Compartilhe!
  • 715
  •  
  •  
  •  

Williams Aguiar/Sport Club do Recife

O Sport venceu o primeiro do três “confrontos diretos” seguidos na Ilha – Vasco, Ceará e Vitória. Apoiado por 13 mil torcedores, o leão foi superior ao cruz-maltino, com organização defensiva, mesmo com a 12ª dupla de zaga no ano, e objetividade nos avanços ao ataque, com os laterais funcionando. Ao todo, 6 x 3 em chances reais de gol. Porém, a comemoração pelo 2 x 1, que mantém o time na briga contra o descenso, só veio após uma dose de sofrimento, com a arbitragem aparecendo em quatro lances capitais, um certo e um errado para cada.

O time pernambucano atuou melhor no 1T, quando dominou quase todas as ações, com o adversário perdendo o carrasco Pikachu antes dos 20 minutos. Logo depois, num lance recuperado por Sander, Mateus Gonçalves recebeu lá na frente, cortou o marcador e bateu colocado. Belo gol do atacante, se recuperando da má atuação em Curitiba. Pouco antes, ele já havia cruzado para Michel Bastos, que cabeceou na trave. Winck, mal até então, também teve boa chance. Só que na reta final os cariocas empataram numa sucessão de erros, através do lateral-esquerdo Fabrício – que recebeu em posição adiantada, após o toque de Willian Maranhão, ex-Santa.

Com a igualdade, o Sport teve que se arriscar no 2T, até porque a tabela não permite mais tropeços deste porte. E atuou com cara de decisão, com bastante entrega em campo e com o volante Jair ditando o ritmo. O desempate veio com Winck, numa cabeça após cruzamento de Sander, na sequência de outra boa jogada de Mateus. Atuando mais à frente, Winck melhorou e finalizou outras 2x. A vantagem quase ficou definitiva num gol de Andrigo, anulado pelo assistente de linha – e estava mesmo impedido. Aos 49, num contragolpe (um dos vários, diga-se), Gabriel foi calçado antes do chute, que ainda bateu na trave. Pênalti, que o próprio meia bateu e desperdiçou. No minuto seguinte (o minuto final), com a bola já lançado para o outro lado, outro lance polêmico, com Giovanni Augusto também derrubado na área, mas sem marcação. Erros decisivos para os dois lados, tensão e apito final com alívio rubro-negro…

Escalação do Sport (melhores: 1 Mateus, 2 Jair, 3 Winck)
Mailson; Winck, Ernando, Adryelson e Sander; Marcão, Jair, Gabriel e Michel Bastos (Nonoca, 42/2T)); Mateus Gonçalves (Andrigo, 32/2T) e Hernane Brocador (Rogério, 20/2T)

O leão sob o comando de Milton Mendes (4 jogos; 2V e 2D; 6 GP e 11 GC)
30/09 (27ª) – Sport 2 x 5 Atlético-MG (fora)
05/10 (28ª) – Sport 2 x 1 Internacional (casa)
14/10 (29ª) – Sport 0 x 4 Atlético-PR (fora)
20/10 (30ª) – Sport 2 x 1 Vasco (casa)

Histórico geral de Sport x Vasco (todos os mandos)
40 jogos
12 vitórias rubro-negras (30,0%)
12 empates (30,0%)
16 vitórias cariocas (40,0%)

Histórico de Sport x Vasco pela Série A (todos os mandos)
27 jogos
7 vitórias rubro-negras (25,9%)
8 empates (29,6%)
12 vitórias cariocas (44,4%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami e Fred Figueiroa)

Carlos Gregório Jr./Vasco


Compartilhe!
  • 715
  •  
  •  
  •