Compartilhe!

Em 2020, nenhum impedimento para o Nordestão paralelo às copas da Conmebol. Ou quase isso.

Um acerto pontual entre os quatro clubes do Nordeste presentes na Série A do Campeonato Brasileiro de 2019 e a direção de competições da CBF esclareceu um grande impasse em termos de calendário, sobre a participação dos times da região na Copa do Nordeste e nas duas competições internacionais oficiais, que dividem as mesmas datas no primeiro semestre.

O blog já havia abordado o tema, alertando sobre a falta de clareza no regulamento. A priori, os regulamentos (geral da CBF, do Nordestão, da Série A e da Conmebol) seguem intactos. Porém, com um acordo entre as partes evitando qualquer dúvida. Pelo texto elaborado no início de setembro, os clubes (neste caso, Bahia, Ceará, CSA e Fortaleza) poderão disputar as duas frentes, tanto em caso de vaga na Libertadores quanto na Sul-Americana, esta bem mais acessível – de cara, esta decisão garantiu o G7, com os sete maiores times, na Lampions de 2020, um cenário raro.

Obviamente, houve uma contrapartida para a ata. Os times se comprometeram, formalmente, a jogar com equipes diferentes nas disputas à parte da Conmebol, seja no Estadual ou no Nordestão, caso os intervalos mínimos não sejam respeitados. Sendo mais claro: com a disputa simultânea, algumas datas deverão se chocar, inviabilizando o intervalo mínimo de descanso, de 66 horas – determinado desde 2017 após acordo no Tribunal Regional do Trabalho, entre a CBF e a Federação Nacional dos Atletas Profissional de Futebol (Fenapaf).

Portanto, algumas partidas dos torneios estadual e regional poderão ocorrer em intervalos abaixo disso – em 2016, vale lembrar, o Bahia chegou a jogar duas vezes no mesmo dia, vencendo tanto no Baiano quanto no Nordestão. Neste cenário, as equipes terão que utilizar escalações completamente distintas, com reservas, Sub 23 ou Sub 20. Ou seja, a agremiação pode até jogar mais de uma vez num período de 66 horas, mas não os atletas.

Sobre a reunião na sede da CBF, no Rio
A reunião teve a participação do diretor de competições da CBF, Manoel Flores, do vice-presidente da CBF (e ex-presidente da federação baiana), Ednaldo Rodrigues, e de representantes dos clubes. A reunião foi articulada pela Liga do Nordeste, com total interesse na resolução do caso – para não perder clubes de peso e, consequentemente, receita na Lampions. A partir de agora, a ideia é que a liga colete assinaturas dos outros clubes para manter o acordo nos anos seguintes.

12 datas no Nordestão
A Liga do Nordeste chegou a pleitear mais duas datas para o torneio regional, para transformar as fases de quartas e semifinal em duelos de ida e volta, mas a CBF manteve a estrutura com 12 datas. A meta, então, passou a ser a utilização dos fins de semana, numa negociação com as federações – lembrando que o choque de datas com as copas da Conmebol serão no meio de semana.

Histórico recente sem problemas na Sula
Desde que a Sul-Americana foi para o primeiro semestre, em 2017, foram três participações nordestinas, com Sport (1x, em 2017) e Bahia (2x, em 2018 e 2019). Até então, a Sula não era um “problema” para a CBF, que vetava apenas a Libertadores, mas entrou no pacote, com a garantia burocrática – até então ausente em todos os regulamentos da entidade

As participações do Nordeste nas duas principais copas organizadas pela Conmebol…

Taça Libertadores (6 vezes)
3x – Bahia
2x – Sport
1x – Náutico

Copa Sul-Americana (19 vezes)
6x – Bahia
5x – Sport e Vitória
1x – Ceará, Náutico e Santa Cruz

Leia mais sobre o assunto
Sorteio da Copa do Nordeste de 2020, em Aracaju, reúne o G7 após 18 anos

As melhores campanhas dos clubes do Nordeste na Conmebol, entre 1960 e 2019


Compartilhe!