Compartilhe!
  •  
  • 6
  •  
  •  

Um trecho do calendário sobre o próximo mês de julho, com a Copa América paralela ao Brasileiro.

Devido à pandemia, que paralisou as atividades durante quatro meses, no necessário processo de distanciamento social, a temporada de “2020” do futebol brasileiro foi esticada até 2021, precisamente em 24 de fevereiro. Aliás, as quatro divisões do Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil irão atravessar o réveillon.

Esse reajuste no calendário, divulgado em 9 de julho, deixou a ideia de que a temporada de “2021” também seria afetada, com a necessidade de estendê-la ao menos até janeiro de 2022, já reduzindo em um mês. Porém, a direção de competições da CBF tentou “resolver” a questão de uma vez e a próxima temporada terminará no ano corrente.

A temporada vigente será encerrada após a 38ª rodada da Série A, com a abertura dos campeonatos estaduais de 2021 começando quatro dias depois, em 28 de fevereiro. Tem como alguém achar isso correto? Creio que seja difícil, apesar do silêncio protocolar dos atores diretamente relacionados à questão. Não precisa ser matemático nem nada para perceber que a conta não bate. Logo, algo foi descartado. De fato. E nada menos que o período de férias e a pré-temporada (!). Ou seja, considerando a retomada do futebol em 8 de agosto de 2020, os jogos profissionais irão seguir, sem paradas do tipo, até 5 de dezembro de 2021.

Portanto, serão 16 meses seguidos de futebol. Como exigir uma boa preparação das equipes, um bom rendimento dos atletas ou disputas sem prioridades nos torneios previstos? E olhe que a CBF sequer divulgou o calendário com a Copa do Nordeste – há alguns anos, o regional é apresentado na segunda versão do calendário oficial. O quadro com os Estaduais aponta 16 datas, mas para os estados do NE o número só chega a 12, tendo outras 12 para o Nordestão.

Consequentemente, podem ser até 24 datas para os clubes nordestinos num período já curtinho, de três meses, onde mal cabem 16. Assim, a tendência é que a gente reveja o cenário de Bahia e Vitória em 2020, jogando no mesmo dia tanto pelo Estadual quanto pela Lampions. Haverá receita para dar conta disso? A vacina contra a Covid-19 segue em desenvolvimento, deixando a incerteza sobre a liberação de presença de público nos estádios. E aguentar um ano e meio sem esta fonte pode tornar o futebol inviável, numa visão válida para dezenas de clubes do país. Resumindo: caso não tenha ficado claro, achei o calendário horrível…

Choque de datas
Lembrando que em 2021 teremos a Copa América, numa edição com duas sedes (Argentina e Colômbia), e as Eliminatórios da Copa. E não haverá intervalo devido aos jogos da Seleção Brasileira, que poderão desfalcar as equipes do país por até 18 rodadas do Brasileirão. Somente.

O fim da temporada 2020 (já em 2021)
30/01/2021 – Série B
31/01/2021 – Série C
07/02/2021 – Série D
10/02/2021 – Copa do Brasil
24/02/2021 – Série A

O início da temporada 2021
28/02/2021 – Estaduais (16 datas, até 23/05)
10/03/2021 – Supercopa do Brasil (jogo único)
10/03/2021 – Copa do Brasil (16 datas, até 27/10)
29/05/2021 – Série B (38 datas, até 27/11)
30/05/2021 – Série A (38 datas, até 05/12)
30/05/2021 – Série C (26 datas, até 21/11)
30/05/2021 – Série D (26 datas, até 14/11)

A temporada 2021 da Seleção Brasileira
Eliminatórias: 25/03 e 30/03, 03/06 e 08/06, 02/09 e 07/09, 07/10 e 12/10, 11/11 e 18/11
Copa América: 11/06 a 11/07

Leia mais sobre o assunto
CBF, a entidade sem fins lucrativos com superávit de R$ 838 milhões em 13 anos


Compartilhe!
  •  
  • 6
  •  
  •