram as redes e pavimentaram o resultado no domingo, definido nos acréscimos com um gol de Jáderson, 3 x 1.

Nas últimas semanas, a figura do “camisa 9” vinha com seguidas mudanças, sem resultado. Recuperado de lesão, Pipico mostrou a tradicional presença de área aos 27 minutos, concluindo de carrinho um cruzamento de Toty. A antecipação no lance rememorou a boa característica do centroavante, que chegou a 30 gols em 60 partidas pelo clube. Média de 0,5 gol/jogo, um índice bem interessante para um atacante com tanto tempo de casa. A vantagem só não durou muito, com André “Mensalão” empatando após uma cobrança de lateral de Siloé (aquele). Francamente, esse tipo de gol causa irritação, pois acontece invariavelmente por cochilo da defesa – neste caso, de forma tripla, mas sobretudo de Leonan.

Vale pontuar que o nível do gramado era bem abaixo do Castelão, o palco original. Isso dificultou a fluidez do jogo, mas ainda assim o Ferrão levou mais perigo. Efetivamente, só não flertou com a “virada” porque o Santa desempatou no início do 2T, numa bela cobrança de falta de Didira. Após pegar ritmo de jogo, o meia tornou-se uma peça bem importante. Em 2020, é o atleta com mais “gols combinados” no elenco, com 4 gols marcados e 5 assistências.

Após retomar a vantagem, para não perder mais, o Santa ainda sofreu um bocadinho. No jogo todo, o Ferroviário teve 18 x 6 no scout de finalizações – curiosamente, 9 x 3 em cada tempo. Neste cenário, Maycon Cleiton fez duas ótimas defesas para garantir o triunfo. No fim, numa escapada já aos 48 minutos, o terceiro gol, que deixou o time pernambucano isolado na liderança do Grupo A, com 5 vitórias, 3 empates e 1 derrota. Nesta virada do turno, voltou a abrir 2 pontos sobre o vice-líder, 18 x 16. Começa a encaminhar a vaga à próxima fase…

Santa Cruz em 9 rodadas na Série C de 2020
Mandante (4 jogos, 10 pts e 83.3%): 3V, 1E e 0D
Visitante (5 jogos, 8 pts e 53.3%): 2V, 2E e 1D

Escalação do Ferroviário (melhor: Mensalão; piores: Hulk e Willian Lira)
Nícolas; Gabriel Cassimiro (Neilson), Olávio, Willian Machado e Tiago Costa; Lucas Hulk (Reinaldo), Diego Lorenzi, André Mensalão e Caíque (Júnior Batista); Siloé e Willian Lira. Treinador: Marcelo Vilar

Escalação do Santa Cruz (melhores: Didira, Pipico e Maycon; pior: Leonan)
Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais (Célio Santos), Elivelton e Leonan (Perí); André, Tinga (Denílson), Bileu e Didira; Mayco Félix (Lourenço) e Pipico (Jáderson). Treinador: Marcelo Martelotte

Histórico geral de Santa Cruz x Ferroviário-CE (todos os mandos)
13 jogos
4 vitórias pernambucanas (30,7%)
2 empates (15,3%)
7 vitórias cearenses (53,8%)

Curiosidade 1
O Santa voltou a venceu o Ferroviário do Ceará depois de 61 anos! O último triunfo coral no confronto havia sido em 1959, quando fez 2 x 1 em um amistoso. Tanto que ainda segue em desvantagem no histórico. Em 2019, por exemplo, o time cearense havia vencido lá e lô.

Curiosidade 2
Inicialmente, o jogo seria no Castelão, mas foi transferido para o Domingão, na região metropolitana de Fortaleza. Mudança sob protesto do mandante, impedido de seguir atuando no Castelão, que ficou exclusivo para a Série A e finais do Cearense – para proteger o gramado.

A análise do Podcast 45 Minutos (Diego Borges, João de Andrade e Lucas Liausu):


Compartilhe!