Compartilhe!

Operário-PR 0 x 0 Sport na Série B

Ewerthon foi bastante cobrado por Lisca, mas se lesionou no fim. Foto: André Jonsson/Operário.

Aparentemente, o roteiro do Sport na Série A de 2021 vai se repetindo na Série B de 2022, com uma defesa sólida e um sistema ofensivo alérgico a gol. A diferença está no que isso representa na classificação de cada divisão. Na primeira, mesmo sofrendo menos de um gol por jogo, com 37 em 38 rodadas, sendo um dos melhores índices da edição, acabou rebaixado porque o ataque balançou as redes apenas 24 vezes, sendo o pior entre os vinte times. Agora, com o objetivo sendo o G4 e não a fuga do Z4, o time segue sofrendo pouquíssimos gols, com apenas 8 em 18 rodadas, com a meta invicta há 317 minutos, mas o ataque, pelo amor de Deus… Míseros 12 gols.

A dificuldade de concluir uma jogada, e, consequentemente, de definir uma partida, vai minando seriamente a jornada rubro-negra em busca do acesso no Brasileiro. Na abertura da rodada, no interior paranaense, a quantidade de chances criadas e desperdiçadas foi além da conta. Ao todo, 21 x 9 em finalizações a favor do visitante, incluindo duas bolas na trave num mesmo lance, fora os dois gols anulados pelo VAR. Num deles, francamente, não foi possível ter certeza sobre a posição irregular na única imagem da transmissão (veja abaixo).

O leão dominou o jogo no 1T, onde teve as melhores oportunidades. Marcou bem a saída do Operário, se movimentou e acertou passes verticais seguidamente. Faltou o gol, “só”. No 2T, o jogo ficou mais equilibrado, mas ainda assim apareceram chances incríveis com Thiago Lopes (rebote na pequena área), Búfalo (em ótima posição) e Juba (no último lance, aos 50 minutos). O empate em 0 x 0 mantém o Sport como um pseudo-perseguidor do G4, pois o rendimento fora de casa, com apenas duas vitórias em dez jogos, inviabiliza a aproximação de fato.

Com ou sem reforços no ataque?

Para mudar o cenário, segue a necessidade de um ataque minimamente confiável. A carência técnica do setor, apesar do futebol visivelmente melhor com Lisca, não é surpresa. O que surpreende mesmo é saber que a direção bancou as opções e segue com freio de mão puxado em relação aos reforços na última janela de inscrições. Já são dois anos atuando assim…

Sport em 18 rodadas na Série B de 2022
Mandante (8 jogos, 17 pts 70.8%): 5V, 2E e 1D
Visitante (10 jogos, 9 pts e 30.0%): 1V, 6E e 3D

Escalação do Operário-PR (melhor: Vanderlei; pior: Reina))
anderlei; Arnaldo (Giovanni Albuquerque), Reniê, William Machado e Fabiano; Ricardinho, Tomas Bastos (André Lima), Giovanni Pavani (Rafael Chorão) e Reina (Lucas Mendes); Sylvinho e Júnior Brandão (Kalil). Técnico: Luciano Gusso

Escalação do Sport (melhores: Fabinho e Paulinho; piores: Thiago Lopes, Alan e Búfalo)
Mailson; Ewerthon (Pedro Naressi), Rafael Thyere, Sabino e Sander; Ronaldo, Blas Cáceres (Paulinho); Fabinho, Luciano Juba e Thiago Lopes (Alan); Ray Vanegas (Parraguez). Técnico: Lisca

Os cinco jogos na história do confronto, todos pela Série B (1V de leão, 2E e 2V do fantasma)
1º) 04/11/1990 – Operário-PR 2 x 1 Sport (Germano Kruger)
2º) 14/11/1990 – Sport 1 x 1 Operário-PR (Ilha do Retiro)
3º) 28/05/2019 – Operário-PR 2 x 1 Sport (Germano Kruger)
4º) 28/09/2019 – Sport 3 x 1 Operário-PR (Ilha do Retiro)
5º) 14/07/2022 – Operário-PR 0 x 0 Sport (Germano Kruger)

Leia mais sobre o assunto
A tabela de jogos do Sport no Campeonato Brasileiro da Série B de 2022

Abaixo, a imagem do VAR sobre o gol de Vanegas, anulado. Pela tecnologia, algo milimétrico.


Compartilhe!