Compartilhe!

Foi o 3º gol de Neves no Brasileirão. O último havia sido em 01/11. Foto: Anderson Stevens/Sport.

Dos últimos 15 pontos, o Sport havia somado apenas 1. Um desempenho que queimou a gordura do clube, que se viu novamente pressionado na Série A. Entretanto, a tabela sinalizou um caminho, com 4 jogos na Ilha do Retiro num recorte de 5 rodadas. Era a chance de voltar a pontuar, e de readquirir a confiança e o conjunto.

Pra começar, um confronto direto contra o Coritiba, uma equipe com sérias deficiências técnicas, como o leão pernambucano. Ou seja, em tese, seria um jogo estudado, possivelmente de poucas chances. Como havia sido no Couto Pereira, com a partida decidida nos acréscimos num pênalti bobo. No Recife, enfim o rubro-negro conseguiu dosar a construção ofensiva junto à segurança defensiva, a sua principal característica, perdida nas últimas apresentações. O time de Jair Ventura foi superior durante na partida no domingo, com 20 x 14 em finalizações – no turno, esse scout foi de 13 x 6 pro coxa.

O Sport abriu o placar aos 37, num golaço bem trabalhado (lançamento de Marquinhos, cruzamento de primeira de Patric e finalização certeira de Thiago Neves), acertou a trave com Dalberto e exigiu pelo menos três boas defesas do goleiro Wilson. Do lado paranaense, apesar da estatística, só uma boa na trave (quando o Sport já vencia) e um cobrança de falta de falta de Ricardo Oliveira (ainda zerado no campeonato). Pouco, mas ainda assim o visitante levou perigo na reta final. Justamente porque o Sport não conseguiu ampliar. Inclusive, todas as 8 vitórias do time pernambucano ocorreram por apenas 1 gol de diferença.

Assim, esbarrando num problema crônico de meses, o mandante deixou o jogo aberto, mas aí pesou a favor o nível de concentração da equipe mais atrás, no setor em que se saiu melhor nesta competição. Neste cenário, valendo algumas observações pontuais, com Marcão tendo ótima presença de campo, os dois laterais fechando bem (num esquema com dois zagueiros) e com Betinho, que entrou no decorrer, melhorando a distribuição de jogo, essencial para o controle da partida. Apesar do placar magrinho, de 1 x 0, uma vitória pra lá de justa de um time que estava necessitado. E ainda valeu uma posição, com o Sport agora em 15º lugar.

Sport em 25 rodadas na Série A de 2020
Mandante (12 jogos, 18 pts e 50.0%): 6V, 0E e 6D
Visitante (13 jogos, 10 pts e 25.6%): 2V, 4E e 7D

Escalação do Sport (melhores: Marcão, Thiago e Betinho)
Luan Polli; Patric, Maidana, Adryelson e Júnior Tavares; Marcão, Ronaldo (Betinho, 26/2T), Lucas Mugni (Raul Prata, 26/2T) e Thiago Neves (Jonatan Gómez, 38/2T); Marquinhos (Luciano Juba, 38/2T) e Dalberto (Mikael, 43/2T). Técnico: Jair Ventura

Escalação do Coritiba (melhor: Wilson; pior: Giovanni)
Wilson; Maílton, Rhodolfo, Sabino e Mattheus; Hugo Moura (Pablo Thomaz, 39/2T), Matheus Bueno (Neilton, intervalo) e Giovanni Auguto (Jonathan, 39/2T); Robson (Yan Sasse, intervalo), Ricardo Oliveira e Rafinha (Osman, 31/2T). Técnico: Rodrigo Santana

Histórico geral de Sport x Coritiba (todos os mandos)
41 jogos
16 vitórias rubro-negras (39,0%)
12 empates (29,2%)
13 vitórias paranaenses (31,7%)

Histórico de Sport x Coritiba pela Série A (todos os mandos)
32 jogos
12 vitórias rubro-negras (37,5%)
9 empates (28,1%)
11 vitórias paranaenses (34,3%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Fred Figueiroa, Geraldo Rodrigues e João Pereira):

Abaixo, assista ao gol da partida, através do perfil oficial do Brasileirão no Twitter.


Compartilhe!