Compartilhe!

As semifinais com jogos únicos no Recife, um na Arena PE e o outro na Ilha do Retiro.

A composição da semifinal do Campeonato Pernambucano de 2021, a 12ª edição desde a implantação o sistema de mata-mata na fase final, traz os quatro clubes com mais presenças no período. De longe. Juntos, Náutico, Sport, Santa Cruz e Salgueiro somam 41 das 48 presenças no G4, ou 85,4% do total. E os quatro já conquistaram o título neste modelo.

Nesta temporada, Náutico (1º) e Sport (2º) conseguiram com certa folga – sobretudo o alvirrubro – na tabela passagem direta para a semifinal, devido à campanha na primeira fase. Já Santa Cruz e Salgueiro tiveram que encarar as quartas, no mesmo formato. Eram favoritos, mas as vagas vieram além da conta. No Sertão, o atual campeão venceu o Vera Cruz por 2 x 1, com o segundo gol aos 44 do 2º tempo. No Arruda, o Santa só conseguiu superar o Afogados nos pênaltis. Agora, então, formam chaves com histórico neste recorte da competição.

Ambos os duelos, Náutico x Santa Cruz e Sport x Salgueiro, já aconteceram cinco vezes nas fase eliminatórias, considerando todas as etapas desde 2010. E o scout é o mesmo, 4 x 1. No caso, favorável a Santa e Sport, respectivamente. Por outro lado, os jogos nesta edição foram vencidos pelo outro lado da história. O timbu fez 2 x 1 no Clássico das Emoções na 6ª rodada e o carcará bateu o rubro-negro pelo mesmo placar, ainda na 2ª rodada, na Ilha.

Na semi, o clássico será na Arena PE, por decisão da direção timbu, devido ao mau estado do gramado dos Aflitos. E o jogo terá o VAR. Nesta fase, curiosamente, só esse. Não faz sentido.

A tabela da semifinal do Pernambucano 2021 (e as transmissões na TV)
09/05 (16h00) – Náutico x Santa Cruz (Arena Pernambuco), Globo e Premiere
10/05 (20h00) – Sport x Salgueiro (Ilha do Retiro), Premiere

Pitaco do blog para a decisão em PE: Náutico x Sport.

Abaixo, o histórico de participações na semifinal entre 2010 e 2021. Nos oito primeiros anos a semifinal local foi disputada em dois jogos. Nos últimos quatro, porém, a regra mudou para apenas um jogo, com mando para o time de melhor campanha. Nesta temporada, só a decisão será em ida e volta, com jogos nos dias 16 e 23 de maio, dois domingos à tarde.

Nº de semifinais no Pernambucano de 2010 a 2021 (48 vagas; 8 times)
1º) 11x – Náutico e Sport
3º) 10x – Santa Cruz
4º) 9x – Salgueiro
5º) 3x – Central
6º) 2x – Afogados
7º) 1x – Porto e Ypiranga

Nº de finais no Pernambucano de 2010 a 2020 (22 vagas; 5 times)
1º) 8x – Sport
2º) 6x – Santa Cruz
3º) 4x – Náutico
4º) 3x – Salgueiro
5º) 1x – Central

O histórico de classificações em mata-matas no PE (desde 2010)

Náutico (1) x (4) Santa Cruz
1ª) 2010 – Náutico (0 x 0 e 1 x 0), semifinal
2ª) 2013 – Santa Cruz (1 x 0 e 1 x 2), semifinal
3ª) 2016 – Santa Cruz (3 x 1 e 2 x 1), semifinal
4ª) 2017 – Santa Cruz (2 x 1 e 1 x 1), 3º lugar
5ª) 2020 – Santa Cruz (0 x 0, com 7 x 6 nos pênaltis), semifinal
6ª) 2021 – A definir, semifinal

Sport (4) x (1) Salgueiro
1ª) 2015 – Salgueiro (2 x 0 e 1 x 1), semifinal
2ª) 2016 – Sport (1 x 0 e 0 x 1 com 5 x 4 nos pênaltis), semifinal
3ª) 2017 – Sport (1 x 1 e 1 x 0), final
4ª) 2018 – Sport (3 x 0), 3ª lugar
5ª) 2019 – Sport (3 x 1), semifinal
6ª) 2021 – A definir, semifinal

A seguir, o histórico dos quatro semifinalistas na era do mata-mata, com o modelo presente no Pernambucano, de forma contínua, desde 2010. A apresentação do quarteto vai na ordem da classificação final na primeira fase de 2021 – já o desempenho em mata-matas não contabiliza a decisão de 3º lugar. Considerando toda a história do PE, desde 1915, o Sport busca o 43º titulo, o Santa busca o 30º, o Náutico busca o 23º e o Salgueiro busca o 2º.

(1º) Náutico no Estadual na era do mata-mata
2010 – Final (vice)
2011 – Semifinal (3º lugar)
2012 – Semifinal (4º lugar)
2013 – Semifinal (3º lugar)
2014 – Final (vice)
2015 – Não se classificou (6º lugar)
2016 – Semifinal (3º lugar)
2017 – Semifinal (4º lugar)
2018 – Final (campeão)
2019 – Final (vice)
2020 – Semifinal (3º lugar)
2021 – Semifinal (a disputar, vs Santa Cruz), passou com 7V, 1E e 1D
Desempenho (17 duelos; 47% de aproveitamento): 8 classificações e 9 eliminações

(2º) Sport no Estadual na era do mata-mata
2010 – Final (campeão)
2011 – Final (vice)
2012 – Final (vice)
2013 – Final (vice)
2014 – Final (campeão)
2015 – Semifinal (3º lugar)
2016 – Final (vice)
2017 – Final (campeão)
2018 – Semifinal (3º lugar)
2019 – Final (campeão)
2020 – Não se classificou (7º lugar)
2021 – Semifinal (a disputar, vs Salgueiro), passou com 6V, 2E e 1D
Desempenho (20 duelos; 70% de aproveitamento): 14 classificações e 6 eliminações

(3º) Salgueiro no Estadual na era do mata-mata
2010 – Não se classificou (8º lugar)
2011 – Não se classificou (6º lugar)
2012 – Semifinal (3º lugar)
2013 – Não se classificou (11º lugar)
2014 – Semifinal (3º lugar)
2015 – Final (vice)
2016 – Semifinal (4º lugar)
2017 – Final (vice)
2018 – Semifinal (4º lugar)
2019 – Semifinal (4º lugar)
2020 – Final (campeão)
2021 – Semifinal (a disputar, vs Sport), passou com 5V, 2E e 3D
Desempenho (14 duelos; 50% de aproveitamento): 7 classificações e 7 eliminações

(4º) Santa Cruz no Estadual na era do mata-mata
2010 – Semifinal (3º lugar)
2011 – Final (campeão)
2012 – Final (campeão)
2013 – Final (campeão)
2014 – Semifinal (4º lugar)
2015 – Final (campeão)
2016 – Final (campeão)
2017 – Semifinal (3º lugar)
2018 – Quartas (6º lugar)
2019 – Quartas (5º lugar)
2020 – Final (vice)
2021 – Semifinal (a disputar, vs Náutico), passou com 3V, 5E e 2D
Desempenho (18 duelos; 66% de aproveitamento): 12 classificações e 6 eliminações


Compartilhe!