Compartilhe!

Patric abriu o placar logo aos 4 minutos. Precisou do VAR. Foto: Pedro Tesch/AGIF, via CBF.

O Sport começou a partida em Porto Alegre na lanterna do Brasileirão, pressionado pelas três derrotas seguidas, pela própria inoperância ofensiva e pelos resultados dos adversários. A necessidade de recuperação era vital, mas a missão era bem indigesta. Teria que encarar o Grêmio, invicto no Brasileiro e recém-campeão gaúcho. Neste cenário adverso, o leão conseguiu o seu maior resultado nesta temporada, disparado.

Mesmo pressionando do início ao fim, com 28 x 5 em finalizações a favor do mandante e tendo apenas 28% de posse, o visitante teve uma aplicação defensiva elogiável e foi eficiente nas poucas oportunidades criadas. E arrancou a vitória na arena tricolor, 2 x 1. Um resultado que acabou o jejum de cinco rodadas e levou o clube pernambucano à 14ª colocação, voltando a respirar na competição. O resultado, com a cara de Jair Ventura, começou numa mudança pontual. A troca de goleiro. Após a falha bisonha em Curitiba, Mailson voltou a perder a posição para Luan Polli, tão irregular quanto.

Entretanto, no Rio Grande do Sul, o novo goleiro foi o melhor em campo. Com reflexo, fez defesas difíceis e evitou o empate dos gaúchos. Sim, o empate, pois o Sport esteve basicamente o tempo todo à frente. Fez logo na primeira chegada, com Patric pegando de prima o lançamento de Betinho – que, na minha visão, fez o seu primeiro bom jogo, só agora na 7ª rodada. Apesar da posição claríssima, a bandeirinha assinalou impedimento, com o gol sendo validado pelo árbitro de vídeo. A vantagem foi a “senha” para que o Grêmio encaixotasse o Sport, que se retraiu na defesa de forma organizada, algo que já havia mostrado na estreia do técnico, mas que agora teve um desafio técnico de fato.

No 2T a pressão foi ainda maior, com o Sport ampliando num pênalti em sua primeira investida, já aos 30 minutos – e a jogada foi iniciada num lançamento de Polli. Maidana cobrou bem demais. Só não ficou tranquilo porque Pepê diminuiu logo depois, deixando o jogo pilhado até o fim. Ao Sport, acabou não fazendo diferença, pois o time estava num nível de concentração raro. Virando algo regular, abre-se um caminho no campeonato…

Sport na Série A de 2020
Mandante (3 jogos, 3 pts e 33.3%): 1V, 0E e 2D
Visitante (4 jogos, 4 pts e 33.3%): 1V, 1E e 2D

Escalação do Grêmio (melhor: Robinho; piores: Lucas Silva e Cortez)
Vanderlei; Orejuela, Geromel, Kannemann e Cortez (Pepê, intervalo); Lucas Silva (Jean Pyerre, 36/1T), Matheus Henrique e Thiago Neves (Isaque, 18/2T); Alisson (Robinho, 31/2T), Diego Souza e Everton. Técnico: Renato Gaúcho

Escalação do Sport (melhores: 1 Polli, 2 Adryelson, 3 Betinho; pior: Juba)
Luan Polli; Patric, Adryelson, Maidana e Luciano Juba (Chico, 42/2T), Ronaldo (Marcão, 34/2T), Ricardinho, Betinho e e Jonatan Gómez (Lucas Mugni, intervalo); Elton (Barcia, intervalo) e Marquinhos (Lucas Venuto, 30/2T). Técnico: Jair Ventura

Histórico geral de Grêmio x Sport (todos os mandos)
51 jogos
13 vitórias rubro-negras (25,4%)
14 empates (27,4%)
24 vitórias gaúchas (47,0%)

Histórico de Grêmio x Sport pela Série A (todos os mandos)
44 jogos
12 vitórias rubro-negras (27,2%)
11 empates (25,0%)
21 vitórias gaúchas (47,7%)

Curiosidade
Embora o Grêmio tenha um histórico amplamente favorável, o Sport vem reagindo. O leão venceu 6 dos últimos 8 jogos, incluindo 3 triunfos em Porto Alegre, todos na Arena do Grêmio – no Olímpico, o estádio anterior, nunca venceu. Neste período, o scout geral passou de 23 x 7 para 24 x 13.

As vitórias do leão sobre o tricolor em Porto Alegre, na Série A
07/11/2016 – Grêmio 0 x 3 Sport (34ª rodada)
27/10/2018 – Grêmio 3 x 4 Sport (31ª rodada)
03/09/2020 – Grêmio 1 x 2 Sport (7ª rodada)

A análise do Podcast 45 Minutos (Cassio Zirpoli, Celso Ishigami e Fred Figueiroa):

Abaixo, assista aos gols da partida, através do perfil oficial do Brasileirão no Twitter.


Compartilhe!