Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  

No scout de finalizações, 12 x 12, mas apenas 4 x 3 nas certas. Foto: Rafael Vieira/AGIF, via CBF.

Encerrando o primeiro turno da Série B, o Náutico acabou derrotado pela 5ª vez seguida. O campeão pernambucano chegou a liderar a competição durante quinze rodadas consecutivas, da 2ª até a 16ª, mas chega à metade da disputa já fora do G4, num acentuado viés de queda. As causas são conhecidas, com o desmanche da equipe, entre saídas (Wagner e Erick) e lesões (Kieza).

Hélio dos Anjos ainda tentou sustentar a estrutura de jogo que marcou o ótimo início de temporada, com marcação alta e ataque veloz pelas duas pontas. Porém, sem as peças adequadas, o treinador vem encontrando muitas dificuldades para recolocar o alvirrubro no eixo. Hoje, está distante disso. Nos Aflitos, diante do Cruzeiro, o Náutico acabou derrotado na reta final.

Num jogo equilibrado, mas nivelado por baixo, com poucas chances, a raposa marcou o gol da vitória aos 37 do 2T, com Thiago pegando um rebote de Jefferson numa cobrança da falta de Brock. E o goleiro alvirrubro falhou feio no lance, espalmando pra frente, com o cruzeirense dando o seu primeiro toque na bola no jogo. A situação embaixo da barra diz bastante sobre o Náutico. O titular era Alex Alves, que nunca inspirou muita confiança. Após 11 gols sofridos em 4 jogos, houve a mudança nesta 19ª rodada, por questão técnica, como em outras alterações.

Acabou não dando certo também, com o revés por 1 x 0 custando o tensionamento de uma crise surreal levando em conta a largada da equipe, que foi a melhor da história da Série B no recorte até a 14ª rodada. Por sinal, o time começou com cinco vitórias seguidas e agora soma cinco derrotas seguidas. Dado mais didático sobre a derrocada não há.

Esta é a 9ª vez que o clube de Rosa e Silva disputa a segundona no formato dos pontos corridos. A campanha de 2021, outrora recorde considerando todos os clubes em 16 anos de história, agora é apenas a 5ª melhor do próprio timbu. Em termos de projeção sobre o acesso, um rendimento de 30 pontos até segue interessante. Entretanto, esse número só fará sentido a partir de uma retomada de confiança do Náutico. Hoje, está na contramão…

Náutico em 19 rodadas na Série B de 2021
Mandante (10 jogos, 18 pts e 60.0%): 5V, 3E e 2D
Visitante (9 jogos, 12 pts e 44.4%): 3V, 3E e 3D

O desempenho do timbu no 1º turno da Série B (pontos corridos)
1º) 2006 – 35 pontos (10V, 5E e 4D; 2º lugar)*
2º) 2011 – 34 pontos (9V, 7E e 3D; 3º lugar)*
3º) 2015 – 32 pontos (9V, 5E e 5D; 5º lugar)
4º) 2010 – 31 pontos (9V, 4E e 6D; 5º lugar)
5º) 2021 – 30 pontos (8V, 6E e 5D; 6º lugar)***
6º) 2016 – 28 pontos (8V, 4E e 7D; 6º lugar)
7º) 2014 – 27 pontos (8V, 3E e 8D; 11º lugar)
8º) 2020 – 19 pontos (4V, 7E e 8D; 18º lugar)
9º) 2017 – 14 pontos (3V, 5E e 11D; 20º lugar)**
* Subiu de divisão
** Caiu de divisão
*** Faltando ainda o complemento rodada

Escalação do Náutico (melhor: Camutanga; piores: Jefferson, Caio e Iago)
Jefferson; Hereda (Thássio), Rafael Ribeiro, Camutanga e Rafinha; Djavan (Matheus Carvalho, 42/2T), Rhaldney (Tailson, 21/2T) e Jean Carlos; Iago (Marciel, 20/2T), Caio Dantas (Paiva, 21/2T) e Vinícius. Técnico: Hélio dos Anjos

Escalação do Cruzeiro (melhores: Marcelo Moreno, Thiago e Brock; pior: Dudu)
Fábio; Norberto, Ramon, Eduardo Brock e Matheus Pereira; Adriano (Flávio, 27/2T), Rômulo e Giovanni (Claudinho, 20/2T); Dudu (Rafael Sóbis, 20/2T), Marcelo Moreno (Thiago, 35/2T) e Bruno José (Wellingtton Nem, 20/2T). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Histórico geral de Náutico x Cruzeiro (todos os mandos)
35 jogos
11 vitórias alvirrubras (31,4%)
7 empates (20,0%)
17 vitórias mineiras (48,5%)

A análise do Podcast 45 Minutos sobre a partida (do tempo 0h01 até 1h20):

Abaixo, assista ao gol da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •