Compartilhe!

Rodrigo Baltar/Santa Cruz

Campeão nordestino em 2016, o Santa Cruz largou com um empate em João Pessoa na edição de 2019. Estreando em sua 13ª participação, o tricolor mostrou sinais de evolução em relação à sua pré-temporada. No entanto, encontrou um adversário no mesmo nível, técnico e físico – cuja base era plenamente conhecida pelo técnico coral (e ex do Botafogo), Leston Júnior.

Num duelo que se repetirá na Série C, o tricolor apresentou um mínimo de organização, com a base que fez dois jogos-treinos e um amistoso. Assim, o Santa foi regular no Almeidão do início ao fim. Ofensivamente, porém, pouco criou, com a ausência de Pipico sendo determinante para o mau desempenho nas conclusões. Vetado de última hora por questões clínicas, foi substituído por Neto Costa – que havia sido testado, justamente em seu lugar, nos minutos finais do amistoso há uma semana. Só que o jogador não funcionou e ainda foi expulso. E Augusto até funcionou bem nas pontas, mas desperdiçou as duas chances que teve, ambas de cabeça.

À parte disso, uma partida controlada dos corais, evitando as chegadas do Bota, que teve 55% de posse. Efetivamente, o time paraibano só teve uma grande chance no 1T, aos 25, mas Lorenzi se antecipou a Marcos Aurélio – responsável pelas bolas paradas, desta vez sem perigo. Curiosamente, aos 25 do 2T, a outra chance real, num chutaço de Clayton, com ótima defesa de Ricardo. Embora o Belo não seja um adversário direto, devido ao regulamento, com times do grupo A enfrentando os do grupo B, o pontinho neste 0 x 0, somado como visitante, foi interessante. Nos últimos cinco anos, o tricolor pernambucano ficou entre os quatro melhores da competição em três oportunidades. Em todas elas, estava acima da Série C, um patamar financeiro que debilita a concorrência. Mais um indicativo para valorizar a estreia.

Escalação do Santa (melhores: 1 Charles, 2 Ricardo; pior: Neto)
Ricardo Ernesto; Marcos Martins, Vitão, Danny Morais e Bruno Ré; Charles, Lorenzi e Héricles (Luiz Felipe, 20/2T); Augusto (Cesinha, 34/2T), Neto Costa e Elias (Eduardo, 41/2T). Técnico: Leston Júnior

Escalação do Botafogo (melhores: 1 Clayton e 2 Marcos Aurélio; pior: Nando)
Saulo; Roniery, Willian Goiano, Lula e Fábio Alves; Rogério, Marcos Vinícius, Clayton (Acrizio, 24/2T) e Marcos Aurélio; Adalgiso Pitbull (Rafael,16/27) e Nando (Paulo Rene, 28/2T)

Histórico geral de Botafogo-PB x Santa Cruz (todos os mandos)
61 jogos
35 vitórias tricolores (57,3%)
12 empates (19,6%)
14 vitórias paraibanas (22,9%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Diego Borges e Rafael Brasileiro):

Rodrigo Baltar/Santa Cruz


Compartilhe!