Compartilhe!
  •  
  • 14
  •  
  •  

O capitão Patric teve uma boa atuação, apesar do resultado final. Foto: Anderson Stevens/Sport.

Num roteiro daqueles, acabou dando tudo “certo” para o Sport, mesmo perdendo por 3 x 2 em sua última apresentação como mandante na Série A de 2020. Dos 37 jogos neste Brasileirão, o leão ficou em desvantagem em 21 partidas, conseguindo pontuar apenas duas vezes, ambas com o empate. Por muito pouco não conseguiu também contra o Atlético-MG, num jogo duro na Ilha do Retiro, no qual chegou a reagir duas vezes durante a tarde, para 1 x 1 (Dalberto escorando cruzamento de Júnior Tavares, aos 33/1T) e 2 x 2 (Thiago Neves cobrando pênalti, aos 41/2T).

Entretanto, num contragolpe aos 53 minutos, na sequência de um avanço desnecessário do Sport àquela altura, o time mineiro acabou marcando o terceiro gol com Marrony, que se redimiu do pênalti cometido pouco antes. Nos acréscimos, num jogo que acabou somente aos 57 (!), com muitas paralisações e discussões, chegou a informação do empate sem gols entre Vasco e Corinthians, em São Paulo. Ao rubro-negro, já bastava o tropeço do time carioca. Só que o empate no Recife já valeria a permanência automática, sem depender de outros resultados – e o time, armado com três zagueiros, tendo variações no decorrer, lutou bastante, vale frisar. Portanto, neste domingo, valeu mais o placar na arena corintiana.

Indo além, após o apito final dos jogos iniciados às 16h, o Sport obteve o seu resultado final mais improvável nos últimos anos. Fadado ao rebaixamento, devido à carência técnica do elenco, o time se recuperou com a chegada de Jair Ventura, saindo da zona de rebaixamento na 6ª rodada. E pra lá nunca mais voltou. Ou seja, segue na primeira divisão, desafogando um pouco a crise financeira. Hoje em 14º lugar, o clube pernambucano já garantiu no mínimo a 16ª colocação, o que representa uma premiação oficial de R$ 11 milhões, pelos direitos de TV do campeonato de 2020, além da robusta receita pela próxima edição, que já começará em maio. Serão mais de R$ 40 milhões, e desta vez sem adiantamentos.

Para encerrar “2020”, o leão ainda jogará na quinta-feira, contra o Athletico-PR. Lá em Curitiba, o leão ainda tem uma missão. Caso se mantenha em 14º, voltará à Copa Sul-Americana após quatro anos – e asseguraria, já na fase de grupos, uma cota de R$ 4,8 milhões. Para isso, precisa vencer o rubro-negro paranaense. Caso não ganhe, precisará de tropeços de Bahia (vs Santos, em casa) e Fortaleza (vs Fluminense, fora). Hoje, o resultado paralelo veio. Na 38ª rodada, finalmente com uma dose de tranquilidade, vale buscar através do último triunfo.

Leia a análise da campanha
Com Jair Ventura, Sport consegue a sua maior permanência no Brasileirão

Sport em 37 rodadas na Série A de 2020
Mandante (19 jogos, 26 pts e 45.6%): 8V, 2E e 9D
Visitante (18 jogos, 16 pts e 29.6%): 4V, 4E e 10D

Escalação do Sport (melhores: Patric e Tavares; piores: Polli e Thyere)
Luan Polli; Chico (Ewerthon, 17/2T), Adryelson e Rafael Thyere; Marcão (Luciano Juvam 32/2T_, Ronaldo (Márcio Araújo, intervalo), Patric, Júnior Tavares e Thiago Neves; Marquinhos (Gustavo, 32/2T) e Dalberto (Pedrão, 47/2T). Técnico: Jair Ventura

Escalação do Atlético-MG (melhores: Arana, Svarino e Réver)
Everson; Guga, Réver, Júnior Alonso e Guilherme Arana; Jair (Zaracho, 33/2T), Allan, Calebe (Franco, 14/2T) e Savarino; Keno (Marrony, 14/2T) e Sasha (Vargas, 24/2T). Técnico: Jorge Sampaoli

Histórico geral de Sport x Atlético-MG (todos os mandos)
56 jogos
14 vitórias rubro-negras (25,0%)
20 empates (35,7%)
22 vitórias mineiras (39,2%)

Histórico de Sport x Atlético-MG pela Série A (todos os mandos)
41 jogos
9 vitórias rubro-negras (21,9%)
17 empates (41,4%)
15 vitórias mineiras (36,5%)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami e Fred Figueiroa):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial do Brasileirão no Twitter.


Compartilhe!
  •  
  • 14
  •  
  •