Compartilhe!
  •  
  • 21
  •  
  •  

Os seis nordestinos que receberão as maiores parcelas em 2021, devido às posições em 2020.

O último sorteio da Timemania em 2020 ocorreu na cidade de São Paulo, em 31 de dezembro. No concurso de nº 1.583, que teve o Juventude (RS) como clube sorteado, o prêmio principal de R$ 4,06 milhões, para o acerto de sete números, acumulou. Assim, encerrou-se também o 13º ano da loteria federal criada para abater as dívidas dos times brasileiros com o poder público.

Neste último sorteio, destaque para o Treze, que ficou em 1º lugar no número de apostas, com 26.741. O Flamengo, o líder geral desde a criação da Timemania, veio em 2º neste concurso, com 24.845. Assim, o clube de Campina Grande se garantiu pela primeira vez no Top 20, o grupo de maior repasse. Havia uma disputa particular com o Santa Cruz, que há seis anos vinha no primeiro pelotão. O tricolor pernambucano acabou o ano em 21º, com 110 mil apostas a menos.

No geral, o Nordeste seguiu com seis clubes entre os 20 primeiros, havendo apenas esta troca. Os melhores foram Bahia (em 12º e líder de apostas na região desde a estreia), Fortaleza (em 14º, há 12 anos na mesma colocação nacional), Vitória (16º), ABC (17º), Ceará (19º) e Treze (20º). No segundo pelotão, que vai do 21º ao 40º, mais seis nordestinos: Santa Cruz (21º), Sport (24º), América-RN (33º), Náutico (34º), River (35º) e Botafogo-PB (37º). Ao todo, o trio do Recife somou 3 milhões de apostas, mas a fragmentação inviabilizou um lugar no primeiro escalão de cotas.

No país inteiro foram 88.816.417 apostas realizadas na Timemania, o segundo montante abaixo de 100 milhões na década e a menor arrecadação desde 2013 – veja o ranking de clubes no fim do post. Vale lembrar que a cartela subiu de R$ 2 para R$ 3 em novembro de 2019. Portanto, 2020 foi o primeiro ano completo com o novo valor. Seja pelo volante mais caro ou pelas consequências da pandemia, a cifra caiu bastante – em um ano houve uma redução de 48,1 milhões no nº de apostas e de R$ 30,9 mi na arrecadação. Em 2020, a receita total da loteria foi de R$ 266.449.251. Pela regra, 20% da rena bruta é repassado aos 98 clubes inscritos, com a divisão ocorrendo a partir do nº de apostas de cada um – neste caso, para os 80 times presentes na cartela. Abaixo, a divisão desta parcela para os quatro “subgrupos”.

Divisão da receita repassada aos clubes e as respectivas cotas em 2020*
65% (grupo 1, do 1º ao 20º lugar) – R$ 34,6 milhões (R$ 1,73 milhão cada)
25% (grupo 2, do 21º ao 40º lugar) – R$ 13,3 milhões (R$ 666 mil cada)
8% (grupo 3, do 41º ao 80º lugar) – R$ 4,2 milhões (R$ 106 mil cada)
2% (grupo 4, com os 18 clubes fora da cartela) – R$ 1,0 mi (R$ 59 mil cada)
* As colocações das receitas acima foram definidas na Timemania de 2019. Veja a lista aqui.

A arrecadação da Timemania, a receita dos clubes e o nº de apostas
2011 – R$ 159 milhões (R$ 31,9 mi); 79,8 mi
2012 – R$ 256 milhões (R$ 51,2 mi); 128,0 mi
2013 – R$ 251 milhões (R$ 50,3 mi); 125,5 mi
2014 – R$ 425 milhões (R$ 85,0 mi); 212,5 mi
2015 – R$ 338 milhões (R$ 67,6 mi); 169,0 mi
2016 – R$ 276 milhões (R$ 55,3 mi); 138,4 mi
2017 – R$ 475 milhões (R$ 95,1 mi); 237,9 mi
2018 – R$ 297 milhões (R$ 59,4 mi); 148,5 mi
2019 – R$ 297 milhões (R$ 59,4 mi); 136,9 mi
2020 – R$ 266 milhões (R$ 53,2 mi); 88,8 mi

Abaixo, os 40 primeiros no ranking da Timemania em 2020 – o Santos tomou o lugar do Palmeiras no pódio. Esses clubes ficam com 90% da receita. Vale pontuar que esta colocação final definiu o percentual de cada um na receita a ser apurada em 2021, na 14ª temporada da loteria nacional.


Compartilhe!
  •  
  • 21
  •  
  •