Compartilhe!
  • 32
  •  
  •  
  •  

Em 1993, o Vitória foi vice-campeão brasileiro com um time cheio de revelações. Dois desses jogadores acabaram negociados no ano seguinte com o próprio algoz da decisão, o Palmeiras. No caso, Alex Alves e Paulo Isidoro, as primeiras grandes vendas do futebol do Nordeste na era do Plano Real. Desde então, dezenas de jogadores espalhados nos times da região foram vendidos em patamares milionários, com as transações evoluindo de compra do passe para a aquisição dos direitos econômicos – ou ao menos de uma parte dos direitos.

Neste cenário, à parte da flutuação da moeda nacional, que já chegou a valer mais que US$ 1, como já chegou a valer quatro vezes menos que o dólar americano, é possível traçar um ranking com as maiores vendas da história. Através do canal no youtube do Podcast 45 Minutos, fiz um vídeo comentando as dez maiores vendas da região e curiosidades, como clubes menos tradicionais que também já firmaram acordos do tipo.

Em todos os casos, buscando uma padronização, a cifra considerada foi a parcela referente a cada clube – pois vários jogadores são vendidos com percentuais separados, para clubes e empresários. Ao todo, 11min17s. Assista!

A evolução da venda recorde no Nordeste (no Plano Real)
1994 – R$ 885.000, Alex Alves e Paulo Isidoro (Vitória/Palmeiras)
1994 – R$ 930.000, Vampeta (Vitória/PSV da Holanda)
1995 – R$ 1.500.000, Juninho Pernambucano (Sport/Vasco)
1998 – R$ 4.500.000, Róbson Luís (Bahia/Santos)
1999 – R$ 8.299.500, Petkovic (Vitória/Venezia da Itália)
2003 – R$ 8.639.700, Nádson (Vitória/Suwon Bluewings, da Coreia do Sul)
2004 – R$ 9.841.300, Dudu Cearense (Vitória/Kashiwa Reysol do Japão)
2013 – R$ 10.000.000, Gabriel Paulista (Vitória/Villarreal da Espanha)
2015 – R$ 10.129.867, Bruno Paulista (Bahia/Sporting de Portugal)
2018 – R$ 12.072.000, Jean Filho (Bahia/São Paulo)*
* O vídeo foi feito antes da conclusão da negociação


Compartilhe!
  • 32
  •  
  •  
  •