Compartilhe!

Criciúma 1 x 1 Sport na Série B 2022

O leão segue invicto na Série B, agora com 1V e 2E. Foto: Anderson Stevens/Sport.

A primeira meia hora de jogo em Criciúma, com 11 mil torcedores numa manhã de sábado, foi uma negação para o Sport. Embora o tigre não tenha infiltrado tanto na área, teve 60% de posse de bola, quase sempre presente no setor ofensivo, e arriscou bastante diante de um visitante sem atitude. É verdade que o gol de Marcelo Hermes, aos 14 minutos, ocorreu numa falha grave de Maílson, mas aquele chute de fora da área não foi algo isolado. Longe disso. Quase um “passageiro da agonia” até ali, Dal Pozzo demorou bastante a corrigir a saída de bola e a organizar o seu ataque, o que, consequentemente, poderia mudar parte do domínio catarinense.

O Criciúma chegou a ter 8 x 0 em finalizações, com a primeira tentativa do leão saindo apesar do técnico. Afinal, no primeiro escanteio a favor, Dal Pozzo orientou a cobrança curta, mas Juba optou por bater direito (o que era óbvio, diante da necessidade de oferecer algum perigo) e Sabino quase fez de cabeça. Juba, aliás, é um personagem desse jogo, pois durante essa primeira meia hora esteve mais uma vez no lado direito, sem sintonia, sem efetividade. A insistência do treinador é baseada no “chute por dentro” do canhoto e na utilização de Bill na ponta esquerda. Só que isso não vem funcionando, numa escolha desde a final do Nordestão.

Ao inverter as posições, a dobradinha entre Juba e Sander voltou a aparecer e o próprio lateral-esquerdo (ou ponta?) pareceu mais à vontade no campo. A partir disso e de outras mudanças pontuais, como a saída de Bill e, sobretudo, do volante Naressi, que esgotou como opção na criação, o leão passou ter ações ofensivas, com a dupla de zaga mantendo a regularidade para possibilitar a reação. O empate veio logo no comecinho da segunda etapa, aos 8 minutos, numa saída errada do goleiro Gustavo, com os rubro-negros tocando rápido até Juba, que mandou de fora da área e fez um golaço, o seu 6º gol em 2022.

Até o apito final, o scout de finalizações contabilizaria 31 oportunidades, com 17 x 14 para o Criciúma. Num recorte a partir do primeiro lance do Sport, sequenciado pela reorganização tática, foi 14 x 9 para o visitante. Melhorou, mas destaco que a escolha não foi uma solução tirada da cartola pelo técnico, mas sim algo cobrado há dias, tamanha a obviedade. Assim, o Sport somou mais um pontinho fora de casa, com o 1 x 1 apesar das insistências Dal Pozzo.

Tabu mantido no Heriberto

Na história do confronto, este foi o 8º jogo no Heriberto Hulse, palco onde o Sport nunca venceu. Foram 6 vitórias do Criciúma, incluindo as goleadas por 5 x 0 (1994) e 5 x 1 (2002), e 2 empates. Até então, o único ponto do leão lá havia sido num 2 x 2 pelo Brasileirão de 2014.

Escalação do Criciúma (melhores: Hermes e Marquinhos Gabriel; pior: Claudinho)
Gustavo; Claudinho (Cristovam), Rodrigo, Zé Marcos e Marcelo Hermes; Léo Costa (Marcos Serrato), Arilson e Marquinhos Gabriel; Fellipe Mateus (Negueba), Rafael Bilu (Lohan) e Thiago Alagoano (Hygor). Técnico: Cláudio Tencati

Escalação do Sport (melhores: Sabino, Juba e Jaderson; piores: Maílson, Naressi e Bill)
Mailson; Ezequiel (Ewerthon), Rafael Thyere, Sabino e Sander; William Oliveira (Ronaldo), Bruno Matias e Pedro Naressi (Giovanni); Bill (Jaderson), Luciano Juba e Parraguez (Flávio). Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Histórico geral de Criciúma x Sport (todos os mandos)
16 jogos
5 vitórias rubro-negras (31,2%)
4 empates (25,0%)
7 vitórias catarinenses (43,7%)

Leia mais sobre o assunto
A tabela de jogos do Sport no Campeonato Brasileiro da Série B de 2022

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial da Série B no Twitter.


Compartilhe!