Compartilhe!

Os rivais vão disputar a 5ª edição da Supercopa do Brasil. Galo quer a primeira e o Fla vai pelo tri.

Realizada no Mané Garrincha em 2020 e 2021, a Supercopa do Brasil de 2022 será na Arena Pantanal, em 20 de fevereiro, num palco definido pela CBF após semanas de polêmica entre Atlético Mineiro e Flamengo. O estádio em Brasília foi deixado de lado devido ao veto sobre o público, por causa da pandemia. A partir daí, o mineiros tentaram levar a partida para Belo Horizonte, alegando os dois títulos no último ano (Série A e Copa do Brasil) e tratando o Fla quase como “convidado”.

Para 2023 o regulamento da Supercopa bem que poderia dar o mando ao time com a “dobradinha”. Em vez de campo neutro, uma benesse ao multicampeão. Porém, não há isso isso no texto oficial de 2022 – confira abaixo. Logo, não procede esta queixa do Galo. O time carioca tem, sim, direito à vaga na condição de vice do Brasileirão, situação prevista desde a recriação do torneio em jogo único. E é algo visto também em outras Supercopas.

Nos dias que antecederam a posição da confederação, vi debates de torcedores nas redes sociais com atleticanos postulando um “título direto” na Supercopa, algo que não cabe pela regra atual, e com flamenguistas colando o regulamento na timeline para provar que têm direito de estar ali. Chega a ser curioso esse ponto, não é mesmo? Já vimos uma alegação parecida em outro campeonato nacional, há 35 anos. Desta vez, porém, o Fla está 100% certo.

Na minha opinião, não faz sentido chancelar um título direto em caso de dobradinha, ainda que esportivamente pareça justo. Afinal, a Supercopa do Brasil foi criada justamente para abrir oficialmente a temporada no país. E paga bem, com R$ 5 milhões ao campeão e R$ 2 milhões ao vice, uma receita gerada pelo peso dado pela tevê. Sem jogo, sem receita.

Não se trata de uma invenção da CBF, pois as exceções – caso um time ganhe os dois principais títulos nacionais – existem em todas as principais federações nacionais. A diferença está basicamente na escolha do vice na Supercopa. O Brasil segue os modelos da Alemanha e da Inglaterra, enquanto Itália e Portugal dão a vaga ao vice da copa nacional. Já a Espanha deu um passo além, ampliando para 4 clubes, já com três edições assim. Não me surpreenderia ver este caminho por aqui em breve. Basta seguir o interesse, sempre com jogo.

As supercopas nacionais em caso de “dobradinha” nas principais ligas (Quem joga?)
Argentina – vice do campeonato
Alemanha – vice do campeonato
Brasil – vice do campeonato
Espanha – 3º lugar do campeonato*
França – vice do campeonato
Holanda – vice do campeonato
Inglaterra – vice do campeonato
Itália – vice da copa
Portugal – vice da copa
* Na Espanha são 4 times, com os 2 campeões e os 2 vices do ano

Leia mais sobre o assunto
As 18 taças nacionais oferecidas pela CBF, agora com a Supercopa do Brasil


Compartilhe!