Compartilhe!

O time antes do último jogo, com a goleada sobre os “hermanos”. Vaga em Tóquio.

Atual campeão olímpico de futebol, o Brasil poderá defender a conquista em solo japonês. Após uma primeira fase perfeita no Pré-Olímpico na Colômbia, com quatro vitórias, o Brasil começou cambaleante no quadrangular final, tendo que buscar dois empates contra Colômbia e Uruguai – e era franco favorito em ambos. Na última rodada, diante de uma Argentina já classificada, a vitória veio com certa tranquilidade.

Em Bucaramanga, o time verde e amarelo fez fez dois gols no 1T, com os atacantes Paulinho e Matheus Cunha. Este ampliou no 2T e virou o artilheiro, com 5 gols. Com o 3 x 0, e 5V e 2E, o time de André Jardine irá ao torneio masculino pela 14ª vez considerando as últimas 18 edições. Nesta, 16 países – apenas dois da Conmebol.

Especificamente no futebol masculino, lembrando, o torneio é limitado à categoria Sub 23, com a utilização de apenas três jogadores sem limite de idade. Será que Neymar será liberado desta vez? com 28 anos, ele certamente teria espaço na lista. E o atacante do PSG tem história nos Jogos. Foi medalhista nas duas edições em que participou, com a prata em Londres, em 2012, e o ouro no Rio, em 2016. E o título no Maracanã talvez seja o “entrave”, pois a pressão pela medalha sumiu – era um fantasma. Para o “Time Brasil”, e a meta por um bom desempenho geral, um pódio com esta seleção é essencial. Com Neymar seria mais fácil…

Time-base no Pré-Olímpico Sub 23 de 2020
Ivan; Guga, Bruno Fuchs, Ricardo Graça e Caio Henrique; Matheus Henrique, Bruno Guimarães, Pedrinho e Reinier; Paulinho e Matheus Cunha. Técnico: André Jardine

Os maiores medalhistas no torneio olímpico (ouro, prata e bronze)
1º) 3-1-1 – Hungria
2º) 3-0-0 – Grã-Bretanha
3º) 2-2-0 – Argentina
4º) 2-0-3 – Rússia
5º) 2-0-0 – Uruguai
6º) 1-3-2 – Brasil

Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos
1952 – Quartas de final (2v, 0e, 1d)
1956 – n/d
1960 – 1ª fase (2v, 0e, 1d)
1964 – 1ª fase (1v, 1e, 1d)
1968 – 1ª fase (0v, 2e, 1d)
1972 – 1ª fase (0v, 1e, 2d)
1976 – Semifinal (2v, 1e, 2d)
1980 – n/d
1984 – Prata (4v, 1e, 1d)
1988 – Prata (4v, 1e, 1d)
1992 – n/d
1996 – Bronze (4v, 0e, 2d)
2000 – quartas de final (2v, 0e, 2d)
2004 – n/d
2008 – Bronze (5v, 0e, 1d)
2012 – Prata (5v, 0e, 1d)
2016 – Ouro (3v, 3e, 0d)
2020 – A disputar

Olimpíada x Copa do Mundo
Em 13 participações olímpicas desde 1952, sempre com equipes restritivas, o Brasil disputou 60 jogos, com 34 vitórias, 10 empates, 16 derrotas. Considerando três pontos por vitória, um aproveitamento de 62,2%. Já no Mundial, com força máxima, exceção feita a 1930 (base carioca), foram 109 jogos em 21 participações, com 73 vitórias, 18 empates e 18 derrotas. Índice de 72,4%.


Compartilhe!